Junte as informações e chegará à mesma conclusão que eu: 1 – Daqui a dois anos o Santos será o único time grande de São Paulo a utilizar o Pacaembu; 2 – O Santos tem oito vezes mais torcedores em São Paulo do que em Santos; 3 – O Pacaembu tem o triplo de capacidade da Vila Belmiro. Comporta, portanto, muito mais sócios; 4 – A Prefeitura de São Paulo terá dificuldade para pagar os R$ 400 mil mensais que custam a manutenção do Pacaembu. O estádio correrá risco de continuidade caso não haja uma parceria para mantê-lo; 5 – O Santos poderá faturar muito mais do que R$ 400 mil com placas de publicidade e ações de marketing, caso mande seus jogos ali; 6 – Os jogos no Pacaembu têm uma cobertura maior da imprensa, o que dá mais visibilidade aos times e jogadores que nele atuam.

Juntou? Então, mesmo que você não seja um gênio do marketing esportivo, chegará á mesma conclusão que eu: Santos e Secretaria Municipal de Esportes de São Paulo têm de sentar à mesa para negociar um bom acordo que seja proveitoso para ambas as partes. Afinidade histórica não falta. O Alvinegro Praiano ganhou nove títulos com finais no Pacaembu e o título mais importante conquistado por um time brasileiro no velho e belo estádio, foi esta Copa Libertadores contra o Peñarol. Sem querer parodiar ninguém, eu diria que Santos e Pacaembu têm tudo a ver.

Périplo santista pelo Interior

Como o gramado da Vila Belmiro passa por mais uma reforma, os próximos jogos com mando do Santos serão no Anacleto Campanella (Ituano), Arena Barueri (Oeste) e Presidente Prudente (Palmeiras). Sei que o Pacaembu será usado em uma edição do UFC, mas será que não daria para encaixar um joguinho do Santos lá? Bem, de qualquer forma, como pelo jeito a intenção da diretoria á fazer o time contemplar os vários nichos de santistas espalhados pelo Estado, espero que não se esqueçam de São José do Rio Preto, palco do título brasileiro de 2004.

Reservas ou Titulares?

Mesmo não se saindo tão bem quanto poderia, defendo que o Santos continue usando reservas nos próximos jogos do Campeonato Paulista. Pela estrutura que têm e pelos salários que recebem, esses rapazes têm a OBRIGAÇÃO de jogar melhor do que os adversários de times menores de São Paulo. E os jogos serão um bom teste para se saber quem deve continuar e quem deve ir embora do Santos. Que alguns titulares só voltem contra o Palmeiras, dia 5 de fevereiro.

Íbson or not Íbson

O portal Terra informa que o presidente Luis Álvaro Ribeiro disse que recebeu uma proposta do Flamengo por Íbson, mas recusou. Se a proposta compensava o alto investimento que o Santos fez no jogador, deveria ter vendido correndo (e pedido o dinheiro adiantado, pois se sabe que o Flamengo tem sérios problemas para pagar suas dívidas). Segundo o portal, Laor teria dito que o jogador é “insubstituível”. Aí eu já acho que o Terra exagerou. Duvido que algum ser humano possa chamar o Íbson de insubstituível.

Contratações: muita calma nessa hora

Percebeu que não dei uma linha sobre as “contratações” de Alex Silva e Juan? Em nenhum momento acreditei que ocorreriam. São dois casos de jogadores de algum nome que estão jogando graças a esse nome. São laranjas que dificilmente darão mais suco. E, além disso, caros. Seria uma bobagem traze-los. Aprovo a experiência com o uruguaio Fucile. É jovem, tem potencial e foi menos caro que os dois citados. O mercado sul-americano pode trazer boas surpresas, mas é preciso pesquisar bem antes de comprar.

Donos da Terra e Na Raça!: mais livros oferecidos no blog

De tanto ficar sem graça ao responder que não tinha os livros pedidos pelos leitores deste blog, estou organizando uma lojinha com outros livros de minha autoria que serão oferecidos aqui e poderão ser adquiridos pelo método seguro e eficiente do PagSeguro. Além do “Dossiê da Unificação” e do “Sonhos mais que possíveis”, serão oferecidos os livros que contam a história dos dois títulos mundiais do Santos: “Donos da Terra” e “Na Raça!”. Teremos também uma quantidade limitada de exemplares de “Pedrinho escolheu um time” e de “O barqueiro de Paraty”. Quem está cuidando disse é o eficientíssimo Vítor Queiroz de Abreu, um jovem santista que nos dá orgulho de torcer para este time.

Não se esqueça: o boicote continua

Melhore sua qualidade de vida. Não passe mais quase duas horas na frente da tevê secando um adversário. Fale, conviva, saia com a família, dê atenção aos filhos, ao cônjuge, aos amigos. Vá caminhar na praça, visite os parentes. Secar o rival só dá mais ibope para ele. Melhore sua vida. Não assista, nunca mais, a jogos do alvinegro da capital.

O que você acha das notícias e análises de hoje?