Lançamento: Salão de Mármore do Santos, em 9 de abril, com a presença de Pelé.

Com a volta de Juan e Henrique e a confirmação de Neymar, que deu um susto ontem ao torcer o tornozelo no CT Rei Pelé, o Santos terá a chamada força máxima hoje, às 22 horas, contra o peruano Juan Aurich. Por mais que seja de bom alvitre respeitar o adversário, eu não ficaria surpreso se nuestros amigos volvessem a su casa com un saco de goles. E bem que merecem pelos pontapés e por aquele “gramado” ridículo no qual obrigaram o campeão da América jogar.

Só mesmo a pré-histórica Conmebol do pré-histórico Nicolas Leóz para aprovar um gramado sintético na Copa Libertadores. Mas, tudo bem, hoje é noite de festa no estádio em que o Santos conquistou mais títulos. Alguém tem dúvidas de que o velho e belo Pacaembu estará lotado? Sim, lotadaço e empolgado para ver o melhor time das Américas, formado por Rafael, Fucile, Edu Dracena, Durval e Juan; Arouca, Henrique, Ibson e Ganso; Neymar e Borges.

O Juan Aurich, que tem tudo para ser mais um João hoje, jogará com Penny, Guizasola, Fleitas, Contreras e Quina; Rojas, Ortiz, Cueto e Kahn; Zuñiga e Tejada. Esse Tejada, todo mundo sabe, é o único atacante perigoso deles. Portanto, um discreto lembrete ao Muricy: MANDA MARCAR BEM O TEJADA!!!

O trio de arbitragem é argentino. Patricio Loustau apitará, auxiliado Diego Bonfa e Javier Uziga. Se descobrir o que árbitros podem fazer em uma partida, já é uma incógnita, imagine árbitros argentinos atuando em um jogo de time brasileiro. Mas espero que se saiam bem, e caso isso ocorra, pode escrever aí: o time peruano não terminará com 11 homens. E nem com 10!

Se vencer, o Santos assumirá a liderança do grupo – e precisa vencer, pois esse Juan Aurich é o fiel da balança. Quem deixar de ganhar dele, dançará. A lógica é o Alvinegro Praiano golear hoje e golear também o The Strongest, que quando desce de suas montanhas vira o The Weakest. A decisão do primeiro lugar do grupo deverá ficar para Porto Alegre, e o Santos deverá jogar por um empate. Mas vamos por partes. Hoje é dia de fatiar o peru.

Neste sábado, Dalmo Gaspar e pesquisadores no Museu do Futebol

Neste sábado, a partir das 8h30m (da manhã, claro), o grupo Memofut, que se dedica ao estudo e à pesquisa da história do futebol brasileiro, realiza reunião no auditório do Museu do Futebol do Pacaembu em homenagem ao Centenário do Santos. A entrada é gratuita.

O destaque será a presença de Dalmo Gaspar, lateral-esquerdo que marcou, de pênalti, o gol que deu ao Santos o bicampeonato mundial de futebol, em 1963. Na oportunidade, os pesquisadores Celso Unzelte e Odir Cunha palestrarão sobre a história do Santos e apresentarão imagens inéditas do livro “100 anos, 100 jogos, 100 ídolos”, a ser lançado nessas comemorações do Centenário santista.

A seguir, a programação completa:

8h30 – 9h: Café e Memorabilia Futebolística: Os participantes poderão trazer qualquer livro, artigo ou objeto antigo ligado ao futebol.

9h – 9h15: Comunicações iniciais e apresentações dos novos integrantes.

9h15 – 10h15: Bate-papo Bola com Dalmo Gaspar.

10h15 – 10h30: Intervalo.

10h30 – 11h45: “O Centenário do Santos”, com Celso Unzelte e Odir Cunha.

11h45 – 12h30: “Os Clássicos do Santos contra seus Maiores Rivais”, com Alexandre Andolpho.

Garanta seu lugar no lançamento do livro Santos – 100 Anos de Futebol Arte

Que tal participar de um evento de lançamento de um livro oficial do Centenário do Santos, no Salão de Mármore do clube, com a presença de altas personalidades santistas, entre alas o Rei do Futebol?

