A falta de visão do técnico Mano Menezes, que também pode ser tratado como “A quarta opção”, acabou sendo providencial para o Santos. Ao substituir Neymar e Ganso na Seleção Brasileira que pressionava o Paraguai, ele não só abriu as portas para a desclassificação do time na Copa América, como tirou qualquer responsabilidade pelo fracasso das costas dos santistas.

O Brasil dominava o gol e o gol era iminente quanto Mano, “a quarta opção”, resolveu colocar em campo o time dele e da Rede Globo. Tirou Neymar e colocou Fred; depois tirou Ganso e colocou o Lucas do São Paulo. O Paraguai respirou aliviado. Sem o jogador mais criativo do ataque brasileiro e sem os passes medidos de Ganso, ficou menos difícil segurar o 0 a 0 e decidir a classificação nos pênaltis.

Fred entrou para dar trombadas na área, Lucas entrou para dar trombadas pela ponta direita, e assim, de trombada em trombada, o Brasil virou um time previsível, que só faria um gol por sorte. Depois, quando a vaca já caminhava para o brejo, ele pôs Elano, no segundo tempo da prorrogação.

Essa Copa América provou que não se pode deixar a Seleção Brasileira nas mãos de um para-quedista mal-humorado, que não sabe lidar com jogadores de mais prestígio. Se o Brasil pressionava e criava várias oportunidades de gol, era porque tinha Neymar, Ganso e Pato em campo, e não apesar deles. Ao tirá-los, o técnico amputou a criatividade e a harmonia do ataque.

Os méritos do Paraguai, a porcaria de campo e a arbitragem

O Brasil foi melhor e mais perigoso o tempo todo e merecia a vitória sobre o Paraguai, que entrou para levar a decisão para os pênaltis e aí contar com o imponderável. Deu certo para eles. Mas o resultado está longe de ter sido justo.

Robinho jogou como nos seus melhores dias. Neymar também estava bem e Ganso, mesmo sem aparecer muito, deu algumas assistências que poderiam ter resultado em gols. Mas o Paraguai também teve seus méritos, claro. Defendeu-se como pôde e também foi à frente o quanto possível. O goleiro Justo Villar, com atuação perfeita, foi o responsável pela manutenção do empate.

O “gramado” era um campo minado, cheio de buracos cobertos por areia. Incrível como permitem uma competição tão importante em um campo assim. Por sorte não houve nenhuma contusão mais séria. Neymar nos assustou ao cair. Parecia ter torcido o joelho. Ainda bem que parece não ter sido nada grave.

Tantos erros em cobranças de pênalti não foram coincidência. É difícil chutar quando o pé de apoio não tem nenhum apoio. Como batedor oficial do meu time no campo do Diamante, sei muito bem do que estou falando. Perdôo todos os quatro brasileiros que perderam pênaltis, pois não tiveram culpa alguma. Perdôo, mando um abraço e um beijo a cada um.

O árbitro argentino Sergio Pezzotta fez vistas grossas às entradas mais duras, o que, obviamente, favoreceu o anti-jogo do Paraguai. Mas não se pode dizer que tenha prejudicado a Seleção Brasileira.

Análise do Brasil a Copa América

Parece que Mano Menezes e Galvão Bueno tinham combinado de pressionar os Meninos santistas Ganso e Neymar nesta Copa América. Era evidente que pelo menor motivo eles seriam substituídos. Infelizmente, isso aconteceu e a torcida brasileira sentiu na pele os efeitos da ausência de ambos no time.

Sem ninguém para pensar o jogo no meio-campo e acertar um passe decisivo (o que nenhum outro jogador do Brasil faz, além de Ganso) e sem um atacante habilidoso e cerebral na frente, como Neymar, o Brasil passou a viver do esforço físico e da impetuosidade de Fred e Lucas do São Paulo, o que não foi suficiente para furar a boa defesa paraguaia.

No todo, porém, a Seleção mostrou que tem futuro. Como é difícil imaginar que Mano Menezes admitirá erros e se tornará um técnico mais seguro e experiente da noite para o dia, acho que o mais viável é que seja substituído já, antes que toda a programação para a Copa de 2014 vá por água abaixo.

Minha sugestão é de que Joel Santana seja convidado para treinar a Seleção Brasileira. Entende muito mais de futebol do que Mano. Outras boas opções seriam Vanderlei Luxemburgo e Luiz Felipe Scolari.

E você, o que achou da eliminação do Brasil na Copa América?