O imobilismo de Muricy Ramalho é tão irritante, que o santista costuma ficar contente quando alguns titulares não podem jogar, pois só assim o técnico mexe no time, geralmente para melhor. Neste domingo, no Couto Pereira, a partir das 16 horas, o Santos estará desfalcado de Durval e Felipe Anderson, suspensos; Léo, com dores no joelho, e Adriano, com o tornozelo inchado. Com isso David Braz volta a fazer dupla com Bruno Rodrigo na zaga; Bernardo deve entrar no meio-campo; Juan será o lateral-esquerdo e Ewerton Páscoa um dos volantes.

Matematicamente o Santos ainda pode lutar por uma vaga na Copa Libertadores de 2013, mas se depender do ânimo de Muricy, que não gosta de preleção motivacional e na última entrevista falou até em aposentadoria, eu espero o domínio do Coritiba e, no máximo, um empate.

Mas o Coritiba é melhor do que o Santos? Não. O técnico do time do Paraná, Marquinhos Santos, tem um currículo minimamente parecido com o de Muricy? Não. Então, só o fato de jogar em casa dá ao Coxa a condição de favorito? Não. Então, por que o Coritiba teria mais chances de vencer a partida? Bem, simplesmente porque quererá mais vencer o jogo. A não ser que Neymar desequilibre de novo…

Aliás, Muricy restringiu a Neymar quase todas as possibilidades de vitória do Santos: “O Neymar é diferente. Ele muda qualquer jogo e ajuda demais, mesmo estando desgastado e um pouco abaixo do peso. Só que o lado individual dele é muito forte e até mesmo os companheiros acreditam mais na vitória quando ele está em campo”, disse o criador da estratégia genial que pode ser resumida em uma úncia frase:”dá a bola pro Neymar, pô!”.

Ah, o torcedor que acha que o gol salvador contra o Flamengo deu ao garoto Victor Andrade a chance de sair jogando em Curitiba, pode tirar o cavalo da chuva. Muricy deve entrar com Patito Rodríguez. E se não começar com Bernardo, deverpa optar por Gérson Magrão ou João Pedro.

Times prováveis

Árbitragem: Ronan Marques da Rosa, de Santa Catarina, auxiliado por Rodrigo Pereira Joia e Rodrigo Henrique Correa, ambos do Rio de Janeiro.
Coritiba: Vanderlei; Ayrton, Escudero, Demerson e Eltinho; Willian, Gil, Robinho e Everton Ribeiro; Éverton Costa e Deivid. Técnico: Marquinhos Santos.
Santos: Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, David Braz e Juan; Ewerton Páscoa, Arouca, Bernardo e Patito Rodríguez; Neymar e André. Técnico: Muricy Ramalho.

Retrospecto Santos x Coritiba

Por Wesley Miranda

Santos e Coritiba se enfrentaram 40 vezes ao longo da história. E a vantagem é amplamente santista, com o dobro de vitórias: 22 contra 11 do Coxa e sete empates. O Alvinegro marcou 72 gols e o Alviverde 49.

Em Brasileiros, com o primeiro encontro apenas na Taça de Prata de 1969, foram 30 jogos, com 17 vitórias do Santos contra nove vitórias do Coritiba e quatro empates. O Peixe marcou 52 gols e o Coxa Branca 38.

Artilheiros Santistas
O artilheiro santista no confronto é o atacante Carabina, com seis gols no primeiro jogo entre as duas equipes. O vice artilheiro, com cinco gols, é Pelé, que jogou sete partidas contra a equipe paranaense, ganhando quatro, empatando duas e perdendo uma. Robinho, Fabiano e Neymar marcaram três gols cada e figuram bem na lista de principais artilheiros do Santos.

O primeiro encontro
O primeiro confronto entre as equipes aconteceu no dia 20 de maio de 1941, e marcou o artilheiro santista do histórico. Segundo o pesquisador Guilherme Nascimento, o estreante Carabina, autor de seis gols, marcou cinco vezes de cabeça, façanha que só foi igualada por Odair Titica em 1948, na vitória do Santos sobre o Comercial (SP) por 5 a 4. Carabina foi artilheiro do Santos na temporada de 1941, com 30 gols. Raul, Cláudio, Bonje e Tom Mix completaram a goleada.

