Marcos Assunção treinou com bola na sexta-feira e pode ser a surpresa para o clássico. Seria genial ver um duelo dele com Rogério Ceni (Foto: Ricardo Saibun/ Divulgação Santos FC).

Alguém duvida de que o clássico de hoje, na Vila Belmiro, às 17 horas, entre Santos e São Paulo, marcará o maior ibope do futebol em 2013? E será o maior porque não é um time ou outro que garante a audiência, mas a qualidade do espetáculo, e hoje ele tem tudo para ser dos melhores, principalmente porque decidirá o líder do Campeonato Paulista e depois porque marcará o primeiro duelo entre Paul McCartney e John Lennon, ou melhor, entre Neymar e Paulo Henrique Ganso.

Um dia escrevi que juntos seriam mais fortes. Mas Ganso foi embora, por dinheiro e fama, e hoje parece um peixe fora d’água. Não creio que um dia voltará a jogar como no primeiro semestre de 2010. Por outro lado, Neymar, afogado por compromissos publicitários com tantos patrocinadores, também vive um período de estafa que está freando suas arrancadas e atrapalhando seu futebol. Espero que jogue mais pelo time, hoje, que não se esqueça de que há outros bons jogadores ao seu lado, de que não é preciso resolver tudo sozinho.

Há quem aposte que o confronto mais esperado será o de Montillo x Ganso, pois o meia argentino veio para substituir o ex-maestro e nada melhor do que uma partida que põe os dois de lados opostos para se avaliar quem é o melhor, ou quem está melhor.

Na verdade, para mim, o maior duelo de hoje reunirá Cícero e Ganso, já que ambos foram, digamos, trocados entre os clubes. Tudo bem que um era reserva do Tricolor e o outro considerado um dos titulares absolutos do Santos, mas em campo a situação tem se invertido. Enquanto Cícero tem se destacado, com atuações polivalentes que incluem aplicação na defesa e versatilidade no ataque, Ganso tem se arrastado em campo. Algo me diz que esse panorama se repetirá hoje.

Outro desafio que gostaria de ver reuniria Marcos Assunção e Rogério Ceni, para mim os melhores cobradores de falta do País. Mas, em princípio, Assunção não está escalado. Talvez entre apenas no decorrer da partida.

Só espero que desta vez o técnico Muricy Ramalho se renda às expectativas e escale Miralles desde o começo. Quantos jogos mais o gringo terá de ficar no banco e entrar arrebentando para o técnico se convencer de que ele merece ser o titular do Alvinegro Praiano?

É importante que os fazedores de gols do Santos se saiam bem, pois do outro lado haverá Luis Fabiano, um artilheiro que sempre requer cuidados. Aliás, o time todo do São Paulo é bem harmônico, rápido e insinuante. O clássico de hoje reunirá as duas melhores equipes do Campeonato Paulista e por isso, repito, será acompanhado por todos que amam o futebol. Tenho certeza absoluta de que a TV Globo perceberá hoje há muita vida no futebol mesmo sem os seus dois protegidos.

Jogo difícil, disputado, mas com favoritismo do Santos

Ainda há posições em disputa no Santos. O garoto Jubal foi muito bem na última partida, mas hoje, por ser uma partida de maior responsabilidade, acho que Muricy escalará Neto, se este já estiver recuperado.

As laterais ainda são um problema para o Alvinegro Praiano, principalmente na esquerda, com Guilherme Santos. Se nenhum volante fizer a cobertura por ali, o São Paulo já começará o jogo com o mapa da mina na mão.

O São Paulo virá com uma formação mais ofensiva – três no meio-campo e três atacantes –, o que deverá pressionar a defesa santista, mas com quatro no meio (René Junior, Arouca, Cícero e Montillo), ceio que os santistas dominarão o setor.

Neymar e Miralles, ou Neymar e André, com o apoio de Montillo, creio ser um ataque tão bom ou melhor do que Jadson (ou Douglas), Osvaldo e Luís Fabiano, mas isso dependerá muito das circunstâncias do jogo. Quem marcar primeiro terá a oportunidade dos contra-ataques e isso, em um jogo parelho, pode ser decisivo.

A Vila Belmiro estará lotada e isso não deixa de ser um trunfo importante. Quanto à arbitragem, será de Flávio Rodrigues Guerra, auxiliado por
Herman Brumel Vani e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo.

O que vejo nos meus sonhos mais inflamados é o Santos indo pra cima, marcando gols e deixando o adversário aturdido. Vejo Montillo desencantando, Cícero fazendo o seu e o centroavante – Miralles ou André – também balançado o barbante do adversário.Três gols? Sim, vejo essa quantidade. E olhe que nem pensei em Neymar, que talvez hoje perceba que se jogar mais para o time pode permitir a seus companheiros o espaço que os são-paulinos quererão lhe tomar.

Reveja o maior Sansão dos últimos 11 anos jogado na Vila:

E você, o que espera de Santos e São Paulo, neste domingo?