Neymar e a bola, a união perfeita (foto de Ivan Storti/ Comunicação Santos FC)

Um dia, quando lhe perguntarem quantas vezes você viu Neymar jogar, o que você vai dizer? Só uma ou duas, pois não teve tempo? Ora, se Neymar vai jogar e você pode ir, então não há desculpa.

E o melhor é que não é só ele. Hoje o Santos joga completo contra o Atlético Goianiense, às 20h30m, no Pacaembu, e a tevê, para variar, não transmitirá a partida. E nem dá para reclamar, pois o Santos há muito saiu fora da luta pelo título.

O começo do fim aconteceu justamente contra esse mesmo Atlético, no primeiro turno. Com a volta de Paulo Henrique Ganso, a expectativa era de que o time vencesse e iniciasse sua reação em busca do título. Mas o árbitro Sandro Meira Ricci, além de não marcar um pênalti claro, ainda deu um cartão amarelo a Neymar por simulação. E os dois gols do Atlético foram pela “Avenida Pará” (nos dois gols o lateral-direito ficou parado e ergueu os braços, enquanto o ataque adversário penetrava).

Mas você, santista da Grande São Paulo, se não tiver nenhum compromisso urgente, tem a obrigação de ir ver Neymar, Paulo Henrique Ganso e o time que se prepara para o Mundial do Japão.

Com Léo e Elano no banco de reservas, o Santos jogará com Rafael, Danilo, Bruno Rodrigo, Edu Dracena e Durval; Adriano, Henrique, Arouca e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges.

O Atlético Goianiense, que começou muito bem, mas vem caindo a cada rodada, jogará com Márcio; Rafael Cruz, Anderson, Leonardo e Thiago Feltri; Agenor, Ernandes, Joílson e Bida; Juninho e Felipe.

O técnico Hélio dos Anjos já preveniu a sua equipe de que “o Santos está voando”. E está mesmo. Pena que demorou tanto tempo para decolar. Uma olhada na tabela mostra que o título era plenamente possível.

Se vencer hoje o Santos pulará para a sétima posição, atrás de grandes times que priorizaram o Campeonato Brasileiro, como São Paulo e Internacional. Isso prova que o título seria plenamente possível caso não tivesse perdido pontos cruciais na Vila Belmiro, como nas derrotas para Flamengo, Coritiba, Grêmio e Figueirense.

Reveja agora a atuação de Neymar no jogo que fez o técnico Renê Simões chamá-lo de “Monstro”. Realmente, Renê Simões estava certo. O Santos criava mesmo um monstro, o melhor jogador do Brasil. Quanto ao Renê “Monstro” Simões, acaba de ser demitido do Grêmio Barueri, pois estava levando seu time para o rebaixamento para a Série C:

Confrontos entre Santos e Atlético/GO, por Wesley Miranda


Nenhum santista ainda fez dois gols contra o Atlético Goianiense

Santos e Atlético/GO se enfrentaram apenas cinco vezes ao longo da história. O Santos ganhou em quatro oportunidades e o Atlético em apenas uma. O Peixe marcou 9 e sofreu 6 gols. Apenas uma partida não foi valida pelo Campeonato Brasileiro: um amistoso em 1987 vencido pelo Santos por 2 a 1 no Serra Dourada.

O curto histórico entre as duas equipes não carrega uma grande história, e sim uma curiosidade. O adversário não deve trazer boas recordações para Neymar.

Na primeira oportunidade em que o craque santista enfrentar o Dragão Campineiro, a joia foi afastada pelo técnico Dorival Jr. – junto com Ganso, André e Madson – por um atraso na apresentação na concentração.

Na partida valida pelo segundo turno do Brasileiro de 2010, ocorreu o triste episódio do desentendimento com Dorival Jr., que não permitiu que o jogador batesse o pênalti devido ao até então seu fraco aproveitamento em cobranças de penalidades máximas.

E no último confronto, válido pelo primeiro turno deste Brasileiro, em que ocorreu a única derrota do Santos no confronto, por 2 a 0, Neymar sofreu pênalti não marcado por Sandro Meira Ricci, que ainda o advertiu com cartão amarelo. Sandro Meira Ricci já movia um processo contra Neymar por conta de um outro jogo.

O Nascimento de um Gigante, livro obrigatório


Lançamento será 28 deste mês, no Memorial das Conquistas

Gostei muito do livro “O Nascimento de um Gigante”, de Gabriel Davi Pierin, filho do grande Lalá, ex-goleiro do Santos. A obra fala dos primórdios do clube, com importantes detalhes sobre a sua fundação e o futebol em Santos no início do século XX. Recomendo a todos os santistas. O livro pode ser encontrado na Editora Realejo, em Santos (avenida Marechal Deodoro, 2, ao lado da Praça Independência). O lançamento será no dia 28 deste m~es no Memorial das Conquistas do Santos.

E você, vai ao Pacaembu ver Neymar logo mais? O que espera do jogo?