O Santos do técnico Dario Letona formou com Victor; Neves e Ari Fernandes; Botelho, Elesbão e Inglês; Cláudio, Bonje (Orestes), Carabina (Raul), Antoninho e Tom Mix.

Esse jogo histórico também marcou a estreia do cerebral meia Antoninho Fernandes, um dos principais personagens da história centenária.

Primeiro encontro em Brasileiros
Mesmo a equipe paranaense tendo participado da Taça Brasil de 1960 (o Coritiba perdeu a vaga no sorteio depois de três empates com o Grêmio) e de 1961 (eliminado pelo Palmeiras em três jogos decisivos), o primeiro confronto contra o Santos em Brasileiros aconteceu apenas no Robertão de 1969, no dia 22/10, no Estádio Belfort Duarte*, com vitória do Peixe por 3 a 1, com gols de Pelé (2) e Edu. O Rei ficou a apenas cinco gols de marcar o milésimo.

O Santos formou com Agnaldo; Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Djalma Dias e Turcão (Jair Bala); Clodoaldo e Lima; Manoel Maria, Edu, Pelé e Abel(Luís Carlos). Técnico Antoninho Fernandes.

Estádio Belfort Duarte
Inaugurado em 1932, o estádio do Coritiba foi renomeado em 1977 para Estádio Major Antônio Couto Pereira.

O “presente” de Lela
No aniversário de 73 anos do Santos, no Couto Pereira, pela 10ª rodada do segundo turno, a partida estava empatada em 1 a 1, gols dos zagueiros Márcio Rossini para o Santos e Vavá para Coritiba, quando o atacante Lela (pai do atacante Alecsandro, do Vasco, e do meia Richarlyson, do Atlético-MG) acertou um chute cruzado no gol de Marola e deu a vitória ao time da casa. O Coritiba conquistaria o Campeonato Brasileiro daquele ano de 1985, batendo o Bangu na final.

www.youtube.com/watch?v=D06aodPZC2g

Copa União 1987
Em partida realizada pela Copa União 87, o Santos venceu o Coritiba no Pacaembu com gols de Chicão e Osmarzinho. Essa foi uma das duas vitórias do Santos no campeonato em que acabou eliminado junto com o Coxa na primeira fase.

O Peixe do técnico Geninho formou com Rodolfo Rodriguez; Raul, Davi, Nilson e Luisinho; César Sampaio, César Ferreira (Osmarzinho), Mendonça e Glauco; Chicão e Arizinho (Celso).

www.youtube.com/watch?v=6qxaoAMzHLg

WO e rebaixamento
Em 1989, o Coxa se negou a aceitar uma mudança de calendário que fazia com que jogasse um dia antes do Vasco – adversário com quem brigava pela classificação no grupo. Em protesto, o Coritiba não compareceu ao jogo contra o Santos em Juiz de Fora e foi punido pela CBF com a derrota por 1 x 0, a perda de mais 5 pontos e a queda automática para a Série B.

Briga pela oitava vaga
No Brasileiro de 2002, Santos e Coritiba disputaram uma vaga nas quartas de final. O Santos, que perdeu para o São Caetano por 3 a 2 dependeu do já rebaixado Gama, de Dimba (tio do jogador Dimba), que venceu o time paranaense por 4 a 0. Caso o Coritiba vencesse, estaria classificado.

A volta do Guerreiro
Aos 38 minutos do segundo tempo, após dois anos e cinco meses de luta contra a leucemia, entrava em campo Narciso. A partida disputada no dia 25 de outubro de 2003 no estádio Couto Pereira já estava 4 a 0 para o Santos, mas não impediu que a torcida adversária o aplaudisse de pé. Narciso atuou no Santos de 1994 a 2004 em 267 partidas, marcando 13 gols.

