O Museu do Futebol, do Pacaembu, como não poderia deixar de ser, também participará das festividades do Centenário do Santos (até porque, Santos e Pacaembu têm tudo a ver, como mostrarei mais abaixo). Os três livros oficiais do Centenário serão lançados em seu auditório, com palestras sobre a história do Santos; haverá a exibição de curtas-metragens e a produção de um vídeo interativo para ser exibido no espaço de exposições do Museu.

Prevê-se a utilização de vídeos da SantosTV, a tevê de clube de futebol mais assistida no mundo, e também de filmes do Festival Curta Santos, que em 2012 terá o Centenário do Santos como tema.

Nas conversações com Daniela Alfonsi, do Núcleo de Documentação, Pesquisa e Exposições, e Renato Baldin e Raul Cavalcanti, da área de eventos, ficou estabelecido que os 100 anos do Alvinegro Praiano serão devidamente valorizados pelo Museu do Futebol em 2012.

Nada mais justo. Afinal, como fiz ver a eles, o Santos é o time que mais ganhou títulos jogando as finais no Pacaembu (11 oficiais), conquistou a competição mais importante decidida no estádio (a Copa Libertadores de 2011), detém o recorde de público do estádio (68.327 pagantes, em 11/11/1977, no empate em 1 a 1 com o Palmeiras), é o protagonista do jogo mais emocionante do futebol brasileiro (7 a 6 sobre o Palmeiras, pelo Torneio Rio-São Paulo de 1958), além de ser mais um que teve a honra de testemunhar gols antológicos de Pelé, além da estréia de Neymar.

Sem contar que a Grande São Paulo tem, hoje, dois milhões de santistas, o que representa a maior invasão de torcida de uma cidade menor em outra maior em todo o planeta. Para completar, o Pacaembu passará a ser o estádio do Alvinegro Praiano em São Paulo, agora que todos os outros times grandes da cidade terão e jogarão em suas próprias casas.

Os 11 títulos que o Santos ganhou jogando as finais no Pacaembu

Campeonatos Paulistas
1956 – 4 a 2 no São Paulo, em 03/01/1957
1962 – 5 a 2 no São Paulo, em 05/12/1962 (jogo decisivo. Com esta vitória, de virada, após estar perdendo por 2 a 0, o Alvinegro Praiano conquistou o seu sétimo título estadual).
1967 – 2 a 1 no São Paulo, em 21/12/1967
2010 – 2 a 3 contra o Santo André, em 02/05/2010

Torneios Rio São Paulo
1959 – 3 a 0 no Vasco, em 17/05/1959
1966 – 0 a 0 com o Corinthians, em 27/03/1966

Títulos Brasileiros
1962 – 4 a 3 no Botafogo/RJ, na primeira partida da decisão da Taça Brasil, em 19/03/1963.
1963 – 6 a 0 no Bahia, na primeira partida da decisão da Taça Brasil, em 25/01/1964.
1964 – 4 a 1 no Flamengo, na primeira partida da decisão da Taça Brasil, em 16/12/1964.
1965 – 5 a 1 no Vasco, na primeira partida da decisão da Taça Brasil, em 01/12/1965.

Copa Libertadores da América
2011 – 2 a 1 no Peñarol, em 22/06/2011

O 12º título,em torneio internacional
Citei apenas competições oficiais. Porém, o Santos conquistou mais um título relevante no Pacaembu: o do Torneio Internacional organizado pela Federação Paulista de Futebol no início de 1956, com as participações de Boca Juniors, Nacional (Uruguai), Newell’s Old Boys e os quatro grandes de São Paulo. Depois de vencer Boca Juniors (3 a 2), nacional (5 a 0) e Newell’s Old Boys (4 a 2), o Santos fez a final contra o New Old Boys, no Pacaembu, em 21 de março de 1956, e goleou por 5 a 2, depois de terminar o primeiro tempo vencendo por 3 a 0. Um detalhe: Pelé ainda não atuava pelo Alvinegro Praiano.

Além dos títulos, o Santos jogou no Pacaembu as finais da Taça Brasil de 1966 (derrota parta o Cruzeiro, por 2 a 1) e do Brasileiro de 1995 (derrota para Márcio Rezende de Freitas por 1 a 1).

A verdade sobre o maior público
Muitos divulgam que o maior público do Pacaembu foi o da partida São Paulo 3, Palmeiras 3, em 24/05/1942, com a estreia de Leônidas da Silva em clássicos. Não é verdade. Naquele jogo estipularam, sem comprovação, que 4.000 sócios de cada clube teriam entrado, o que resultaria em um público de 71.281. Estudos mostram que não havia nem metade desses sócios. Por sua vez, o jogo Santos 1, Palmeiras 1, teve 68.327 pagantes (além de umas dez mil pessoas que não conseguiram entrar). Vivia-se a época em que a torcida do Santos era a mais participativa de São Paulo. Neste jogo, em que fui um dos não conseguriam entrar, havia, no mínimo, 65% de santistas.

Santista, prestigie os eventos do Centenário no Museu do Futebol, tá? Por falar nisso, ainda estou recebendo sugestões para o Centenário. Mande a sua.