Neymar, o símbolo do jovem brasileiro bem-sucedido, irreverente, que faz o seu próprio caminho (Foto: revista VIP)

Era a Seleção Brasileira, mas a maior parte das pessoas que foram ao treino, em Goiânia – onde o Brasil enfrenta a Holanda, hoje, às 16h10m – queriam ver Neymar. Desde Pelé, o Santos não tinha o maior astro da Seleção. E a própria Seleção há um bom tempo não tinha um ídolo assim. Neymar é o cara do futebol brasileiro! Tão importante que vale muito mais do que seu peso em ouro.

Esta última frase não é só um jogo de palavras. Há um tempo, participando do programa de Leandro Quesada e Alexandre Pretzel, defini Neymar como o “Menino de Ouro” da Vila Belmiro. Quesada gostou e repetiu: “Golden Boy”. Sim, mas esta definição já ficou defasada. O garoto vale muito mais do que o reluzente e cobiçado metal.

Para se comprar um quilo de ouro – que, por sinal, tem se valorizado muito – é necessário, aproximadamente, 77 mil reais. Neymar pesa 64 quilos. Faça as contas. Por R$ 4.928.000,00 você leva o Neymar em ouro. Sem contar a mão de obra do escultor, claro.

Se os 11 titulares do Santos pesam, em média, 75 quilos, isso dá um total de 825 quilos, o que, em ouro, vale R$ 63.525.000,00. Ou seja, por 63 milhões e meio de reais, menos de 30 milhões de euros, dá para levar o time inteiro do Santos em ouro maciço (sugiro que coloque as estátuas do Zé Eduardo e do Pará nos fundos, para não espantar as visitas).

Se Fernando Torres foi negociado por 69 milhões de euros…

O tempo das grandes navegações já se foi há 600 anos; o colonialismo teve o seu auge há dois séculos, mas mesmo assim os europeus continuam achando que com miçangas e fitinhas coloridas conseguirão roubar os tesouros da América do Sul.

Ora, se o caneleiro do Fernando Torres foi negociado por 69 milhões de euros, chega a dar vontade de rir essas notícias de que o Chelsea ou o Barcelona ou querem tirar Neymar do Santos e do Brasil pelo dinheiro de pinga de 40 milhões de euros. Ora, só se a diretoria do Santos fosse formada por um bando de idiotas, que, ponho a mão no fogo por isso, sei que não é.

Se aos 19 anos, sem sair do País, sem ser campeão da Libertadoras ou do mundo pelo Santos e sem disputar uma Copa, Neymar é cantado em prosa e verso como o único capaz de rivalizar com Messi, quanto seu passe não valerá depois da Copa do Mundo do Brasil?

Quanto vale Messi hoje? 200, 250 milhões de euros? Mesmo que Neymar, por enquanto, só equivalha a 60% do valor de mercado do grande jogador do Barcelona, ainda assim seu preço não poderia ser inferior a 120 milhões de euros. Menos do que isso seria uma pechinha abominável.

Neymar é o Pelé dos novos tempos. Não vale a pena vende-lo

Todo santista que eu conheço dá graças a Deus a Athié Jorge Cury, Modesto Roma e aos diretores da época por não terem vendido Pelé. Mesmo que com o dinheiro o Santos tivesse construído o maior estádio do mundo e hoje fosse um clube riquíssimo. Ainda assim teria perdido o privilégio único de ter sido o time do Rei do Futebol.

Como já disse um cronista esportivo carioca, do qual não me recordo o nome agora, o santista nem deveria discutir futebol. Pois se o seu time teve Pelé por 17 anos, e se com ele e mais um bando de craques, fez tudo que um time de futebol pode fazer, por que perder tempo em discutir com os outros?

E Neymar é o Pelé dos novos tempos. Não estou dizendo que joga como Pelé. Ainda não. Mas está começando a representar para o futebol brasileiro o que Pelé representou. Todos querem ver Neymar. Todos querem ter uma história, uma opinião sobre Neymar. Ele simboliza o talento e a irreverência que todos gostaríamos de ter tido.

Sai o ídolo mocorongo, entra o ídolo pop

Com todo o respeito aos velhos ídolos do futebol brasileiro, mas todos, com raríssimas exceções, foram bregas, mocorongos, chatos. Sempre a mesma história da infância sofrida, das promessas aos pais, do sonho de comprar a casinha pra mãe… Neymar nunca veio com esses papos.

