Com a vitória sobre o Valente Guarani por 4 a 2 – dois de Neymar, dois de Alan Kardec – e o preciosíssimo tricampeonato paulista, em um Morumbi totalmente alvinegro, o Santos, campeão da Libertadores e melhor sul-americano do momento, confirma também sua hegemonia no campeonato estadual mais conceituado do País e deixa em todos uma pergunta: até onde este time pode chegar?

O futebol não permite uma resposta precisa a esta pergunta. Cada competição é uma nova história. Mas não seria nenhuma surpresa se a equipe dirigida por Muricy Ramalho e estreladoa por Neymar e Ganso ganhasse de novo a Copa Libertadores, conquistasse o Campeonato Brasileiro e vencesse também o Mundial da Fifa. Bola pra isso ela tem.

Além de manter um alto nível técnico, este Santos é mais experiente a cada decisão, e isso pesa muito. Não há um time brasileiro tão maduro e confiante como o Alvinegro Praiano. Não só por ter Neymar e Ganso, mas por contar com um elenco equilibrado, com jogadores tarimbados e de grande categoria, como Edu Dracena, Elano, Aranha, Arouca e Léo; e outros que crescem a cada dia, como Adriano, Juan, Fucile e Alan Kardec (para completar, há ainda Rafael, Durval, Borges, Ibson, Maranhão, que seriam titulares em quase todos os outros grandes clubes brasileiros).

Hoje Muricy tem nas mãos um time eficaz e experiente, capaz de suportar pressões e superar obstáculos que para outros seriam intransponíveis. E o melhor de tudo isso é que mesmo consciente de sua força, o Santos é um time que foge da empáfia como o diabo da cruz.

Adorei ouvir de Rafael, Alan Kardec, Ganso e Neymar que o forte do Santos está na humildade e no respeito aos adversários. Este é um sinal de sabedoria. Sem esta visão não se consegue nada no futebol, nem na vida. Esta filosofia é que faz o time trabalhar cada vez mais para conseguir seus objetivos.

Sinto uma grande harmonia em todos os setores do Santos, dos jogadores à diretoria, passando pela comissão técnica. E em todos pressinto a mesma consciência de que as conquistas só vêm com muito trabalho e com os cuidados que todo adversário exige.

Até por isso aproveito para parabenizar o Guarani pelo grande jogo. Merecia até sair com vantagem no primeiro tempo. Lutou como um leão, lutou, foi pra cima, marcou dois gols e não teve medo do Santos ou de um Morumbi lotado de torcedores contrários. Foi um adversário digno, que também entrou para a história, como o legítimo vice-campeão paulista de 2012, deixando o decantado trio de lata para trás.

Veja e reveja os gols do maravilhoso Tri-Tri!

http://youtu.be/5NmYXP3bJoo

E pra você, qual tem sido a grande qualidade deste Santos campeão?