A Suzana, pé quentíssimo, é testemunha de que eu escreveria que o time tinha melhorado, mesmo que o jogo terminasse empatado. Porém, a vitória, de virada, com mais um gol de Alan Kardec, foi justíssima. A principal qualidade do Santos foi a determinação, a vontade de ganhar do esforçado Ituano. Como sempre, ganhou quem quis mais.

Gostei de Felipe Anderson, calmo e preciso nos passes, autor da arrancada, pela esquerda, e do centro que gerou o gol de empate; gostei de Alan Kardec, autor dos dois gols e sempre presente na área; gostei do miolo de zaga, formado por Bruno Rodrigo e Vinícius Simon, que só tomou um gol porque o árbitro não marcou impedimento claro do adversário; gostei do experiente goleiro Aranha e, principalmente, da vontade do time nas divididas. Após sofrer o gol, o Santos teve a postura certa: decidiu que ganharia o jogo e pagou o preço para buscar a vitória.

Mas nem tudo foram flores. Sei que leitores deste blog dirão que Íbson melhorou. Eu já acho que ficou na mesma. Para alguém que é o mais credenciado do grupo, foi muito discreto quando mais se precisou dele. Na hora de buscar a vitória, ele se escondeu. E numa cobrança de falta, como um adolescente, ficou de briguinha com o adversário, quando o time precisava de velocidade para chegar ao gol. Enfim, ainda não me convenceu de ter custado tão caro. Quem o contratou, se ainda não foi, deveria ser demitido.

Assim como deveria ser demitido por justa causa o gênio que trouxe o veterano Rentería. Se o rapaz já não tinha dado certo no Internacional e no Atlético Mineiro, o que fazia acreditar que pudesse jogar futebol no Santos? O moço mal domina a bola e tenta chutar a gol. É previsível e medíocre. Nunca pensei que escreveria isso, mas Dimba entrou no seu lugar e foi bem melhor, caindo pela direita, tabelando e dando o passe que originou o gol da virada.

Por falar em decepções, o que o Tiago Luís ainda faz no Santos? Com muito boa vontade ele era reserva na Ponte Preta. E o Maranhão, é duro dizer isso, mas me dá saudade do Pará. Pela lateral esquerda a coisa anda feia. Émerson e Crystian têm potencial, mas não se acertaram. O primeiro é muito jovem e Crystian está na lateral errada. Ele é destro, Muricy!

Estou gostando do Anderson Carvalho. Esse quer tanto dar certo no Santos, que dará. Até que ele, Íbson e Felipe Anderson estão fazendo um bom meio-campo, guardadas as devidas proporções. Com relação a Tiago Alves, so posso dizer que se seus neurônios fossem tão rápidos como suas pernas, seria um dos melhores do mundo. Mas, do jeito estabanado que joga, não vai longe. No máximo deixará de ser reserva do Santos para ser reserva do Ituano.

Deu pra perceber que o time correu mais porque Muricy estava no banco. Quem quer fazer uma boa carreira, tem de agradar ao patrão. E Muricy e os jogadores devem ter percebido que há jogos – como o de hoje – que são ganhos na vontade, na disposição, na velocidade. Se perdessem hoje, muitos desses jogadores iriam para a lista negra do técnico.

A vitória também foi boa por dar dá ao técnico a opção de manter o time reserva no Campeonato Paulista, poupando os titulares para a Copa Libertadores. Espero que esses jogadores tenham percebido que podem e devem se impor contra os times de São Paulo. Há momentos em que um jogador deve ser proibido de dar desculpas.

Ah, tinha me esquecido do Muller. Que coisa! Ele continuou comentando o jogo como se falasse para a tevê de Itu. Até quando dá palpite na arbitragem, opina sempre contra o Santos. O Santos com mais posse de bola, com mais chances de gol, e o moço se recusava a dizer que o Alvinegro Praiano merecia o empate. O Milton Leite só faltou soprar pra ele. Enfim, mais uma participação patética de Muller, um jogador que o Santos recuperou para o futebol e que hoje ignora quem lhe deu casa, comida e respeito. Na igreja que ele vai acho que não lhe ensinaram que a maior qualidade do homem é a generosidade.

E você, o que achou de Santos 2, Ituano 1?