Neymar venceu exclusivamente pelo talento e pela personalidade. Se fosse o coitadinho que se apequena com as críticas, não teria sobrevivido aos hipócritas que queriam execrá-lo por discutir com Dorival Junior. Se fosse pipoqueiro, não iria, sempre, para cima de zagueiros que dão o dobro dele.

Ele prova que coragem não se mede por músculos e que popularidade não se ganha dizendo amém ao poder e se comportando como um bom moço temente a Deus. Só um cara como Neymar poderia ter dito não aos milhões do Chelsea, há um ano, e ser chamado de louco pela imprensa inglesa.

Só o futebol europeu ganharia com a saída de Neymar

É óbvio dos mais ululantes que manter Neymar no Brasil representará um divisor de águas nesse processo imperialista dos clubes europeus, que tratam o futebol dos outros continentes como meros fornecedores de mão de obra talentosa e barata. Não passam de extrativistas, que substituíram o pau-brasil e o ouro por uma mercadoria humana mais valiosa.

O futebol brasileiro e o sul-americano não ganham absolutamente nada com a saída de Neymar. Todo o dinheiro, por mais que seja, a ser pago por ele, não seria compensador. Sem Neymar, nosso futebol voltaria a ser um deserto de arte, movimentos e idéias em campo, dominado por veteranos presunçosos e decadentes e jovens religiosos ambiciosos e mocorongos que querem comprar a casinha pra mãe.

Neymar é a novidade. Por isso todos querem vê-lo. Nem todos o amam, mas ninguém é indiferente a Neymar. Ele é o novo jovem brasileiro: mestiço, bonito, inteligente, talentoso e de bom gosto. E de muita personalidade! Que é um bom filho, será um bom pai, mas precisa não pedir a benção a ninguém. Pois ele faz o seu caminho. Quem quiser, que o siga.

Onde está escrito que é preciso ir para a Europa para ser considerado o melhor do mundo? Isso foi implantado nos cérebros dos colonizados sul-americanos para facilitar a ida de nossos craques para lá. Neymar, já é, no mínimo, o segundo melhor jogador do mundo. E o mais carismático.

Gosto do Messi, claro. Ele é agilíssimo. Usa sua pequena estatura (1,69m) e arranque muscular para imprimir uma velocidade incrível às jogadas. Parece um mussaranho, aquele bichinho que, pelo seu metabolismo acelerado, come sem parar.

Um baixinho habilidoso leva muita vantagem no futebol, pois joga mais equilibrado do que os outros, mesmo em movimento. São como essas ginastas anãs, quase perfeitas, mas que parecem miniaturas de gente. Admiro, mas prefiro jogadores com corpos normais.

Neymar é magrelo, já o chamaram de filé de borboleta, lembra? Seu físico não tem nada de especial, mas tudo se transforma quando está com a bola. Aí, o mundo para, o jogo para e os adversários param à sua frente, esperando o ele que poderá fazer.

O plano para segurar Neymar envolve todos nós

Criar condições para que Neymar continue jogando no Brasil não é só um problema do santista, mas da comunidade futebolística brasileira. O pior que pode acontecer com o Santos é vende-lo, arrecadar uma fortuna e daqui a algum tempo revelar mais um craque, ou dois, ou três…

Agora, pense comigo: em um país em que um apresentador de tevê ganha 5,5 milhões de reais por mês para apresentar um programa semanal, e milhões de reais voam daqui pra lá e de lá pra cá em transações oficiais para preparar o país para a Copa do Mundo, por que justamente uma das maiores atrações desta Copa vai embora? Seria uma idiotice, não?

O retorno de imagem que Neymar dá, hoje, ao futebol brasileiro, é incomensurável. Fico imaginando se vier o título da Libertadores e se o mundo tiver seis meses para especular como será o seu provável encontro com Messi, no Japão. Não me lembro de outro duelo assim, a não ser entre Pelé e Eusébio pela final do Mundial Interclubes de 1962.

Bem, mas é apenas um sonho. Para chegar lá há uma grande montanha a ser escalada, que merece todo o respeito e que se chama Peñarol. Aliás, esta final da Libertadores veio para resgatar o orgulho do futebol sul-americano, para mostrar ao mundo que, por mais que seqüestrem nossos ídolos, por mais que desvalorizem nosso futebol e nossos jogadores, o talento ainda floresce por aqui.

Olha só como os gringos veem o astro pop Neymar:

E você, o que pensa sobre Neymar?