Como se previa, o encontro dos craques Neymar e Ronaldinho Gaúcho, com alguns coadjuvantes de luxo, fez de Santos e Flamengo o melhor jogo dos últimos tempos. O resultado de 5 a 4 a favor do time carioca, com três gols de Ronaldinho e dois de Neymar, exprimiu o que foi o espetáculo.

A partida foi um exemplo do que pode voltar a ocorrer no futebol brasileiro se os craques continuarem por aqui, ao invés de se mudarem para a Europa. A categoria e a habilidade se sobressairão sobre os pontapés e a retranca e os jogos se tornarão exibições de gala.

Pena que o Santos tenha perdido, pois Neymar não merecia sair de campo derrotado. O Menino de Ouro da Vila Belmiro teve grande atuação e fez um gol de placa, ao envolver a defesa do rubro-negro e tocar na saída de Felipe.

O Santos chegou a ter uma vantagem de 3 a 0, mas falhas de marcação no meio-campo e na defesa permitiram ao mais equilibrado time do Flamengo chegar ao empate ainda no primeiro tempo.

No lance mais polêmico do jogo, Elano cobrou um pênalti com cavadinha e atrasou a bola para fácil defesa de Felipe, perdendo a oportunidade de dar uma vantagem de 4 a 2 para o Santos.

Na segunda etapa, Neymar fez o quarto gol, mas Ronaldinho fez mais dois e não só deu a vitória ao Flamengo, como manteve a invencibilidade do time carioca no Campeonato Brasileiro.

Para o insuspeito Mauro Beting, foi o jogo mais bonito que o futebol brasileiro produziu nos últimos anos. Tão atraente, que nenhum dos técnicos apelou para a retranca. Muricy Ramalho não fechou o time quando teve oportunidade, e Vanderlei Luxemburgo também colocou o Flamengo no ataque.

Lições da derrota

Mesmo uma partida tão atraente deixa lições, principalmente ao time derrotado. Com Elano e Ganso errando muitos passes e não marcando ninguém, fica impossível conter um time com bons jogadores de ataque.

Pará e Léo foram pontos fracos, e nem mesmo o goleiro Rafael, tão firme em outras jornadas, esteve muito seguro ontem. O miolo da zaga, sem a proteção dos volantes, se tornou presa fácil para as penetrações de Ronaldinho e Thiago Neves. Borges fez dois gols no primeiro tempo, mas na segunda etapa deixou para Neymar a função de brigar sozinho com a defesa.

Assim como na Copa América, Elano desperdiçou um pênalti de maneira bisonha. Se é para bater assim, que se deixe o Neymar voltar a ser o cobrador do time. Ao menos ele tem o direito de errar. Cavadinha é algo que deveria ser proibido. Quando não dá certo, parece um menosprezo ao torcedor.

Ainda é cedo, mas esta derrota torna muito difícil a possibilidade de o Santos ainda lutar pelo título. A prioridade, agora, é se afastar da zona de rebaixamento.

A pior virada que o Santos sofreu, há 84 anos

Por incrível que pareça, esta, de ontem. não foi a pior virada que o Santos sofreu em sua história. Ela ocorreu em 11 de abril de 1927, também na Vila Belmiro, dia de estreia do centroavante Feitiço em um amistoso contra o Guarani.

O primeiro tempo terminou 5 a 1 para o Alvinegro Praiano, mas o time entrou de salto alto no segundo tempo e foi tomando um gol após outro, até ser derrotado por 6 a 5.

Mas a lição valeu. Naquele mesmo ano, pelo Campeonato Paulista, o Santos recebeu novamente o Guarani na Vila Bemiro. E desta vez, com seriedade o tempo todo, goleou por 10 a 1.

Aliás, 1927 foi o ano em que o time marcou 100 gols no Paulista. Depois da lição contra o Guarani, o Santos não se contentava com uma boa vantagem e tratava de fazer quantos gols pudesse. Além dos 10 a 1 sobre o time de Campinas, em 1927 o Santos ganhou do Ypiranga por 10 a 1; do Barra Funda por 11 a 2; do Autoaudax por 11 a 3; do República por 10 a 2 e do Corinthians por 8 a 3. Quem sabe a lição de ontem não fará a equipe continuar marcando gols mesmo depois de uma vantagem de 3 a 0.

E você, o que achou da partida? Quais os erros e acertos do Santos?