Dizem que é na dificuldade que se conhece as pessoas. Na China, o mesmo símbolo de “crise” é usado também para “oportunidade”. Portanto, apesar de toda a campanha contrária que a imprensa esportiva faz contra o clássico de hoje, definindo-o, na melhor das hipóteses, de “esvaziado”, eu espero a partida com ansiedade, pois acredito que ela dará oportunidade a que mais garotos do Santos sejam provados, entre eles o impetuoso Neilton.

Estou estranhamente animado porque leio que Muricy Ramalho, geralmente resmungão e cheio de desculpas, também vê o clássico como uma boa oportunidade para lançar jogadores vindos da base. Diz ele: “Daremos oportunidades para os meninos jogarem. Por isso não reclamei muito por perder dois jogadores (Felipe Anderson e Patito expulsos contra o Mirassol). Claro que são importantes, mas você põe jogadores que podem ser importantes para o futuro do Santos”.

Com cinco desfalques, o time previsto e previsível para o jogo deste domingo é Rafael, Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Léo; Renê Júnior, Arouca e Cícero; Miralles, Giva e André. Porém, espero que num arroubo de coragem, Muricy fixe Émerson Palmieri como o titular da lateral esquerda e faça Neilton entrar no lugar de André.

Miralles e André não se complementam, se chocam. Dividem o mesmo espaço, fazem as mesmas coisas, com a diferença de que o argentino é muito mais rápido. Então, eu colocaria o garoto Neilton no ataque. Quero ver ele e Giva repetindo as jogadas que faziam no sub-20.

Não descarto, ainda, as saídas de Miralles e de Cícero para a entrada de mais dois garotos da base. Se o professor optar por um ataque apenas com dois jogadores (digamos Neilton e Giva), poderá incluir mais um ou dois metas atacantes, talvez tornando o time, na prática, mais agressivo.

De qualquer forma, ao contrário da maior parte da nova imprensa esportiva, que parece detestar futebol, eu vejo o clássico de hoje com a mesma rivalidade de sempre, enriquecido pelo componente da surpresa. Quem sabe se as ausências de titulares dos dois times não dará aos técnicos a possibilidade de descobrir novos talentos que de outra forma ficariam escondidos?

O jogo é às 16 horas no velho e belo Pacaembu, com arbitragem de Marcelo Ribeiro de Souza, auxiliado por Daniel Ziolli e Miguel Caetano Ribeiro da Costa. Que o trio de preto não invente e que os torcedores torçam em paz.

O Palmeiras de Gilson Kleina, três pontos atrás do Santos, deverá jogar com Fernando Prass, Weldinho, Maurício Ramos, André Luiz e Juninho; Leo Gago, Charles, Márcio Araújo e Wesley; Leandro e Caio.

Para não dizer que fugi da raia, direi que meu palpite é um empate, mas que torcerei para um jogo destemido, com muitos gols, e uma vitória arrebatadora dos velhos e novos Meninos da Vila.

As porcentagens de Giva

Como o garoto tem jogado bem, os empresários de Giva estão pedindo mais pelos 50% de seu passe. Eu só digo o seguinte: é melhor comer meio pudim do que o giló inteiro. O garoto é bom e deverá se firmar no futebol. É melhor o Santos ter 50% de seu passe do que 100% de jogadores como Pinga, José Pedro, Ricelli, Bill, Ibson, Charles, Henrique, David Braz, Galhardo…

E você, o que acha deste Peixe x Porco?