Santos vence o São Paulo no Pacaembu, com gol de Giva, e conquista o título estadual Sub-20, o terceiro do futebol no ano do Centenário (foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/ Divulgação Santos FC).

Na hora do almoço o técnico Muricy Ramalho viu os garotos do Sub-20 do Santos vencerem o São Paulo por 1 a 0, no Pacaembu, e conquistarem o título paulista da categoria. À noitinha ele comandou a equipe profissional em uma vitória, de virada, sobre o Palmeiras, por 3 a 1, na Vila Belmiro. Nos dois triunfos sobre os tradicionais clubes da capital, os Meninos formados no Alvinegro Praiano se destacaram. Será que depois deste sábado Muricy ainda continuará tão cético com relação aos jovens vindos da base?

Nas duas partidas o Santos foi mais ofensivo do que tem sido, como se, pressionados pelo anseio dos santistas – protesto que chegou até à então apática Torcida Jovem –, os técnicos Claudinei, do Sub-20, e Muricy, tivessem decidido fazer concessões ao DNA ofensivo do Alvinegro Praiano.

E, como todo mundo já previa neste blog há séculos, o futebol voltou quando o medo foi embora. O Sub-20 merecia vencer por uma vantagem maior, apesar de o adversário ter o mando de campo. Gostei da postura e da personalidade da equipe. É cedo para prever o futuro desses garotos, mas muitos deles – como Giva, Lucas Otávio, Leandrinho – merecem, ser olhados e tratados com mais carinho.

Se o clube não tem dinheiro para grandes contratações, a opção dos Meninos é a mais óbvia, barata e inteligente. Tudo bem que ainda precisam ganhar mais experiência. Mas só a terão jogando. E é aí que o torcedor fica com a pulga atrás da orelha, pois Muricy não tem o perfil de técnico que sabe lidar com os jovens.

No jogo contra o Palmeiras ele chutou o ar, esbravejou e falou palavrões quando Felipe Anderson perdeu uma boa oportunidade, após ótimo passe de Neymar. Porém, duvido que tenha agido da mesma forma quando Neymar perdeu uma chance ainda mais clara, ao receber passe de Felipe Anderson e chutar na trave. Um técnico que queira o respeito e a atenção dos Meninos não pode tratá-los com grosserias e, diante das mesmas situações, fazer vistas grossas às falhas dos mais experientes.

Com um ataque formado por Patito Rodríguez, Neymar e Victor Andrade, apoiados por Felipe Anderson e Arouca, o Santos criou inúmeras oportunidades no primeiro tempo e fez três gols, como poderia ter feito seis. Na segunda etapa, com a expulsão de Alan Santos – outro garoto que se saiu muito bem –, a saída de Arouca, machucado, para a entrada do veterano atrapalhado Gérson Magrão, e o recuo do criativo Felipe Anderson para ajudar na marcação, o Santos voltou ao jogo sem criatividade do segundo semestre.

O santista viveu um sábado feliz, em que suas convicções foram plenamente correspondidas. A base do Santos mostrou qualidades e o time de cima provou que não precisa viver só de Neymar. Não é só uma questão técnica, mas sim tática. Falta assumir definitivamente uma filosofia ofensiva.

Porém, esse mesmo torcedor fica com a pulga atrás da orelha quando ouve que Muricy só elogiou a capacidade de marcação do time Sub-20. Parece que o professor só consegue analisar o sistema defensivo de uma equipe. Talvez se tivesse prestado atenção na lição do Barcelona, saberia que grandes times preferem que os outros é que se preocupem com a defesa.

Na Vila, depois dos 3 a 1, e da forma que a partida se desenrolava, não seria demais esperar uma goleada de seis ou sete gols. Mas, do banco do Santos, só se ouvia os gritos de Muricy pedindo cuidado com a marcação ou para o time tocar a bola. E é claro que as maiores vítimas de sempre eram Victor Andrade, Patito e Felipe Anderson.

Por fim, o torcedor teme que com a s voltas de Henrique e Adriano, Alan Santos e Victor Andrade, ou Patito, voltem para o banco de reservas, e o Santos volte a ser uma equipe burocrática, cuja única prioridade é, como quer o seu comandante, “marcar atrás da linha da bola”.

Entrevista com Alvaro de Souza

Se ainda não enviou e quer fazer a sua pergunta a Alvaro de Souza, importante membro do comitê gestor do Santos, fique à vontade. Selecionarei 20 delas e na segunda-feira as encaminharei ao assessor de imprensa Arnaldo Hase, que deverá repassá-las ao ocupado Alvaro de Souza.

Como o nível das perguntas tem sido excelente e tem preenchido todas as dúvidas que o santista pode ter com relação à administração do clube, provavelmente enviarei apenas perguntas selecionadas entre aquelas enviadas a este blog. Agradeço a colaboração de todos.

Veja o gol de Giva e a festa do Santos campeão paulista Sub-20:

http://youtu.be/urVre1Of4oo

Melhores momentos de Santos 3, Palmeiras 1:

http://youtu.be/5dg6sD38LjE

E você, ficou mais confiante nos Meninos da Vila?