O leitor Leonardo Bastos Falco me alertou, mas não quis acreditar. Fui checar e, para minha decepção, é mesmo verdade. O site da Umbro, que nos últimos anos tem sido a fornecedora de material esportivo para o Santos, diz que os títulos da Taça Brasil e do Torneio Roberto Gomes Pedrosa não foram reconhecidos pela Confederação Brasileira de Futebol.

Ora, até quem não acompanha futebol ficou sabendo do Reconhecimento da CBF, que envolveu personalidades como Pelé, João Havelange, Ricardo Teixeira, presidentes de seis grandes clubes brasileiros e ouriçou a mídia esportiva nacional. A unificação é oficial, com documento carimbado e assinado, reconhecida pela Conmebol e Fifa. O Dossiê que gerou tudo isso está à venda (mas posso ceder para a Umbro, se ela não tem verba reservada para se atualizar sobre o mercado em que ela atua e sobre o clube que ela patrocina).

Não sei de que planeta a Umbro faz o seu site, mas está defasado há mais de um ano. Não me admira que a camisa do Neymar, ou do Santos, seja um objeto raro nas lojas brasileiras. A Umbro tem sido extremamente incompetente e negligente com o Santos. Sinto dizer, mas não deixará saudades.

Se até o site oficial da fornecedora de material esportivo ignora o reconhecimento, veja, leitor e leitora, o tamanho do caminho que ainda temos pela frente. Por isso, peço que pense com carinho na possibilidade de, neste Natal, dar o Dossiê (com o “Sonhos mais que possíveis!” como brinde) a amigos santistas ou não que precisam conhecer mais sobre o reconhecimento e ajudar nessa Unificação.

Confira o parágrafo sobre o Santos no site oficial da Umbro:

“Apesar de não ser reconhecido pela CBF, a FIFA considera o Santos como octacampeão brasileiro: 5 Taças Brasil (1960-1967), 1 Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1968) e 2 Campeonatos Brasileiro (2002 e 2004). Sendo assim, o maior campeão brasileiro ao lado do Palmeiras, com 11 títulos”.

Confira no site da Umbro a notícia de que a CBF não reconheceu os títulos da Taça Brasil e do Torneio Roberto Gomes Pedrosa

Vamos patrocinar este samba do Centenário?

Ouça, abaixo, a música de Alexandre Moreira para o concurso de Samba Enredo da Torcida Jovem, que em 2012 cantará o Centenário do Santos. O samba ficou em segundo lugar, mas o Alexandre quer gravá-lo e calcula que precisará de 2 a 3 mil reais para despesas de partitura, arranjo, coral e estúdio.

Para adaptar a música ao Centenário, a letra substituirá a menção à Torcida Jovem, pelo Santos. Ficou empolgante. Mostrei para a Suzana e ela se arrepiou e disse que é legal torcer para o Santos. Acho que para uma empresa de Santos, ou um empresário santista que queira patrocinar o CD e dá-lo como presente de Natal, o investimento é pequeno e o resultado será recompensador.

Já imagino essa música no Reveillon do santista, comemorando o tricampeonato mundial. Escutem com atenção e deem sua opinião. Para quem se interessar, o e-mail do Alexandre é lele.moreira@uol.com.br

Ronaldo agiu sozinho?

Minha coluna de ontem no jornal Metro de Santos

Esta semana Luis Álvaro Ribeiro revelou que o ex-jogador Ronaldo Nazário tinha lhe feito uma proposta para levar Neymar para o Real Madrid. Quem lê meu blog não se surpreendeu. Era óbvio que aquele papo de que, ao pendurar as chuteiras, Ronaldo trataria de “ajudar o futebol brasileiro”, era só fachada.

Levar embora um garoto de 19 anos, que já é o maior o maior ídolo do País, só abortará a operação sacode complexo de vira-latas que o Santos e Neymar estão implantando no nosso futebol.

Não diria que esperava mais de Ronaldo do que esta função subalterna de aliciador de jovens craques brasileiros para a Europa em troca de gordas comissões. Não me surpreende que pessoas ricas façam coisas odiosas apenas para ganhar mais dinheiro.

Ficar longe da família, dos amigos, do filho, dos torcedores e do clube que o amam tem um preço que Neymar não precisa pagar. Se Ronaldo pagou, azar dele. Ele ainda não era um Neymar aos 19 anos. Enfim, como diz a sabedoria popular, felicidade não se compra. E eu completo: caráter também não.

Minha dúvida, agora, é se Ronaldo agiu sozinho nessa estratégia de “convencimento” a Neymar. Estranhei muito quando Galvão Bueno, amigo íntimo e parceiro de Ronaldo em alguns negócios, fez um apelo emocionado para que o Menino de Ouro se transferisse para o Real Madrid, contrariando os próprios interesses da Rede Globo. Lembro-me bem da frase: “Estou falando para o seu bem, Neymar. Que mal há em jogar em um time do tamanho do Real Madrid?”.

Estranhei também quando Fausto Silva, outro amigo particular de Ronaldo, deu voz ao ex-jogador para que fizesse outro apelo público ao craque santista, desta vez argumentando que o talento de Neymar não podia ficar restrito ao Brasil, mas deveria ser exposto ao mundo.

Ora, a tevê e a Internet acabaram com as distâncias. O que se faz na Vila Belmiro é visto em Hong Kong… Está certo que nem todos os jogadores e times têm essa visibilidade planetária. Mas Neymar e o Santos certamente têm e serão vistos por todos, onde quer que joguem.

E você, acha que é possível que a Nike seja pior do que a Umbro? E Galvão e Fausto Silva, ajudaram o amigo Ronaldo no convencimento a Neymar para ir embora do Brasil?