Os santistas menos pacientes podem ter ido dormir mais cedo ou arranjado outra coisa para fazer depois do primeiro tempo do jogo de ontem. O Botafogo dominava as ações e teve inúmeras oportunidades, mas parou em boas defesas do Rafael ou na trave.

Muricy surpreendeu. Mesmo optando por uma escalação mais “light”, com Miralles no lugar de Henrique, teve uma postura que foge do seu perfil acomodado, e realizou uma substituição antes do fim do primeiro tempo, sacando Bernardo para a entrada do Henrique. A substituição na mera leitura soa como retranqueira, mas seu efeito prático mudou o jogo completamente.

O Santos voltou pro segundo tempo melhor organizado, tampando os buracos no meio campo que garantiram a tranquilidade do Botafogo no primeiro tempo. Felipe Anderson voltou inspirado e comandou o ataque santista distribuindo ótimas assistências.

André marcou o primeiro gol fechando de cabeça no segundo pau, aproveitando o que pareceu ser uma jogada ensaiada, com cobrança de Felipe Anderson e desvio no meio da área. Mais tarde a jogada se repetiria, mas André foi parado pelo goleiro botafoguense.

Em seguida Felipe Anderson deu ótimo passe para Miralles sozinho conduzir a bola e finalizar.

Outras oportunidades surgiram em novos lances de contra ataque, mas o placar se manteve.

Foi a primeira vitória do Santos fora de casa jogando sem Neymar. Também foi uma das primeiras vezes que vimos o popular “dedo do técnico” entrar em ação e mudar uma partida.

O elenco ainda é limitado, estamos a 12 pontos do 4º colocado, mas é aquela velha história da paixão de torcedor, quando vemos uma atuação assim acabamos nos inspirando e a esperança em uma vaga na libertadores continuará até que não tenhamos mais chances matemáticas.

O confronto direto com o Vasco pode fazer com que a diferença caia para 9 pontos, e aí teríamos 8 rodadas pra tirar essa diferença.

Notas dos jogadores:

Rafael – 7 – Correspondeu quando exigido, além de estar em uma noite de sorte. Falhou em algumas saídas, mas a defesa espetacular no seu contrapé após desvio de Durval merece a nota mais generosa.

Éwerton Páscoa – 6 – Atuou defensivamente mais como terceiro zagueiro, mostrou bom poder de recuperação. No ataque subiu pouco, mais nas bolas paradas, participou do primeiro gol com um desvio providencial.

Bruno Rodrigo – 6,5 – Seguro, discreto, sempre fazendo o simples.

Durval – 5 – Seu preparo físico já não é mais o mesmo, está chegando atrasado em muitos lances, ontem não comprometeu mas um dia isso pode custar caro.

Gérson Magrão – 5 – Bem no ataque e fraco na defesa. Apesar dos pesares se mostra no momento mais útil que o Juan e o Léo.

Adriano – 5 – Apareceu menos nos desarmes do que de costume, pouco participou da partida.

Arouca – 5,5 – Puxou alguns contra ataques, mas foi uma atuação um pouco abaixo do potencial que já vimos.

Bernardo – 4 – Sem ritmo de jogo, não soube dosar as corridas, se cansou rapidamente e além de não contribuir com o ataque estava deixando um buraco no meio campo.

Felipe Anderson – 6,5 – Um primeiro tempo apático, mas um segundo tempo muito bom, com tudo que esperamos de um meia. Distribuiu ótimos passes, deu assistências e ainda chegou finalizando. Sua nota só não foi mais alta pelos gols perdidos.

Miralles – 6 – Boa movimentação, rende muito mais atuando como segundo atacante do que como centroavante. Fez um gol, mas também desperdiçou muitos. Precisa melhorar o aproveitamento.

André – 6 – Boa presença de área, sabe se posicionar. O problema é que está com a mobilidade bem reduzida, longe do que vimos em 2010.

Substituições:

Henrique – 6 – Entrou muito bem, tanto na marcação como na preparação das jogadas. Tem o melhor passe entre os nossos volantes. Sua contratação foi muito cara e por isso a torcida espera muito dele, espero que agora recuperado da lesão ele consiga reencontrar o futebol que já o levou pra seleção.

Patito – 5,5 – Jogou no seu lado preferencial, criou algumas boas jogadas, rendeu bem entrando no segundo tempo. Porém ainda tenho minhas dúvidas em relação ao futebol dele considerando as partidas que começou como titular.

Bill – Sem nota – Todo mundo odeia ele, eu não odeio tanto, mas ontem mesmo entrando no fim conseguiu se atrapalhar.

Muricy – 6,5 – Fez o que se espera de um técnico com o currículo dele e que ganha uma fortuna mensal, soube identificar os problemas do time durante o jogo e fez as alterações necessárias pra solucionar o problema.

E você, o que achou do Santos no jogo de ontem? Qual suas notas pros jogadores? Qual sua expectativa pra continuidade do campeonato?