Com as voltas de Borges, Edu Dracena e Durval, o Santos, atual campeão da América, estreia na Copa Libertadores 2012 enfrentando diversos adversários: o mais temido é a altitude de La Paz. A 3.660 metros o ar pode faltar aos pulmões e o adversário – o Strongest – se tornará perigosíssimo, apesar de sua limitação técnica.

Outro adversário do Santos é a tevê brasileira, materializada na Globo, que detém os direitos de transmissão em seu canal aberto e por discutíveis critérios escolherá transmitir o jogo do alvinegro da capital na Venezuela. Outro posto da emissora com repórter ao vivo será na Argentina, onde o Flamengo enfrentará o Lanús.

Como sempre, e como já está acostumado, o Santos enfrentará tudo e todos em sua estreia na Libertadores. A própria construção da chave, pela Conmebol, colocando todos os jogos do alvinegro da capital no horário nobre das quartas-feiras, mostra a influência da Globo na Confederação Sul-americana. Há um conluio descarado para favorecer um time.

Obviamente, se vivêssemos em uma sociedade baseada na ética e no mérito esportivo, o jogo do campeão e do ídolo Neymar estaria em todos os lares brasileiros. Mas a tevê brasileira é tão ética quanto nossos políticos. Resta ao santista acreditar no talento de seus jogadores e no senso de justiça dos deuses do futebol, que não costumam permitir a vitória da sacanagem.

Muricy usará cinto e suspensórios

Diazem que o homem indeciso, além de usar o cinto, usa suspensórios. Pois o técnico Muricy Ramalho é o típico. Escalará os três titulares que voltam de contusão – Dracena, Durval e Borges -, o recém-contratado lateral-direito Fucile, o estreante lateral-esquerdo Juan, manterá o criticado volante Henrique e colocará Íbson no lugar de Elano.

Não há nenhuma ousadia na escalação de Muricy, como já se esperava. O time jogará com apenas dois atacantes, que viverão das tenattivas de passe de Paulo Henrique Ganso. É óbvio ululante que Felipe Anderson substituiria Íbson com a vantagem do passe e do chute, e que o garoto Anderson Carvalho teria, no mínimo, o mesmo rendimento de Henrique.

Mas Muricy quer tentar ganhar outra Copa Libertadores com vitórias magras e corações a sair pela boca. Paciência. Muitos clubes dariam a alma para ganhar uma única LIbertadores assim. Que venham os três pontos, do jeito que for. No Brasil esse Strongest será time para ser goleado, mas no alto de sua montanha, nerece respeito.

Times prováveis

THE STRONGEST: Vaca; Parada, Ojeda, Méndez e Torrico; Soliz, Chumacero, Lima e Cristaldo; Pablo Escobar e Melgar (Sebastian González). Técnico: Mauricio Soria.

SANTOS: Rafael; Fucile, Edu Dracena, Durval e Juan; Henrique, Arouca, Ibson e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

Árbitragem: Carlos Vera, auxiliado por Christian Lescano e Luis Alvarado, todos do Equador.

Retrospecto de Santos x Strongest

Por Wesley Miranda

Santos e The Strongest se enfrentaram apenas em dois amistosos. O primeiro no dia 26/06/1955. O Santos, ainda sem Pelé, goleou o time boliviano por 4 a 0 jogando em Lima no Peru. O segundo, quase 16 anos depois, agora com o já consagrado rei do futebol, terminou 2 a 0. Apesar do gol de Pelé, a decepçã, foi o grande número de substituições no Santos, que sentia a altitude de 3.660 metros de La Paz. E o não tão jovem Pelé (30 anos) foi substituído e atribuiu também o cansaço à maratona de 35 jogos em menos de 5 meses.

Estreias em Libertadores
Esta 12ª estreia santista em Libertadores, será a 5ª em solo boliviano. A primeira contra o Deportivo Municipal, em 1962, aconteceu no estádio Hernando Siles em La Paz, mesmo palco da partida de hoje, com vitória santista por 4 a 3, gols de Lima, Mengálvio, Pagão e Tite.

Quarenta e dois anos depois, o Santos enfrentou o Jorge Wilstermann, e ganhou por 3 a 2, com 2 de Basílio e 1 de Alex. Na estreia de 2005, também no estádio Hernando Siles, o Santos conheceu a primeira derrota para um time boliviano em sua história: Bolívar 4 a 3, com 2 de Deivid e 1 de Robinho. Em 2007, o Santos estreou contra o Blooming na Pré-Libertadores, vitória por 1 a 0 com gol do lateral Pedro.

Retrospecto contra Bolivianos
Foram 16 jogos na história, incluindo a seleção de Cochabamba em 1971 e a seleção Boliviana em 1991, com larga vantagem santista, 14 vitórias contra 2 derrotas. O Peixe marcou 61 gols e sofreu apenas 19.

Uma pintura em La Paz
Apenas 3 dias depois de derrotar a seleção de Cochabamba por 3 a 2, o Santos entrou para jogar com o Bolívar em La Paz no estádio Hernando Síles, e vencer por 4 a 0, com 2 gols de Pelé, sendo 1 um dos mas bonitos de sua carreira. Depois dessa apresentação de gala, o Santos teve que voltar a Bolívia quatro meses depois, e foi anunciado como “El Mayor Espectaculo Del Mundo”.

Veja o gol antológico do REI

Artilheiro do confronto
São dois os artilheiros máximos do confronto: Del Vecchio e Vasconcelos. Del Vecchio é o 17º maior goleador da história do Santos, com 105 gols.
O mineiro Vasconcelos chegou ao Santos em 1953, e foi o grande goleador do time em 1953 e 1954, com 25 gols por ano. Apesar de polêmico e boêmio, era o grande craque do time e o camisa 10 até se contundir gravemente fraturando sua perna em uma entrada do até então são-paulino Mauro Ramos. Em seu lugar, um novo camisa 10 foi lançado por Lula, o menino Pelé. Vasconcelos é o 15º goleador da história do Santos com 111 gols.

Matéria da Veja sobre ganhos do Santos é falsa

Como já dissemos nos comentários do blog, a matéria publicada pela revista Veja sobre os ganhos do Santos com a tevê em 2011 é falsa. Ou incompleta, o que dá no mesmo. Na verdade, o Alvinegro Praiano foi o décimo-segundo em ganhos só no pay per view. Mas, no valor fixo, que é o mais importante, continuou entre os seis maiores do Brasil.

Como em 2011 o Santos chegou às finais do Paulista e da Copa Libertadores – na qual foi o único time brasileiro a partir das quartas-de-finais -, ele teve mais jogos transmitidos pela tevê aberta e por assinatura. Assim, obviamente, o número total de pay per views ficou abaixo dos outros grandes. Porém, o Santos foi o time de futebol mais assistido no País no ano passado.

E você, o que espera de Santos x Strongest?