Estou me referindo ao lançamento do livro “Santos FC – 100 anos de Futebol Arte”, dia 9 de abril, segunda-feira, a partir das 18 horas, no Salão de Mármore Vasco José Fae, na Vila Belmiro. Produzido pela Editora Magma Cultural e escrito por este humilde blogueiro que vos fala, o livro teve a edição esmerada de Marco Piovan. Sou suspeito, mas acho que é o livro mais bonito já feito sobre o Santos.

Quem realmente estiver interessado em adquirir o livro neste evento, pode responder com um comentário neste post. Seu nome completo será enviado para os organizadores do evento e colocado na lista de convidados. Mas só os primeiros 50 entrarão na lista. Decida-se hombre!

Como é esse livro

A obra faz parte das comemorações dos 100 anos de história do clube e conta com um texto emocionante do Rei Pelé, que declara o seu amor e gratidão ao time que o revelou para o mundo do futebol. Atual presidente do Santos, Luis Alvaro Ribeiro expressa o orgulho de ser santista e continuar o legado de seu avô, que foi um dos fundadores do clube.

O historiador Odir Cunha, autor de diversos livros sobre o Santos FC, assina esta obra e homenageia os 22 maiores ídolos da história do clube praiano. Entre eles, Pelé, Zito, Gylmar, Carlos Alberto Torres, Pepe, Coutinho, Edu, Pagão, Clodoaldo, Giovanni, Robinho, Ganso e Neymar.

Outro destaque de “Santos FC – 100 anos de Futebol Arte” são as fotografias e textos apaixonados de torcedores famosos, como Aloizio Mercadante, Fausto Silva, Marcelo Tas, Eduardo Suplicy, Geraldo Alckmin, Milton Neves, Charlie Brown Jr, Mônica Waldvogel, Paulo Henrique Amorim, Chitãozinho e Xororó, Titãs, Arnaldo Antunes e Zeca Baleiro.

Os torcedores anônimos não foram esquecidos e, dentre os milhões de fanáticos pelo Alvinegro Praiano, 30 foram escolhidos para integrar a obra e contar suas histórias de alegrias, paixão e humor. “Santos FC – 100 Anos de Futebol Arte” retrata a história gloriosa de um dos maiores clubes de futebol do mundo, com destaque para seus ídolos e conquistas.

Serviço
Lançamento do livro “Santos FC – 100 anos de Futebol Arte”
Onde: Salão de Mármore Vasco José Faé
Endereço: Praça Princesa Isabel, s/n – Vila Belmiro – Santos (SP)
Quando: 9 de abril de 2012
Horário: 18 horas

Sobre a Magma Cultural

A Magma Cultural é uma editora especializada na produção de livros de arte sobre arquitetura, design, fotografia, esportes e história. A editora se propõe a explorar as riquezas da arte e da cultura brasileiras, utilizando a brasilidade como principal essência e empregando sofisticação na linguagem dos projetos e produtos, criando propriedades com valores conceituais e patrimoniais.

Fundada em 2003, a editora já publicou diversas obras premiadas por sua estética e design. Em 2008, o livro “As Moedas Contam a História do Brasil” venceu o primeiro lugar do Jabuti, premiação de maior prestígio no setor editorial, na categoria Projeto Gráfico. O mesmo livro levou o terceiro lugar na categoria Capa, enquanto “Johnny – Eles Falam da Alma” e “Marc Ferrez – Santos Panorâmico” ficaram entre os 10 melhores nas categorias Fotografia e Projeto Gráfico, respectivamente. Em 2009, foi a vez de “60 Artistas e Arquitetos” ficar entre os 10 melhores na categoria Projeto Gráfico. Em 2006 e 2007, “Príncipe de Astúrias – O Mistério das Profundezas” e “De Santos a Jundiaí – Nos Trilhos do Café com a São Paulo Railway” ficaram entre os 10 melhores na categoria Capa.

E o que você espera de Santos e Aurich, logo mais?