felipe anderson e neymar
Felipe Anderson, que deve começar no banco, e Neymar, o craque que volta ao time no jogão desde domingo (Foto: Ricardo Saibun/ Divulgação Santos FC)

A maior rivalidade alvinegra do futebol entra em campo amanhã, às 16 horas, no Morumbi. E entra em campo para nos ajudar a saber quem merece ser titular no Santos e se o técnico Muricy Ramalho deve ser prestigiado pelos torcedores ao menos até encerrar o seu contrato com o clube.

Muricy disse que não sabe qual o interesse das pessoas que não o querem mais dirigindo o Santos. Acho que posso lhe responder: o interesse não é pecuniário, como deve ser o dele, e muito menos político. O único interesse dos santistas que se cansaram do se lenga-lenga é de ver o Santos jogando como o Santos, destemido, implacável, goleador, e ao mesmo tempo corajoso e visionário para dar espaço e carinho às revelações da base do clube.

Muricy é um caso perdido? Não acho. Mesmo teimoso como uma mula cega e surda, o professor não é burro. Ele sabe que o jogo deste domingo é um divisor de águas. Uma boa vitória – com goleada, se possível – e muitas das vozes que se levantam para recriminá-lo defenderão sua permanência no Santos.

A partida também é um teste de fogo para alguns jogadores, que têm sido escalados mais pelo currículo do que pelo futebol. Está mais do que na hora de Rafael, Edu Dracena, Durval, Léo, Marcos Assunção, Montillo e André fazerem jus à condição de titulares do Santos.

Muricy, que tinha uma imagem rebelde como jogador – cabelo comprido, revoltadinho, como a maioria dos adolescentes da época –, virou um técnico tradicional, resmungão, que aposta em fórmulas antigas e é incapaz de ousar. Cabelos longos não usa mais, substituídos por uma barriga de aposentado preguiçoso… Mas “craro” que ele ainda sabe quais são os jogos que precisa vencer, e o de amanhã é um deles.

Para sorte do professor, a situação é favorável. Neymar volta ao time, provavelmente com fome de gols. O jogo será no Morumbi, campo de dimensões amplas, que dificultam as coisas para um time que joga na defesa, tática preferida do técnico Tite. Outra vantagem é que nas arquibancadas haverá uma ampla maioria de torcedores santistas.

Mas o adversário merece respeito, pois virá com praticamente o mesmo time que enfrentou o Milionários pela Copa Libertadores. Pato, que Vampeta disse ser melhor do que Neymar, estará em campo. Tite sabe que de nada vale ser campeão do mundo e depois perder mais uma vez para o rival alvinegro, o que tem acontecido regularmente (nas últimas 11 partidas que fizeram, o Santos só foi derrotado duas vezes).

Para os torcedores do alvinegro de Itaquera um empate de 0 a 0 já será comemorado. Mas para os santistas, sempre mais exigentes, só uma goleada os fará respirar realizados. Porém, somados prós e contras, creio que a lógica seja uma vitória do Santos por dois gols de diferença.

Maior ibope? No noticiário policial!

Esta semana o alvinegro de Itaquera bombou no noticiário policial. Além do explosivo caso do garoto boliviano morto no estádio por um integrante da torcida Gaviões da Fiel, o jogador Emerson Scheik foi indiciado por contrabando de carros de luxo e ontem o ex-presidente do clube Alberto Dualib foi condenado a devolver R$ 1,4 milhão aos cofres do clube por desvio de dinheiro obtido com a emissão de notas frias. Dualib também é investigado pela Polícia Federal por um esquema de lavagem de dinheiro que seria comandado pelo iraniano Kia Joorabichian, que serviu de intermediário na parceria entre o Corinthians e o fundo de investimentos MSI, entre 2005 e 2007… Alguém ainda acredita que o Brasileiro de 2005 valeu?

Partozinho caro!

No Brasil há preços diferentes para diferentes clientes. Será que se Neymar fosse um rapaz pobre, ou de rendimentos medianos, o médico Herbert Kramer estaria cobrando 45 mil reais pelo pré-natal e o parto do garotinho Davi Lucca? Neymar não aceitou o valor, foi processado pelo médico e aguarda o julgamento do caso. Fico imaginando quantas crianças nasceriam se o preço da vida fosse tão caro.

Reveja os melhores momentos do jogo mais importante e emocionante que Santos e Corinthians fizeram no Morumbi:

E para você, o que representa o jogo deste domingo?