Quanto a gente quer ver os reservas, o Muricy põe os titulares, como hoje. Por que escalar os titulares contra o Mirassol, se os reservas estão jogando melhor? Eu quero ver o Anderson Carvalho e o Felipe Anderson. Já sei como jogam Henrique e Íbson. Já sei e não gosto.

Para que escalar o Neyamr hoje? Será que ele precisa provar alguma coisa? Só correrá o risco de uma contusão. Que o Muricy tivesse coragem e pusesse o Borges e o Dimba na frente.

Enfim, mais um ato de falta de coragem do nosso técnico, que vai suar bala de canhão para matar um esquilo. Com esse time, tem obrigação de ganhar. Eu disse OBRIGAÇÃO!

Times prováveis

MIRASSOL: Fernando Leal, Eric, Matheus Ferraz, Dezinho e Márcio Careca; Sérgio Manoel, Alex Silva, Gilsinho e Xuxa; Malaquias e Borebi. Técnico: Ivan Baitello

SANTOS: Aranha, Fucile, Edu Dracena, Durval e Juan; Henrique, Arouca, Ibson e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges. Técnico: Muricy Ramalho

Retrospecto de Santos e Mirassol
Por Wesey Miranda
Santos e Mirassol se enfrentaram apenas quatro vezes na história, e todas as quatro em Campeonatos Paulista.
O Santos ganhou 3 jogos e empatou 1, marcando 8 gols e sofrendo 3.

A estreia do uniforme azul
Em 2008, jogando na Vila Belmiro, na estreia do uniforme azul o Santos incomodado perto da zona de rebaixamento, tomou um gol aos 37 minutos do segundo tempo. O empate veio dois minutos depois, Marcinho Guerreiro acertou um forte chute de fora da área. Ao 43 minutos, Kleber Pereira cobrou pênalti sofrido por Renatinho e deu a vitória para o time santista. Foi o 9º gol de Kleber Pereira no campeonato.

Fim do 100%
Em 2009, pela 4ª rodada do Paulista também na Vila Belmiro, o Santos abriu o marcador com um gol de Roni aos 38 minutos. Quando tudo se encaminhava para a 4ª vitória santista em quatro jogos, Wesley do Mirassol acertou um chute da intermediária no meio do gol aos 47 minutos do 2º tempo. No fim do jogo, Fabio Costa pediu desculpas pela falha.

Recorde
Em 2010 no estádio José Maria de Campos Maia, o Santos desfalcado de Ganso e Neymar, abriu o marcador com Wesley aos 27 minutos em bela jogada individual. Foi o 3º gol no campeonato do lateral improvisado. O Mirassol chegou ao empate 10 minutos depois em cobrança de falta com Gerson que contou com uma ajuda do zagueiro Durval que desviou levemente para o gol de Felipe. Só no 2º tempo que em cobrança de falta de Madson que o Santos chegou ao seu gol da vitória. Com o resultado o Santos chegou ao seu 7º triunfo consecutivo no Paulista e igualou o feito do Santos de Pelé de no Campeonato Paulista de 1968.

A volta de Elano
Em 2011 no estádio do Pacaembu, pela 2ª rodada do Paulista, o Santos não encontrou dificuldades para bater o Mirassol por 3 a 0. O primeiro gol saiu aos 27 minutos, em contra ataque puxado pelo estreante Jonathan e concluído pelo rápido Maikon Leite. Foi o 3º gol do atacante no campeonato. O segundo gol saiu logo nos primeiros minutos do 2º tempo, com Zé Eduardo depois de bela assistência do outro estreante da noite, Elano. O último tento do prélio saiu novamente com Zé Eduardo aos 30 minutos do 2º tempo depois de tabela com Maikon Leite. Foi o 3º gol do atacante no campeonato que dividia até então a artilharia com o companheiro de ataque Maikon Leite.

O exemplo de Bellucci
Ontem, ao lado da Suzana, vivi um momento mágico que só o esporte pode proporcionar. Vi o brasileiro Thomaz Bellucci virar um jogo dificílimo contra o ótimo argentino Leonardo Mayer e se classificar para a semifinal do Brasil OPen, torneio que está sendo realizado no Ginásio do Ibirapuera.

O extraordinário é que Bellucci, desanimado, parecia caminhar para a derrota quando o bom público que foi ao Ibirapuera passou a incentivá-lo de uma maneira comovente. Para mim, ficou mais uma vez evidente o poder de uma torcida no rendimento de um atleta. Por isso é tão importante que os santistas jamais abandonem o time, nem mesmo nos momentos de maior amargura e desespero.