Este é o selo que será lançado dia 9 de maio pela República de San Marino, na Europa, em homenagem ao Centenário do Santos. Serão impressos 120 mil selos ao valor unitário de um euro. Nem é preciso dizer que não é qualquer time que recebe esse honraria dos serviços postais de San Marino.

Prepare-se para a Carreata e a Romaria no próximo sábado

O próximo sábado é o dia tão esperado do centésimo aniversário do Santos. Peço a sua presença e participação. Nada se exige, a não ser a vontade de reverenciar o maior time de todos os tempos.

A carreata terá como ponto de partida o Pacaembu, a partir das 10 horas. Seguirá pela avenida Paulista, 23 de maio, Bandeirantes e Imigrantes, até a Vila Belmiro.

A Romaria partirá às 14 horas do local em que o Santos foi fundado – antiga Rua do Rosário, 18, hoje Rua João Pessoa, 10, sobreloja da Propastik. Deverá ser afixada uma placa informando que no local foi fundado o Santos Futebol Clube. Em seguida, seguiremos a pé, em procissão, até a Vila Belmiro, o templo sagrado do futebol. Leve bandeiras, vista a camisa do Santos.

Neste domingo tem espetáculo no Anacleto Campanella

O Santos completo é sinônimo de espetáculo. Portanto, quem for ao Anacleto Campanella, não deverá se arrepender. De Rafael a Neymar, todos os titulares do Alvinegro Praiano serão colocados em campo pelo técnico Muricy Ramalho. Não perca essa chance de ver o melhor time das Américas.

A arbitragem será de Mauricio Antonio Fioretti, auxiliado por Leandro Almeida dos Santos e Matheus Camolesi São Caetano. A seguir, a escalação provável dos dois times:

São Caetano: Luiz, Pedro Balu, Gabriel, Eli Sabiá e Diego;
Marcone, Moradei, Anselmo e Marcelo Costa; Geovane e Pedro Júnior.
Técnico: Márcio Araújo

Santos: Rafael, Fucile, Edu Dracena, Durval e Juan; Henrique, Arouca, Adriano, Ibson e Ganso; Neymar e Borges. Técnico: Muricy Ramalho

Retrospecto de Santos x Caetano

Por Wesley Miranda

Santos e São Caetano já se enfrentaram 27 vezes ao longo da história. O Peixe venceu mais da metade, 15 jogos contra 7 derrotas e 5 empates. O time de Santos marcou 45 gols e o time do ABC 32.

Dos grandes de São Paulo, o Santos é o que tem a vantagem mais dilatada em cima do Azulão. Em Paulistas, são 13 jogos, com 8 vitórias do Santos e 2 vitórias do São Caetano e 3 empates. O Peixe marcou 26 gols e sofreu 19.

Vitórias, empates e derrotas do Santos
Brasileirão: 4, 1, 5
Paulistas: 8, 3, 2
Rio-SP: 1, 0, 0
Sul-americana: 1, 1, 0
Amistosos: 1, 0, 0

Artilheiro
O artilheiro do confronto é Robinho, o rei das pedaladas, com 5 gols. O time do ABC é uma das maiores vitimas de Robinho, que distribuiu seus gols em 5 partidas diferentes. São dois vice –artilheiros: o talismã Basílio e o curinga Elano. Sendo o segundo o autor do gol que abriu a importante vitória de 3 a 0 que colocou o Santos na liderança do Brasileiro 2004 faltando apenas uma rodada para o fim do certame.

O primeiro encontro
O primeiro confronto aconteceu em 21/04/2001 pela primeira fase do Paulistão. E o Santos venceu pelo placar de 2 a 1, com gols de Renato e Rincón. Com o resultado o Alvinegro Praiano aumentou suas chances de classificação para as semifinais e praticamente eliminou o rival.

O jogo só termina quando acaba… a rodada
Desfalcado do surpreendente goleiro Júlio Sérgio e do cão de guarda Paulo Almeida, o Santos jogava sua vida no Brasileiro de 2002 contra o forte e já classificado São Caetano pela última rodada da 1ª fase. O Peixe não conseguiu repetir seu bom desempenho e perdeu o jogo decisivo por 3 a 2. A impressão é de que por mais um ano o Peixe nadava e morria na praia… Ledo engano A apatia deu lugar à euforia quando todos se deram conta de que a vitória do já rebaixado Gama por 4 a 0 em cima do Coritiba era suficiente para a classificação do Santos para as quartas de finais. Depois disso a torcida não esquece! Quem mandou deixar passar… Santos Campeão Brasileiro 2002!

