Neymar jogou bem, Neymar jogou mal… Parece que não há outro assunto na imprensa esportiva brasileira. Se ele faz um gol e dá assistências para outros três (um foi perdido), como contra os Estados Unidos, minimizam o seu mérito. Se “apenas” sofre faltas perto da área, dizem que jogou mal. Ora, e o resto do time? E o genial Oscar? E o técnico “quarta opção” que mantém o Menino de Ouro encurralado entre três marcadores e a linha lateral? Enfim, por que não param de encher o saco do garoto e o devolvem ao Santos, onde é respeitado e pode jogar sem pressão?

Do jeito que joga na Seleção, Neymar é um réles ponta-esquerda, e o que pode um ponta-esquerda? Pode no máximo chegar à linha de fundo e cruzar para trás – como Garrincha fazia na direita. É que Neymar acostumou mal todo mundo ao decidir jogos e mais jogos apesar de jogar entre a linha lateral e a linha de fundo e estar sempre marcado por dois ou três adversários geralmente maldosos.

Mano Menezes quer que Neymar garanta seu emprego; os jornalistas brasileiros balançam entre os elogios e a perseguição, e assim Neymar continua na berlinda. Ora, se Neymar não joga na Seleção o mesmo que no Santos, desconvoquem-no e o deixem voltar ao Alvinegro Praiano, onde é respeitado.

Neymar nunca disse que era o salvador da Seleção Brasileira. Se querem que seja, que lhe deem liberdade para jogar em qualquer lugar do campo. Esperar que um ponta decida os jogos é não entender absolutamente nada de futebol. Mais do que isso: é agir com tremenda má fé.

Você não acha que o Mano Menezes deveria desconvocar o Neymar?