O futebol tem verdades irrefutáveis. Uma delas é a de que time que ganha títulos, ganha torcedores. E a recíproca também é verdadeira. Quem não ergue taças, perde torcida. Ou perde ou ela deixa de crescer, o que dá na mesma. Toco neste assunto porque já ouvi um boato de que a torcida de determinado time continuou aumentando apesar dos 23 anos sem ganhar títulos. Não sei como tem gente que acredita…

Agora mesmo estava relendo o Dossiê da Unificação dos Títulos Brasileiros, que já estará à disposição dos interessados em dez dias, e reparei em uma informação importante: nos 20 jogos de maior público do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, justamente a competição nacional de maior média de público, o único clube paulista que aparece – e em seis jogos – é o Santos.

Repetirei, senhores e senhoras, para que fique bem claro: nos 20 jogos de maior público do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, disputado de 1967 a 1970, na era de ouro do futebol brasileiro, em que todos os jogadores da Seleção tricampeã do mundo jogavam no país, competição esta que teve a maior média de público de todas que decidiram o campeão brasileiro, Corinthians, São Paulo e Palmeiras não aparecem uma única vez, enquanto o Santos está presente em seis partidas.

E olhe que em 1969 o Corinthians lutou pelo título até a última rodada! Outra surpresa é o Palmeiras. Mesmo sendo campeão em 1967 e 1969, o time não atraía multidões. Tanto, que no jogo decisivo do título de 1969, no Morumbi, sua vitória sobre o Botafogo, por 3 a 1, só foi assistida por 8.000 espectadores.

Cota de tevê tinha de ter levado em conta a qualidade do espetáculo

Esta estatística sobre os jogos de maior público no Robertão confirma duas coisas: que em 1968 e 1969, conforme a pesquisa do IBGE na época, o Santos era mesmo o time paulista que levava mais público aos seus jogos. Confirma também que o torcedor vai ao estádio para ver time que joga bonito.

Por isso insisto que a diretoria do Santos deveria ter feito um acordo mais generoso com a Rede Globo. O Alvinegro já era o de maior visibilidade quando o acordo foi assinado e continua sendo agora.

Com todo o respeito aos demais, mas não dá para comparar o apelo que o Santos tem hoje com o nível de atratividade de outros concorrentes que têm nome, tradição, mas lhes faltam craques, carisma e um futebol mais vistoso.

Bem, já falei demais. Confira agora os 20 maiores públicos do Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1967 a 1970 (neste total estão incluídos também os não pagantes). Veja que, de São Paulo, só aparece o Santos:

20 maiores públicos do Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967/70)

01 – Fluminense 1, Atlético-MG 1, Maracanã, 112.403 pessoas, 20/12/1970
02 – Atlético/MG 1, Cruzeiro 2, Mineirão, 97.928 pessoas, 28/09/1969
03 – Atlético/MG 0, Cruzeiro 4, Mineirão, 91.042 pessoas, 05/03/1967
04 – Fluminense 0, Santos 0, Maracanã, 87.872 pessoas, 26/10/1969
05 – Atlético/MG 0, Cruzeiro 1, Mineirão, 87.360 pessoas, 27/10/1968
06 – Atlético/MG 1, Cruzeiro 1, Mineirão, 85.253 pessoas, 13/12/1970
07 – Flamengo 1, Fluminense 1, Maracanã, 81.616 pessoas, 22/11/1970
08 – Flamengo 0, Vasco 2, Maracanã, 79.894 pessoas, 30/11/1968
09 – Flamengo 0, Santos 2, Maracanã, 78.022 pessoas, 15/09/1968
10 – Atlético/MG 1, Cruzeiro 1, Mineirão, 76.505 pessoas, 25/10/1970
11 – Flamengo 1, Santos 4, Maracanã, 70.322 pessoas, 01/11/1969
12 – Flamengo 1, Atlético/MG 0, Maracanã, 69.156 pessoas, 02/12/1970
13 – Flamengo 1, Fluminense 4, Maracanã, 68.531 pessoas, 28/09/1969
14 – Flamengo 3, Vasco 1, Maracanã, 66.289 pessoas, 05/10/1969
15 – Vasco 1, Santos 2, Maracanã, 65.157 pessoas, 19/11/1969
16 – Flamengo 1, Internacional 0, Maracanã, 62.634 pessoas, 22/11/1970
17 – Vasco 3, Santos 2, Maracanã, 62.145 pessoas (49.394 pagantes), 29/09/1968.
18 – Atlético/MG 2, Santos 2, Mineirão, 61.546 pessoas, 24/11/1968
19 – Botafogo 0, Flamengo 0, Maracanã, 59.083 pessoas, 25/10/1970
20 – Atlético/MG 3, Fluminense 1, Mineirão, 58.059 pessoas, 29/11/1970

O que você achou dessas estatísticas? Ficou surpreso ou já sabia?