Amigos me perguntam o que achei das contratações do Santos e se elas são suficientes para tornar o time capaz de vencer o Mundial da Fifa. Bem, em princípio o único que veio para ser titular absoluto é o centroavante Borges. Os outros são bons reforços, que brigarão por posições no meio-campo e ataque.

Creio que Henrique lutará por uma vaga com Adriano e que Ibson, se jogar muito bem, poderá tirar o lugar de Elano, se não melhorar. Porém, não creio que Muricy Ramalho mexerá em um setor que foi o seu esteio no Paulista e na Libertadores. Mesmo o limitado Adriano está crescendo e se tornando um excelente marcador.

Quanto a Alan Kardec, o homem da piada pronta – sim, pois com esse nome só pode ser especialistas em gols espíritas –, será um reserva de Borges e eventualmente poderá completar substituir Neymar ou, em um jogo contra adversário menos difícil, completar um trio de atacantes.

O pouco conhecido lateral-direito Leandro Silva também veio para ser reserva, de Danilo. Caso se saia muitíssimo bem e dê conta do recado, fará com que Danilo seja deslocado para o meio, aumentando a concorrência no setor – que, aliás, precisa mesmo das chamadas peças de reposição.

Como Muricy adota esquema com quatro jogadores pelo meio, e como as contusões e os cartões amarelos tornam muito difícil que os quatro titulares repitam muitas partidas seguidas, ter a opção de bons reservas é vital para não perder a pegada e o rendimento neste setor que é vital para o esquema santista.

De qualquer jeito, o Barcelona será favorito

Qualquer que seja a escalação do Santos, porém, o favoritismo do Barcelona não será questionado. Não só pelos nomes dos jogadores, mas pela harmonia que todo grande time precisa ter. O clube espanhol mantém a mesma formação há muito tempo e isso lhe confere um alto rendimento contínuo.

De qualquer forma, se os contratados do Santos jogarem o que podem ou o que já jogaram nas melhores fases de suas carreiras, o campeão sul-americano novamente terá chances de vencer ao europeu. Até porque, depois de muito tempo, o campeão da Europa terá pela frente um time que também tem boas opções ofensivas.

Mesmo com as contratações, o time-base do Santos continua sendo Rafael, Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Elano e Paulo Henrique Ganso, Neymar e Borges.

É mais do que evidente que Rodrigo Possebon, Charles e Pará não têm mais o que fazer no Alvinegro Praiano. Sucesso para eles, mas em outro clube.

E você, o que achou e como escalaria o Santos com a vinda dos contratados?