O Santos vive uma incongruência. Como ficou claro no episódio Martínez, o clube não tem dinheiro para contratar jogadores mais ou menos caros. Por outro lado, o técnico Muricy Ramalho acha que os garotos da base do Santos têm defeito de fabricação e qualquer um que venha de fora é melhor do que eles. Percebe a falta de sintonia?

A verdade que toda criança vê é que ou Muricy aprende rapidamente a lidar com os Meninos da Vila, ou não fará um bom trabalho no Santos, pois não há dinheiro para montar o time que ele quer.

E se há essa discrepância entre a realidade do clube e a filosofia do técnico, por que o clube renovou com ele? E se há falta de dinheiro, por que o Santos paga 700 mil reais por mês a Muricy?

Sempre que vem à baila a dificuldade de conseguir dinheiro para uma contratação, o santista se lembra dos decantados 40 milhões de reais
prometidos por Luis Álvaro durante as eleições.

A diretoria está tentando acertar, mas…

A impressão que fica é que a diretoria de futebol do Santos está tateando em busca de um caminho que está no meio termo entre o que Muricy quer e o que o Santos pode conseguir.

Com a economia gerada pelas saídas de Rentería, Alan Kardec, Elano, Borges, Maranhão e, possivelmente, Paulo Henrique Ganso, será possível trazer dois ou três jogadores titulares, impedindo que o time dependa tanto dos garotos que vêm de suas divisões inferiores.

Se a promessa do vice-presidente Odilio Rodrigues se cumprir e o Santos trouxer ao menos mais dois titulares absolutos, creio que o time brigará com boas chances por uma vaga na Libertadores de 2013.

Ficou provado contra o Grêmio que a vontade de ganhar às vezes supera a experiência. E o Santos tem muitos Meninos querendo aparecer. Duvido que, entre tantos, alguns não se firmem no time.

Sem Neymar, Felipe Anderson e Miralles formarão a dupla ofensiva (mas Victor Andrade e Dimba não devem ser descartados). No meio, o técnico poderá escalar Adriano, Arouca, Henrique e Bernardo, com este último aproximando-se mais do ataque. Pelo que vi jogarem, acho que Geuvânio e Émerson Palmieri podem ser experimentados como alas, pela esquerda.

Enfim, opções o professor Muricy terá, sim. Será fácil montar um bom time? Talvez não. Mas também não é comum um brasileiro ganhar 700 pilas por mês. Que ele faça jus ao alto salário. Ganhar uma fábula para escalar um time de medalhões, até eu, que sou mais bobo.

E para você, o que falta ao Santos? Dinheiro, competência, ou ambos?