Veja só quem está aconselhando aos jovens craques brasileiros Neymar, Ganso e Lucas a irem jogar na Europa: Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo Fenômeno, Neto… Três “conselheiros” ligados a Flamengo e Corinthians que se tivessem ouvido mais conselhos, não teriam tido uma vida tão conturbada.

Ronaldinho e Ronaldo deixaram de ir à última Copa por indisciplina, por irresponsabilidade, pois bagunçaram o coreto na Copa de 2006. Continuaram frequentando baladas em pleno Mundial, aprontaram como dois adolescentes. E Neto é um jogador que também só não conseguiu se firmar na Seleção porque nunca se cuidou fora do campo e sempre viveu bem acima do peso. Não pode dar conselhos.

Sugerir a ida para a Europa é, no mínimo, antiético

Como Santos e São Paulo estão fazendo um grande esforço para manter seus meninos de ouro por aqui, a atitude de Ronaldinho soa, no mínimo, como uma tremenda falta de ética e um desrespeito aos dois clubes e seus torcedores. Se quer aconselhar, que o faça com os jovens valores do Flamengo, seu time. Mas não dê palpite no time dos outros. Até porque ele jogou dez anos na Europa e não melhorou nada como jogador e pessoa.

Há outras maneiras de se adquirir cultura e crescer como profissional do que ir embora do País. Pelé, Gérson, Rivelino, Carlos Alberto Torres, Tostão, Ademir da Guia e muitos outros não tiveram de jogar na Europa para se consagrarem como jogadores dos quais Ronaldinho Gaúcho teria de pedir licença para amarrar as chuteiras.

Usar o seu prestígio e a sua ascensão sobre os garotos para dar uma declaração pública a favor de irem embora soa muito mal. Até porque sem a concorrência dos ídolos emergentes, Ronaldinho, que voltou para o Brasil porque não tinha mais mercado por lá, restará como um dos poucos a atrair a atenção da imprensa esportiva brasileira. Portanto, quem garante que não está agindo em benefício próprio?

Espero que Neymar, Lucas e Ganso não entrem nesse canto de sereia de um jogador malabarista que não foi nem 20% do que se imaginou que poderia ser. Chegou a ser escolhido como o melhor do mundo por seus malabarismos em uma grande equipe europeia, mas na Seleção Brasileira, que é o que vale, só fez alguma coisa na Copa de 2002. De lá para cá tem vivido da fama.

E se foi embora porque no seu tempo era a única forma de ficar rico, hoje as coisas mudaram. Os clubes europeus estão falidos, vários países da Europa entrarão em crise profunda – entre eles a Espanha e a Itália – e ir pra lá é escolher viver no olho do furacão. Aliás, se tivesse adquirido um pouco de cultura, além do pagode e da mulherada, Ronaldinho saberia mais da gravidade da situação econômica europeia.

E você, o aque achou do “conselho” de Ronaldinho Gaúcho para que Lucas, Neymar e Ganso joguem na Europa?