Alvaro de Souza, presidente do conselho da Gol e importante membro do comitê gestor do Santos

Neste final de ano a entrevista com Alvaro de Souza, importante membro do Comitê gestor do Santos, não poderá ser feita ao vivo. A explicação dada pela assessoria de imprensa do clube é a de que Alvaro “está com a agenda complicada neste fim de ano” por ser “membro do conselho de administração de uma série de empresas” (entre elas, sabemos, a da Gol, que passa por sérios problemas).

Parece que não sobrará tempo para responder às perguntas dos santistas por, no máximo, uma hora. Tudo bem. Vamos trabalhar com o que temos. Então, peço que elabore sua pergunta ao dirigente.

A assessoria de imprensa do Santos sinalizou que as respostas de Alvaro de Souza não serão evasivas. Ótimo. O torcedor do Santos merece, ao menos, a sinceridade de quem comanda o clube.

Assim, envie sua pergunta. Assine com seu nome e sobrenome, por favor. Eu selecionarei 15 delas para encaminhar ao dirigente. Reservarei outras cinco para mim, totalizando 20 questões.

Peço que se concentre nos grandes problemas do clube, ou em casos relevantes, e não em detalhes, como a situação de um ou outro jogador da base. O que de mais importante podemos extrair do Alvaro de Souza é a filosofia de administração que está sendo adotada no Santos e os porquês da política salarial e de investimentos do clube.

Morreu Joelmir Beting. Uma perda para a memória do futebol


Placa do jornal O Esporte confeccionada a pedido do então repórter esportivo Joelmir Beting em homenagem ao gol de Pelé contra o Fluminense, no Maracanã. Daí surgiu a expressão “Gol de Placa”.

As pessoas se acostumaram a ouvir Joelmir Beting destrinchando os termos complicados da Economia para o homem comum. Nenhum jornalista teve o dom de transformar algo tão chato em tão acessível e atraente. Mas, poucos sabem, Joelmir também trabalhou como repórter esportivo no início da carreira e foi dele a sugestão para que um gol de Pelé na vitória do Santos sobre o Fluminense por 3 a 1, pelo Torneio Rio-São Paulo de 1961, fosse homenageado com uma placa no Maracanã.

Tive a oportunidade de conhecer Joelmir nas duas vezes em que participei do programa Beting & Beting, que ele apresentava ao lado de seu filho, Mauro Beting, na Band News. Na oportunidade eu divulgava o “Dossiê pela Unificação dos Títulos Brasileiros a partir de 1959” e encontrei em Joelmir um importante apoio à causa. Ele, que chegou a cobrir a Taça Brasil, nunca teve qualquer dúvida de que o vencedor daquela competição era, consequentemente, o campeão brasileiro.

Se eu já o admirava, fiquei ainda mais empolgado com sua personalidade, de quem trata o jornalismo com a seriedade e a precisão que ele merece. Nosso Joelmir se foi ontem, aos 75 anos, vítima de um AVC. Dizem que nenhuma pessoa é insubstituível, mas a gente sabe que isso não é verdade.

O que você perguntaria ao Alvaro de Souza?