E o Octo clareou
Se em 2003 o Santos eliminou o time do ABC da Sul americana (1×0 e 1×1), em 2004 foi a vez do troco pelas semifinais do Paulista (3×3 e 0x4).
Mas o confronto válido pela penúltima do Brasileirão 2004 foi uma decisão só para o Santos, que precisava vencer e torcer para o Vasco bater o Atlético/PR em São Januário. Para o São Caetano não valia nem vaga na Libertadores, já que o time havia sido punido pelo sempre polêmico STJD com a perda de 24 pontos no caso da morte do zagueiro Serginho.
Com a bola rolando, o jogo seguiu equilibrado até o gol do sempre decisivo Elano. Na etapa complementar, o guerreiro da Vila Léo sofreu pênalti e Ricardinho ampliou aos 7. Esse foi o 100 gol santista no certame! A terceira e talvez maior comemoração de gol da tarde aconteceu antes do talismã Basílio ampliar aos 16 minutos, quando o Vasco marcou o primeiro e único gol da sua partida em São Januário contra o Atlético Paranaense. Com esse resultado o Santos passava a depender de uma simples vitória em cima do próprio Vasco na última rodada – o que aconteceria –, ou um tropeço do Atlético/PR para o Botafogo, o que aconteceu também. E o Santos se sagrou Octocampeão Brasileiro, estabelecendo um recorde até hoje inalcançável de 103 gols no certame!
E o avião com o piloto automático de Levir Culpi perdeu a rota se espatifou no mar de Copacabana.

O Messias voltou
No dia 20/06/1996 na vitória em cima do Real Madrid por 2 a 0 com gols de Camanducaia e Jamelli, o Messias G10vanni fazia sua última partida com a camisa santista até então.
Foram 9 anos de espera para que o torcedor pudesse ver G10vanni no Santos novamente. E foi em um Santos e São Caetano, em 26/06/2005, que ele marcou o primeiro gol na 2ª passagem.
O jogo
Em litígio com Robinho e negociando Léo com Benfica, o desatencioso Santos não vencia há um mês. Mas antes mesmo do relógio completar um minuto de jogo, Deivid balançou as redes depois de lançamento de Paulo César. O lateral-direito Alessandro empatou aos 26. No último minuto da primeira etapa, Luciano Henrique sofreu pênalti e Ricardinho converteu. N o segundo tempo a festa ficou completa quando G10vanni tabelou com Deivid, se livrou da marcação e marcou um belo gol, dando números finais ao prélio, 3 a 1.

O time da virada, o time do amor
Não tem como se esquecer do maior de todos os confrontos: a final do Paulista de 2007. O Azulão tinha a vantagem e podia perder por 1 gol de diferença que ficava com o 2º título Paulista de sua história. Ao Santos apenas uma vitória por dois gols de diferença dava o título e, conseqüentemente, o Bi.
Quem esteve naquela tarde no Morumbi viu o torcedor santista se inflamar nas arquibancadas como raramente se vê. E antes mesmo do início da partida a euforia era generalizada.
O resultado veio, no sufoco, mas veio. Depois de algumas boas chances que pararam no bom goleiro Luiz, Adaílton de cabeça, após cobrança de escanteio, abriu o marcador aos 24 minutos do primeiro tempo, dando a impressão de que as coisas seriam fáceis. Mas as grandes chances desperdiçadas transformaram o episódio com um enredo dramático. O Santos insistiu em jogadas aéreas, e só chegou ao segundo gol, o do título, aos 36 minutos da segunda etapa, com Moraes depois de cruzamento preciso do fundamental lateral Kleber. O Santos conquistava seu 17º título estadual e o seu 5º Bi Paulista. Moraes filho de Aluísio Guerreiro e irmão de Bruno Moraes ganhou status de herói e se transformou no “artilheiro de um gol só” e será sempre lembrado pela façanha!

Robinho volta em grande estilo
Já classificado e soberano na campanha, o Santos contou com a volta do rei das pedaladas contra o São Caetano pela penúltima rodada do Paulistão 2010 – Robinho havia ficado de fora por 4 jogos, devido uma lesão.
E o Peixe abriu o placar no primeiro lance com o meia Marquinhos. Antes do fim do primeiro tempo, Hugo empatou para o Azulão. No 2º tempo, o Santos ficou novamente na frente com Neymar de cabeça, e ampliou com Robinho aos 34’. Com esse resultado o São Caetano deu adeus à disputa por uma vaga nas semifinais.

Vocês Sabiam?
Müller, Chulapa, Edinho, Ânderson Luis são alguns jogadores que brilharam no Santos e jogaram no São Caetano.

E você, o que acha dos assuntos do post?