O Peixe do técnico Leão formou com Fábio Costa; Neném (Reginaldo Araújo), Pereira, André Luís e Léo; Paulo Almeida (Daniel), Renato, Elano e Diego (Narciso); Robinho e Fabiano.

www.youtube.com/watch?v=8jK3q-6N2Ms

No épico Brasileiro de 2004…
Em partida realizada no Couto Pereira, no dia 21/11, pela 42ª rodada do épico e concorrido Brasileiro de 2004, o desfalcado Santos venceu por 1 a 0 com gol do atacante Deivid aos 20 minutos do segundo tempo. Com o resultado, o Santos seguiu de perto na luta pelo título com 79 pontos contra 81 pontos do rival do Coritiba, o Atlético-PR. Faltando quatro rodadas para o termino do certame.

O Peixe formou com Mauro, Ávalos, Antônio Carlos e André Luis; Flávio, Fabinho, Zé Elias(Marcinho), Ricardinho e Léo(Marcio Careca); Basílio(Luís Augusto) e Deivid. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

No primeiro turno, no dia 29/07, na Vila Belmiro, o Santos também jogou desfalcado, mas venceu o Coritiba por 4 a 2, com gols de Elano (2), Deivid e Basílio.

O Peixe formou com Tápia; Paulo César, Andre Luis (Domingos), Ávalos e Léo; Fabinho, Bóvio, Elano (Marcinho) e Luis Augusto (Lelo); Basílio e Deivid. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

www.youtube.com/watch?v=1EDyVu_qgFQ

Briga pela permanência na Série A
Se em 2002 os times disputavam uma vaga nas quartas, em 2009 os times se enfrentaram para permanecer na serie A. A vitória do Santos por 4 a 0 no dia 22 de novembro de 2009 garantiu o Alvinegro Praiano na elite e colocou o Coxa próximo à zona de degola. E a queda aconteceu dois jogos depois. Neymar marcou pela primeira vez dois gols na mesma partida jogando na Vila.

O Peixe formou com Felipe; Pará, Adaílton, Eli Sabiá e Léo (Triguinho); Rodrigo Mancha, Rodrigo Souto, Madson (Róbson) e Paulo Henrique Lima; Neymar e Kléber Pereira (Jean). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

www.youtube.com/watch?v=aGG5HOwDliM

No primeiro turno
No dia 24/06, o Santos enfrentou o Coritiba na Vila Belmiro e empatou em 2 a 2 com gols de Edu Dracena e Neymar.

O Peixe formou com Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano (Maranhão), Arouca e Elano; Alan Kardec, Borges (Felipe Anderson) e Neymar. Técnico: Muricy Ramalho.

www.youtube.com/watch?v=nKXnQXfxj9g

Edu Dracena
Esse foi o 13º gol do zagueiro pelo Peixe, que ainda balançou a rede na vitória contra o Grêmio por 4 a 2, chegando ao 14º tento.

O capitão Edu Dracena está a um gol de igualar Joãozinho (1977 a 1983), Márcio Rossini (1981 a 1985 e 1990) e André Luis (2000 a 2004) com 15 gols. O maior zagueiro artilheiro do Santos é Alex (2002 a 2004) com 20 gols.

Curiosidades – Brilharam aqui e lá
Filho do jogador Juvenal Ferraz de Negreiros, que jogou pelo Peixe nos anos de 33 e 34 (17 partidas e 10 gols), Walter Ferraz de Negreiros, ou só Negreiros, subiu aos profissionais em 1967, junto com Clodoaldo e Douglas. O polivalente Negreiros jogou 129 partidas pelo Santos e marcou 13 gols entre 1967 e 1972. No Coxa, fez parte do time que conquistou o Hexacampeonato Paraense (1971 a 76).

Destaque santista de 1990, Kazuyoshi Miura teve ótima passagem pelo Coritiba quando conquistou seu primeiro título na carreira, o Paranaense de 1989, ao lado de Carlos Alberto Dias, Serginho, e os ex-santistas Chicão, Oswaldo e Tostão II, além do técnico Edu Coimbra. No Peixe, o japonês atuou em 35 partidas e marcou 4 gols.

E você, o que acha que vai acontecer em Coritiba?