Por João Pedro

Lembro-me muito bem de quando o Santos iniciou a temporada passada, com comandante novo pois Adilson Batista havia sido contratado no ano anterior após saída conturbada do professor Dorival Júnior. O time que havia encantado o país no primeiro semestre de 2010 (algo rotineiro no Santos, os 06 primeiros meses do ano maravilhosos, e os seguintes só pra chatear o torcedor), vinha reforçado com a experiência e imagem de ídolo de Elano, além claro de ter no elenco o melhor jogador do país. Mesmo com Neymar servindo a seleção brasileira sub-20 e Ganso machucado, o Santos não tomou conhecimento dos adversários nas primeiras rodadas do Paulistão, o peixe era tão superior que desde o início já era taxado como o virtual campeão. O então técnico apelidado de professor pardal, por fazer alterações no time mesmo quando não era necessário conseguia fazer do Santos mesmo desfalcado um time ofensivo, equilibrado e letal. Muitos diziam que o time seria imbatível com a volta de suas estrelas, algo que não se confirmou pois o time empatou em sua estréia na libertadores e depois com o fraco são bernardo na Vila Belmiro.

A diretoria demitiu o então técnico alegando que o mesmo não privilegiava o DNA Santista, que era de fazer muitos e muitos gols independentemente de títulos ou qualquer outra coisa a torcida Santista quer o time jogando bem e ofensivamente privilegiando jogadores oriundos da base, os famosos Meninos da Vila. Adílson Batista foi demitido com 11 Jogos, 5 Vitórias, 5 empates e 1 (UMA) derrota. A mesma diretoria se contradisse depois ao contratar o CARO e ranzinza Muricy Ramalho que sim saiu do Fluminense já apalavrado com o Santos, caso contrário o peixe não teria esperado tanto tempo pela sua “resposta”. O professor Muricy só quis assumir o time depois que o time ganhou um de seus jogos chave na competição continental, era mais cômodo pra ele, pois se o time tivesse perdido teria se eximido de culpa – não, ele não pegou o time na “fogueira”, e quem ganhou aquele jogo não foi ele e sim Ganso, sim ele mesmo -, pois bem vendo que as possibilidades do Santos se classificar àquela altura seria aderir ao seu esquema tático favorito, no qual todos “trabalham” pra equipe, ou seja, fecha o time pro outro propôr o jogo se ele não propôr não há jogo, parece aquela criança que tem uma bola e vai jogar com os amigos, só deixa os outros jogarem se ele jogar ou a hora que ele quiser. O Nosso Santos não espera nenhum outro propôr o jogo, o Nosso Santos é e sempre foi temido, O Nosso Santos já fez La Bombonera se calar, O Real Madrid com Di Stéfano e Puskas ter medo de nos enfrentar, Euzébio e a quase seleção portuguesa sucumbir ao nosso talento, O NOSSO SANTOS PAROU UMA GUERRA.

Vi uma possibilidade de isso mudar na única partida em que Muricy simplesmente “soltou” o time, foi naquele inesquecível porém amargo Santos e Flamengo, o técnico do peixe na única vez em que privilegiou o nosso DNA nos fez ficar tristes e felizes ao mesmo tempo, ah com eu queria que o Santos quando perdesse, perdesse daquela forma, dando show, fazendo golaços, jogadas espetaculares para o torcedor não sentar nenhum minuto em seu camarote com cadeiras acolchoadas e macias.

O que vimos e vemos nos últimos 02 anos, como diz o célebre repórter Ademir Quintino, é uma caricatura mal feita de um time de futebol, o Getafe é mais organizado que o Santos de hoje. Como pode um time com 03 (TRÊS), volantes tomar dois gols de contra-ataques e sempre bola nas costas dos laterais, como pode um time que treina tanto a bola aérea – aliás a única coisa que treina – tomar um gol de um baixíssimo jogador dentro da pequena área e depois o mesmo baixinho jogador dividir a bola com nosso zagueiro com nossos beques grandalhões tirando a bola com o olho. Como um time começa o ano com um lateral direito titular em sua seleção na última copa do mundo, e termina com um lateral reserva de um time da série B.

Se a diretoria demitiu Adilson Batista na época por tão pouco comparado a isso, vejo que Muricy deveria pagar sua multa ir embora e devolver esses anos todos de salários exorbitantes que recebeu, para simplesmente “trabalhar” a bola parada do time e mandar as bolas pro Neymar, aliás imbecis os que ficaram chamando o Neymar de fominha por não tocar algumas bolas pro Miralles ontem, querem que ele resolva toda hora então deixa ele resolver, só ficaram mandando bicos pra frente pra ele se virar e apanhar dos zagueiros, não recebeu nenhum passe, todos os seus gols foram na maioria de jogadas construídas por ele mesmo não teve assistência ou jogadas pra ele fazer gols.

Enfim, fica meu pedido à diretoria por favor privilegie o DNA Santista e deixem o Muricy se aposentar, já ouviram os torcedores uma vez porque não ouvir novamente? Ao invés do tal comitê gestor porque não contratam o dono daquela padaria que “demitiu” Adílson Batista? Sr. Presidente LAOR, consultar os torcedores não custa uma fortuna, e na pior das hipóteses se algo der errado em nada poderão culpá-lo, pois se os torcedores quiseram e foram atendidos que arquem com o que vier depois, sejam títulos ou derrotas.

Fica aqui o desabafo de um Santista fanático, apaixonado por futebol e extremante com o DNA do Peixe!!!

O que vocês acham do desabafo do João Pedro? Concordam que Muricy já deu o que tinha que dar ao Santos?