No Carnaval, Neymar esteve em Salvador e viu o desfile de camarote. Hoje os baianos lotarão o estádio para ve-lo jogar. Este duelo tem muita história…

Todas as entradas estão vendidas para o jogo de hoje, às 18 horas, entre Bahia e Santos (que o Sportv promete transmitir). O fato de ter preferido assistir ao Carnaval da Bahia aumentou ainda mais a popularidade de Neymar em Salvador. A capa dos jornais da cidade mostram uma multidão à espera do Menino de Ouro do Santos no aeroporto. Se o baiano gosta de festa, hoje ela será completa, pois este jogão tem tudo para ser um grande espetáculo.

Trata-se do único confronto que decidiu três vezes o título brasileiro – nas Taças Brasil de 1959, 1961 e 1963 –, quando os dois clubes tinham os melhores elencos de sua história. Pelé, Coutinho, Pepe, Dorval, Zito, Marito, Alencar, Léo brilharam em três decisões memoráveis. O Bahia tornou-se o primeiro campeão brasileiro ao vencer em 1959, mas o Santos deu o troco em 1961 e 1963, quando caminhava para se tornar o único legítimo pentacampeão nacional, com as conquistas seguidas de 1961, 1962, 1963, 1964 e 1965.

A partida de hoje tem outro ingrediente insólito: O técnico René Simões, do Bahia, chamou Neymar de “Monstro” no Campeonato Brasileiro do ano passado, quando dirigia o Atlético Goianiense e viu o jogador discutir com Dorival Júnior, técnico do Santos.

Sem Pará e Edu Dracena, expulsos na última partida, contra o Coritiba, o técnico Muricy Ramalho deverá escalar o time com Rafael; Bruno Aguiar, Bruno Rodrigo, Durval e Léo; Henrique, Arouca, Elano e Gans; Neymar e Borges.

O “monstro” Renê Simões, que suspendeu o atacante Jobson por atraso, provavelmente armará o Bahia com Marcelo Lomba; Marcos, Paulo Miranda, Titi e Ávine; Fahel, Marcone, Diones (Ricardinho) e Carlos Alberto, Júnior (Reinaldo) e Jones. A arbitragem será de Ricardo Marques Ribeiro (MG), auxiliado por Guilherme Dias Camilo (MG) e Nadine Schram Camara Bastos (SC).

As três decisões de título brasileiro

O jogo de hoje é histórico, pois reúne os times que mais vezes decidiram entre si um título brasileiro. Em 1959 a vitória foi do Bahia, que se tornou o primeiro campeão do País ao vencer o Santos por 3 a 1, no Maracanã, depois de ganhar na Vila Belmiro por 3 a 2 e perder em Salvador por 2 a 0. Para chegar ao título, o campeão baiano eliminou cinco adversários, entre eles o favorito Vasco da Gama, na semifinal, e realizou 14 jogos. O Santos passou pelo Grêmio na semifinal.

Em 1961, o Bahia se classificou para a final ao derrotar Santa Cruz, Campinense, Fortaleza e Náutico, enquanto o Santos venceu o América, primeiro campeão do recém-criado Estado da Guanabara. Na decisão, houve um empate de 1 a 1 no primeiro jogo, em Salvador, e uma goleada de 5 a 1 do Santos na Vila Belmiro, resultado que deu ao Alvinegro Praiano a felicidade de comemorar os eu primeiro título brasileiro em seu estádio.

Dois anos depois, em 1963, enquanto o Santos eliminava o forte Grêmio na semifinal, o Bahia surpreendia o poderoso Botafogo de Garrincha e Nilton Santos, ao vencer o alvinegro carioca por 1 a 0 em Salvador e empatar em 0 a 0 no Maracanã. Na decisão, o Santos venceu o primeiro jogo por 6 a 0, no Pacaembu, e o segundo por 2 a 0, na Fonte Nova, em um recorde de arrecadação para a época.

Confira as fichas das três decisões entre Santos e Bahia

Taça Brasil de 1959

Primeiro jogo

Santos 2, Bahia 3
10 de dezembro de 1959
Vila Belmiro, Santos, 21 horas
Santos: Manga, Getúlio, Urubatão e Formiga; Dalmo e Zito; Dorval, Jair da Rosa Pinto, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula.
Bahia: Nadinho, Leone, Henrique e Beto; Flávio e Vicente; Marito, Alencar, Léo, Bombeiro e Biriba. Técnico: Geninho.
Gols: Pelé aos 15 e Biriba aos 26 minutos do primeiro tempo; Alencar aos 12, Pepe aos 32 e Alencar aos 44 do segundo.
Árbitro: Alberto da Gama Macher.
Público: 23.000.

