Ontem, a convite do editor Marco Piovan, entrevistei Pelé para o livro da Magma Cultural a ser lançado no final deste ano, como parte das festividades do Centenário do Santos.

Minha profissão me deu a oportunidade de conviver com grandes ídolos do esporte, como Ayrton Senna, Oscar Schmidt, Bjorn Borg… Mas Pelé é Pelé.

Pelé transformou minha infância e juventude nas mais felizes que um ser humano pode desejar. Por isso, em nome de todos os santistas que leem meus livros e acompanham este blog, eu tinha de abraçar e beijar o Rei do Futebol.

Percebi, olhando agora a foto, que poucas vezes nos últimos tempos ri com tanta alegria no coração. Pelé, humilde em sua grandeza, tem uma energia que encanta a todos à sua volta. É impossível, a um brasileiro de verdade, não amar Pelé. Ele é a síntese de todas as qualidades e talentos do nosso povo. Basta um minuto ao seu lado para se ter a certeza de que ninguém pode ser comparado a ele.

Primeiro e único no coração dos santistas, dos brasileiros, dos amantes do futebol. Obrigado Pelé!