Um bom começo: em Cajazeiras há mais santistas do que flamenguistas e corintianos

Sempre defendi neste blog que a pesquisa de torcidas de futebol mais abrangente e fidedigna que existe é a Timemania. Continuo com a mesma opinião, pois a cada dia consigo mais evidências que comprovam isso. Mas hoje, só para dar idéia da diversidade de preferências por este Brasil afora, citarei Cajazeiras, conjunto habitacional de Salvador, com 600 mil habitantes, onde, segundo pesquisa publicada pelo jornal Correio da Bahia, o Santos tem a maior torcida entre os times de fora do Estado.

Salvador é a grande cidade do Nordeste, a primeiro capital do Brasil, pólo cultural e turístico que influencia toda a região. Pois nessa metrópole de 2,7 milhões de habitantes Cajazeiras é um centro populoso e de grande comércio. Saber que o Santos é o time de fora com mais torcedores ali é muito relevante.

Segundo a pesquisa, realizada pela Agência Futura, o Santos tem a preferência de 23,1% dos habitantes de Cajazeiras que torcem para times de outros Estados. Em segundo lugar, empatados, estão Flamengo e Corinthians, com 15,5% (30% a menos do que o universo de santistas).

Quando se sabe que 37,9% dos soteropolitanos torcem para um clube de outro Estado, o que os números de Cajazeiras querem dizer? Ora, querem dizer que, se todo mundo gostasse de futebol e tivesse um time, o Santos teria cerca de 30 mil torcedores em Cajazeiras. Porém, como no máximo 40% dos brasileiros acompanham o futebol, digamos que há 12 mil santistas em Cajazeiras.

Isso quer dizer, ainda, que os santistas de Cajazeiras representam mais do que a média de público do Alvinegro Praiano na Vila Belmiro. Isso explica também porque havia mais de dois mil santistas apoiando o time na recente vitória sobre o Bahia, por 2 a 1, em Salvador.

No resultado geral da pesquisa Futura/Correio a torcida do Santos aparece em quinto lugar entre as dos clubes não baianos, mas em vários segmentos está em quarto ou mesmo em terceiro. Na faixa etária de 16 a 19 anos está em quarto, com o triplo da porcentagem do quinto colocado, e de 40 a 49 anos é o terceiro.

Para ser sincero, considerei essa pesquisa insatisfatória, pois não chegaram a ouvir 300 pessoas. Certamente se Futura/Correio fizessem outras, nos mesmos lugares, os resultados seriam diferentes. Talvez o Santos tivesse ainda mais torcedores do que se constatou, talvez menos.

Porém, apesar das ressalvas, percebe-se a cada nova pesquisa o inquestionável crescimento da torcida santista, a ponto de ser dominante em algumas regiões bem populares de Salvador, cidade que é o termômetro do Nordeste.

Imagine se agora o Neymar ficar no Santos até a Copa de 2014. Quem segurará os santistas?