Em outros tempos, mais eufóricos, não faltaria jornal para dar o título: “Pintou o campeão!”. Realmente, esta performance do Santos contra a Ponte Preta foi a melhor exibição de um time neste Campeonato Paulista. Mais do que os 6 a 1, que representam a maior goleada da competição, e do show da dupla de ouro Ganso e Neymar, o Alvinegro Praiano dominou o jogo de maneira absoluta, arrasadora, constrangedora. Nenhum time de São Paulo consegue vencer assim.

Neymar voltou a brilhar, com lances geniais e dois gols. Agora o Menino tem seis e está a apenas dois da artilharia. Ganso, em boa condiução física, voltou a esconder a bola e fazer dela o que quer.

Arouca voltou a jogar bem, marcando lá atrás e ainda saindo pro jogo. Como Henrique também melhorou, ao menos na marcação, com eles o meio-campo cresceu. A briga entre Íbson e Elano pela posição está puxando os dois para cima. Se bem que eu ainda ache que o Felipe Anderson é melhor do que os dois.

Juan se firma, Fucile ao menos é um bom marcador (se bem que Chrystian apoia melhor). Edu Dracena, melhor fisicamente, se deu ao luxo de marcar dois gols de cabeça. Palmas pra ele!

Tudo bem que Borges ainda não reencontrou o gol, mas está tentando. Durval está na mesma e Rafael não foi exigido. A bola difícil que foi, entrou. Ainda não vi Ganso e Felipe Anderson na armação, mas hoje nem dá para reclamar. O Santos fez sua melhor partida desde a conquista da Libertadores e não há o que contestar. Até a arbitragem resolveu marcar as faltas sobre Neymar.

Muito santista já me disse que se os árbitros marcassem todas as faltas e dessem todos os amarelos que os marcadores de Neymar merecem, os adversários do Santos terminariam os jogos com dois ou três jogadores a menos. Pois foi o que aconteceu hoje. O árbitro Marcelo Rogério cismou de seguir a regra e a Ponte terminou com três a menos. Nada mais justo.

Como é bom ver o Santos jogar pra frente, com vontade, determinação, sem preguiça. Você pode perguntar: Ué, mas não estava tudo errado até há poucos jogos. Quais foram as mudanças tão radicais? Eu direi.

Não se esqueça de que os laterais contra o Palmeiras foram Maranhão e Pará. Hoje o time não leva mais bolas pelas costas (só levou uma contra a Ponte, justamente no gol do time de Campinas). Com menos buracos nas laterais, os zagueiros Edu Dracena e Durval voltaram a atuar com segurança.

Arouca melhorou muito, Henrique subiu um pouco também e ficou mais difícil para o adversário penetrar pelo meio. Íbson e Elano estão se empenhando mais, em busca da titularidade. Mas a grande novidade tem sido o crescimento de Paulo Henrique Ganso.

Com ele e Neymar jogando bem, uma ou outra falha da equipe fica escondida. Ambos exigem tanta atenção da defesa contrária, que o adversário perde até o ânimo de atacar. Na verdade, Ganso e Juan têm sido os maiores responsáveis pelo crescimento do Santos.

Vem aí os jogos decisivos contra Guarani e Corinthians

No meio da semana, Neymar, Ganso e Rafael viajam para defender a Seleção Brasileira contra a Suíça, na quarta-feira. No mesmo dia o Santos enfrentará o Guarani, em Campinas, que está à sua frente no Paulistão. Rafael não deverá fazer muita falta, já que Aranha vem se saindo muito bem, mas é inegável que Neymar e Ganso são insubstituíveis. O que será que Muricy poderá fazer?

Acho que ele será conservador e escalará Alan kardec na frente, ao lado de Borges, e colocará Íbson e Elano como meias. Eu, como é fácil adivinhar, daria um jeio de colocar o Felipe Anderson no time, nem que fosse no lugar do Neymar, mais à frente. O garoto não bnate de canela, como o Kardec.

E domingo, na Vila, contra o líder Corinthians, eu só espero que a arbitragem seja boa, honesta. Porque no campo, se os dois times jogarem apenas futebol, será difícil parar o Alvinegro Praiano.

Quer ver de novo os melhores lances do jogo? Curta aí:

http://youtu.be/z__2CrFYlDg

E você, o que achou de Santos 6, Ponte Preta 1?