Depois de mais uma ótima exibição, em que atrapalhou bastante o vascaíno Diego Souza, a voz do povo santista já decidiu que o operário Adriano é essencial para o time no Mundial do Japão, pois só ele terá paciência e know how para marcar Lionel Messi em uma provável decisão com o Barcelona.

A maioria dos santistas também está gostando de Durval na lateral-esquerda. Ele não apoia tão bem quanto Léo, mas é mais firme na marcação e, por ser bem mais alto do que Léo, é mais eficiente nas bolas altas. Ontem o Vasco cansou de bater escanteio, mas nada conseguiu.

Está certo que a eficiência defensiva do Santos nos cruzamentos pelo alto não se deveu apenas à presença de Durval, mas sim a de Bruno Rodrigo, que tem se destacado nesse fundamento e formado uma dupla de zaga bem mais firme com Edu Dracena. Assim, a defesa já está ganhando uma cara nova.

Rafael, Danilo, Edu Dracena, Bruno Rodrigo e Durval – a mesma defesa que atuou ontem é que parece ser a preferida dos torcedores para um hipotético confronto com o campeão europeu. Você concorda?

O carrapato Adriano virou fundamental

Ele não tem a mesma categoria de Elano e Paulo Henrique Ganso e nem apoia tão bem quanto Arouca e, talvez, Henrique, mas sua capacidade de fazer marcação individual sobre o melhor atacante adversário tornou Adriano um jogador importante no esquema a ser montado para barrar Lionel Messi.

Carrapato dos craques, Adriano, para o santista, deve ter a incumbência de perseguir o melhor do mundo pelo campo todo. Assim, como Arouca e Paulo Henrique Ganso são absolutos, o meio-campo do Santos deverá ter os três e mais Elano, que deverá assumir seu posto tão logo esteja em forma.

Henrique e Ibson serão opções no banco de reservas, assim como o bom Renteria, que, já provou, pode ser um bom substituto para Borges. Este é o Santos que Muricy Ramalho deve colocar em campo no Japão.

Você concorda, ou tem outras sugestões?