O final foi apoteótico e o Santos conseguiu algo que nunca vi em sua história: empatar em 3 a 3 um jogo que perdia por 3 a 0 até os 30 minutos do segundo tempo. Mas a verdade é que se o time tivesse jogado sério desde o início e não contasse com uma defesa tão lenta e insegura, teria saído do Beira-Rio com uma bela vitória ontem.

Sofrer dois gols de cabeça em 20 minutos, em lances nos quais o adversário penetrou com facilidade pelas extremas, mostrou como a defesa do Santos tem sido deficiente. Depois, no segundo tempo, quando o time jogava melhor, Edu Dracena fez um pênalti bobo e o Inter chegou a 3 a 0.

Por sorte o árbitro anulou um gol legal do time gaúcho quando o jogo estava 2 a 0. E por sorte o Inter continuou atacando, quando poderia ter se fechado e segurado a vitória. A ânsia do colorado por mais gols deu ao Santos a oportunidade de alguns contra-ataques perigosos.

Primeiro, Borges diminuiu, de cabeça. Depois, Alan “Queima a minha língua” Kardec, fez o segundo, com boa presença de área. Por fim, em jogada individual, na qual driblou três advérsários, Borges empatou.

No segundo tempo, que assisti inteiro, o Santos ao menos correu e tentou. Quem viu o começo do jogo se espantou com a apatia do Alvinegro Praiano.

Com essa defesa é difícil…

Gostei de ver Muricy apostar de novo em Felipe Anderson e colocar o garoto Crystian no lugar de Léo no final do jogo. Felipe fez a jogada que originou o segundo gol e Crystian deu mais velocidade à equipe.

Nada contra Léo, que é o melhor lateral-esquerdo que o Santos já teve. Mas ele se cansa, faltam-lhe pernas no final do jogo. É preciso descobrir um reserva para ele. Pode ser Crystian? Talvez. Se bem que o garoto jogue originalmente na direita.

O miolo da zaga voltou a bater cabeça. Se a defesa não é protegida por um batalhão de volantes, Edu Dracena e Durval se perdem. Ir ao Mundial sem outras boas opções para a zaga é pedir para perder.

O fôlego e a velocidade dos jogadores jovens acabam, em muitos casos, superando a experiência. Não dá para confiar que até o final do ano Edu Dracena, Durval e Léo serão titulares absolutos. Sem contar que Danilo irá embora depois do Mundial. Ou seja, a defesa do Santos é toda precária.

No mais, gostei do Ganso. Está se apresentando mais para o jogo. Gostei também da movimentação e a disposição de Alan Kardec. Adorei a decisão de Borges. Neymar se esorçou, mas teve atuação discreta. Porém, não dá para pedir muito de quem está sentindo a emoção de ser pai pela primeira vez.

Apesar de tudo, o final acabou sendo um prêmio para o Santos, que esteve bem próximo de sofrer uma goleada. Agora é tomar vergonha e começar os jogos mais esperto. A ameaça de rebaixamento ainda existe e sem seriedade o time passará sufôco até o final do campeonato.

E você, o que achou de Inter 3, Santos 3?