Segundo jogo

Bahia 0, Santos 2
30 de dezembro de 1959
Estádio da Fonte Nova, Salvador, 21 horas
Bahia: Nadinho, Leone, Henrique e Beto; Flávio e Vicente; Marito, Alencar, Léo, Bombeiro e Biriba. Técnico: Geninho.
Santos: Laércio, Feijó, Getúlio e Dalmo; Zito e Formiga; Dorval, Urubatão, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula.
Gols: Pelé

Jogo desempate

Bahia 3, Santos 1
29 de março de 1960
Maracanã, Rio de Janeiro, 21 horas
Bahia: Nadinho, Beto, Hermínio e Nelsinho; Flávio e Vicente; Marito, Alencar, Léo, Mário e Biriba. Técnico: Carlos Volante.
Santos: Lalá, Getúlio, Mauro e Zé Carlos; Formiga e Zito; Dorval, Mário, Pagão, Coutinho e Pepe. Técnico: Lula.
Gols: Coutinho aos 27 e Vicente aos 37 minutos do primeiro tempo; Léo aos 47 segundos e Alencar aos 31 minutos do segundo.
Expulsões: Getúlio, Formiga, Coutinho e Dorval (Santos); Vicente (Bahia)
Arbitragem: Frederico Lopes (RJ), auxiliado por Wilson Lopes de Souza e Ailton Vieira de Moraes.

Taça Brasil de 1961

Primeiro jogo

22/12/1961
Bahia 1, Santos 1, Fonte Nova, Salvador
Bahia: Nadinho, Agnaldo, Henrique, Vicente e Florisvaldo; Flávio e Mário; Marito, Alencar, Didico e Biriba.
Santos: Laércio, Lima, Mauro e Dalmo; Calvet e Zito; Dorval, Tite (Mengálvio), Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula.
Gols: Coutinho, aos 3 minutos do primeiro tempo; Marito aos 8 minutos do segundo.
Árbitro: Olten Ayres de Abreu/SP
Renda: CR$ 7.441.400,00
Público: 41.893 (antes da ampliação da Fonte Nova, que aconteceu em 1971)

Segundo jogo

27/12/1961
Santos 5, Bahia 1, Vila Belmiro, Santos
Santos: Laércio (Silas), Lima, Mauro (Olavo) e Dalmo; Calvet e Zito; Dorval, Tite, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula.
Bahia: Nadinho (Jair); Agnaldo, Henrique, Vicente e Florisvaldo; Flávio e Mario; Marito, Alencar (Carlito), Léo (Didico) e Biriba.
Gols: Três de Pelé e dois de Coutinho para o Santos.
Árbitro: Bayonilzo Lisboa/BA
Público: 18.662 pagantes.

Taça Brasil de 1963

Primeiro jogo

25/01/1964
Santos 6, Bahia 0, Pacaembu, São Paulo
Santos: Gylmar, Ismael, Mauro e Geraldino; Haroldo e Lima; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula.
Bahia: Nadinho; Hélio, Henrique, Roberto e Ivan; Nilsinho e Mário; Valença (Vermelho), Vevé, Hamilton e Biriba.
Gols: Pepe aos 7 e Pelé (pênalti) aos 28 do primeiro tempo; Coutinho aos 18, Mengálvio aos 36, Pelé (pênalti) aos 42 e Pepe aos 46 do segundo.
Árbitro: Armando Marques.
Renda: Cr$ 12.432.800,00.

Segundo jogo

28/01/1964
Bahia 0, Santos 2, Fonte Nova, Salvador
Bahia: Nadinho; Hélio, Henrique, Roberto e Russo (Ivã);
Nilsinho e Mário; Miro, Vevé, Hamilton e Biriba.
Santos: Gilmar; Ismael, Mauro, Haroldo, (Joel) e Geraldino;
Mengálvio e Lima; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula.
Gols: Pelé aos 28 minutos do primeiro tempo e aos 40 minutos do segundo.
Árbitro: Armando Marques.
Renda: Cr$ 21.930.000,00 (recorde).

Um jogo inesquecível

O último jogo sensacional do Campeonato Brasileiro, antes deste decantado Santos 4, Flamengo 5, aconteceu na edição de 2003, quando, na noite de 22 de outubro,o Santos venceu o Bahia por 7 a 4 na Fonte Nova. O Bahia esteve duas vezes à frente do marcador (1 a 0 e 4 a 3) e o Santos só garantiu a vitória nos minutos finais. Reveja:

E hoje, o que você acha que acontecerá neste confronto histórico?