Os passageiros do Grand Mistral que viram o clássico de domingo ficaram abismados com a postura medrosa do outro alvinegro. “Mesmo quando já estavam perdendo, continuaram marcando no seu campo”, revela o conselheiro santista Olivério. “Um a zero foi pouco”, concorda Reinaldo, outro conselheiro, com quem eu e Suzana almoçamos diante da visão paradisíaca das praias de Angra dos Reis.

E em pensar que no mesmo momento em que o Santos dominava inteiramente o jogo, o comentarista Caio Ribeiro, da TV Globo, afirmava que o alvinegro da capital tinha melhor time do que o Santos. Que absurdo! Por essas e outras é que os santistas esclarecidos sabem que está em marcha uma campanha de desinformação esportiva para, convenientemente, inverter os valores do futebol brasileiro.

No último programa Cartão Verde, o capitão do Tri, Carlos Alberto Torres, afirmou que hoje, assim como nos tempos do técnico João Saldanha, a Seleção Brasileira deveria eleger um time como base e convocar boa parte de seus jogadores, pois isso garantiria o entrosamento necessário. E Carlos Alberto perguntou: “Hoje, qual é o melhor time do Brasil?”. E ele mesmo respondeu: “É o Santos!”.

Que o simpático Caio me desculpe, mas entre ele e Carlos Alberto Torres, acho que não há qualquer dúvida de quem entende mais de futebol. E se analisarmos bem, veremos que seria mesmo mais inteligente eleger o Santos como a base do Escrete e enxertar alguns jogadores de outros times. A não convocação de Arouca, por exemplo, é inexplicável.

Um talk show com Edu, Negreiros e Manoel Maria

Daqui a pouco, a bordo do Grand Mistral, o transatlântico do Cruzeiro do Centenário, comandarei um talk show com as presenças dos craques Edu, Negreiros e Manoel Maria, todos integrantes do timaço do Santos de 1968/69, um time que era um dos melhores do mundo e que hoje seria mais forte do que a própria Seleção Brasileira. Se tiver alguma pergunta para fazer para eles, pode mandar.

E você, acha que há um time melhor do que o Santos no Brasil?