giva - pro
Giva marcas seus primeiros dois gols como profissional, dá a vitória ao Santos contra o Mirassol e ganha a posição de centroavante (Ricardo Saibun/ Divulgação Santos FC)

Com dois gols o garoto Giva, de 20 anos (que a equipe do Sportv chamou de “Giba” o tempo todo) começou e terminou a virada que deu ao Santos uma vitória dramática sobre o Mirassol, na Vila Belmiro, elevando o time para a segunda posição no campeonato. Sem Neymar, Montillo e Cícero o Santos sofreu para superar o modesto adversário. Quem esperava uma goleada, como nos tempos do Cirque du Soleil, viveu uma noite de Circo dos Horrores.

Ainda bem que o determinado Giva queria o jogo e queria gols. Sem a sua vontade, o Alvinegro Praiano teria amargado mais um daqueles resultados inexplicáveis, pois boa parte da equipe se satisfazia em tocar de lado.

Se você tem um goleiro que não sabe repor a bola e três zagueiros veteranos que não querem dar velocidade ao jogo, o resultado só pode ser uma seqüência de passes laterais que não levam a nada. Pena que o Santos tenha copiado a parte mais chata do estilo do Barcelona…

Mas até que o Alvinegro Praiano começou bem e criou boas oportunidades, desperdiçadas por Miralles. Puxa, como o argentino voltou mal! Está difícil dizer quem está pior: ele ou André. Ontem ficou evidente que o centroavante titular só pode ser o Giva.

E também deve ter ficado evidente para Muricy que não precisa ter medo de colocar garotos no time, pois ao menos eles têm mais vontade… Bem, Felipe Anderson ainda deve ser chamado de garoto? Ontem ele novamente parecia uma barata tonta em campo, e para encerrar com chave de ouro sua participação, ainda foi expulso. Acho que o Santos deve estudar com carinho a próxima proposta real pelo seu passe. O garoto tem Muricyfobia. Sua cura deve depender da distância que mantiver do professor.

Mesma doença que, por sinal, aflige Patito, também expulso ontem. Não me pergunte se as expulsões foram merecidas. Creio que o árbitro, o tal Bragueto, estava compensando o segundo gol do Giva, que ele deveria ter anulado, pois Patito estava impedido e abriu as pernas para a bola passar, atrapalhando o goleiro.

E se você quiser saber porque o Bragueto validou o gol, apesar do aceno de seu auxiliar, eu diria que ele também estava compensando, pois em cinco minutos o Santos reclamou de três pênaltis, e o primeiro deles foi, sim. A bola bateu na mão do zagueiro do Mirassol, creio que o rapaz não tenha tido a intenção de tocá-la, mas ocorre que ela ia em direção ao gol, e nesse caso a não marcação do pênalti beneficiou o infrator. Nos outros lances acho que sua senhoria foi bem.

Santos tem de pensar na renovação do time

A partida contra o Mirassol mostrou quão lento e quão previsível é este Santos, que vive dos arroubos de um ou outro garoto que escapa do veto de Muricy.

Arouca ainda dá uns piquezinhos com a bola, mas chega perto da área e não tem o dom de enfiar um passe fatal. Bruno Peres marca e apoia mal. Às vezes parece que sua jogada vai dar certo, mas nunca dá. Renê Junior marca bem, mas também não tem o dom do passe e é meio lento para decidir o que fazer.

Léo desta vez apoiou pouco. Não tem mais gás para ir e vir. A dupla Edu Dracena e Durval é experiente, mas lenta e sem poder de recuperação. Para variar, o gol do Mirassol foi marcado depois de um escanteio que cruzou a pequena área do Santos. O miolo da zaga santista continua com problemas.

“Mas Odir, não jogaram Neymar, Montillo e Cícero, sem contar o Émerson Palmieri, que vinha sendo titular, e o Marcos Assunção. Com o time completo o Santos seria outro” – o leitor me lembrará, provavelmente irritado.

Sim, com o time completo, tudo indica que o rendimento da equipe seria outro. Mas não deixa de ser preocupante perceber que tantos jogadores santistas são capazes de mostrar tão pouco a ponto de quase deixar escapar uma vitória certa contra o humílimo Mirassol, na Vila Belmiro.

Reveja os melhores momentos de Santos 2, Mirassol 1:
http://youtu.be/W6ovMCPSybE

E você, o que achou de Santos 2, Mirassol 1?