Por Francisco Carvalho

Não vi o jogo contra o Náutico e não assisti às entrevistas. Tudo o que sei li neste espaço. Surpresa, apenas a verborragia do Neymar:“Eles não podem ficar só olhando pra minha cara, esperando que eu resolva”. Por mais revoltado que estivesse e ainda que tenha motivos para revoltar-se, Neymar não tem o direito de justificar vexame, botando a culpa nos demais jogadores.

Nós, que condenamos declarações deste tipo quando provenientes do Muricy Ramalho, não podemos aceitá-las vindas do Neymar, até porque, por mais paradoxal que pareça, verborragia inconsequente pode ter consequências, sendo uma delas a represália dos ofendidos. E quem sairia prejudicado, caso os companheiros, publicamente rotulados como omissos, resolvessem boicotar o Neymar? O Santos Futebol Clube.

Nenhum de nós torcedores duvida de que Neymar é o maior jogador surgido no Santos, depois da era Pelé. Nenhum de nós torcedores duvida da frase quase-jargão entre santistas: “O Santos com Neymar seria candidato ao título, enquanto o Santos sem Neymar luta contra o rebaixamento”. Por isso há quem acuse a CBF, o Mano Menezes, o Andrés Sanches e até o ex-presidente Lula de conspiração contra o Santos, cada vez que o Neymar é convocado para a seleção. Isto significa que é nele – e não no treinador ou em qualquer outro jogador – que a esperançado torcedor é depositada.

Não seria normal que os companheiros tecnicamente limitados, mas conscientes de suas limitações, também depositassem suas esperanças no único grande craque do time?

Neymar é o maior salário de todo o elenco do Santos. Recebe, mensalmente, uma quantia de prêmio de Mega-Sena acumulada, não por sua estranha cabeleira;mas por ser umjogador capaz de façanhas hercúleas. O provento é real, a esperança é real, a expectativa é real. Neymar tem que aprender a conviver com estas realidades. E, assim como, há três anos, aprendeu princípios de hierarquia, deve, agora, aprender princípios de convivência em grupo.

Se é aceitável que trabalhadores tenham diferentes remunerações, é igualmente aceitável que se espere mais, de quem ganha mais – e que se espere desempenho magnífico de quem tem salário magnífico. O preço que Neymar deve pagar por ser o grande diferencial do time do Peixe é a aceitação das responsabilidades decorrentes. É assumir: “Eu sou o bom. Sou eu que resolvo, mesmo.” E resolver. Mais ou menos como faz a Marta, na seleção feminina do Brasil. E eu nunca vi a Marta criticando as companheiras por esperarem que ela resolva.

É a velha história da cachaça e do tombo.

Não está pronto para tomar a cachaça; Quem não está preparado para levar os tombos.

Você concorda que as declarações de Neymar podem ser prejudiciais a ele mesmo e consequentemente ao Santos?


Aviso aos amigos e leitores que o Odir estará de volta no dia 1º de Novembro, quinta-feira. Agradeço a todos que enviaram colaborações e mantiveram o espaço vivo e respirando Santos FC nesse período!