O artigo abaixo é de autoria do santista e leitor deste blog Ernesto Franze. Ele fala do indesmentível crescimento da torcida do Santos e do salto que já se deu e será ainda maior se Neymar for campeão do mundo com a Seleção Brasileira e permanecer no Brasil (ao menos até o final de 2014).

Não concordo com tudo o que o Ernesto escreve. Acho que o número reduzido de pessoas entrevistadas em uma pesquisa de torcida de futebol não dá uma imagem exata do contingente de torcedores de cada time. Há fortes indícios de que hoje os santistas já representam a quarta torcida do País. A enquete mais abrangente, que é a Timemania, já revela diz isso há três anos e meio.

O próprio santista costuma não ter consciência do poder de sua torcida e do poder atrativo do Santos. Aos incrédulos eu pergunto: Que outro time conseguiu arregimentar um número de seguidores 20 vezes maior do que os habitantes de sua cidade?

Seria o mesmo se um time da capital paulista chegasse a um total de 226.400 milhões de torcedores!!! Portanto, a torcida do Santos é realmente inigualável, não só por seu crescimento, mas por sua abrangência, pois se espalha por todo o Brasil e pelo exterior.

Bem, mas depois desse preámbulo que julguei necessário, segue o artigo encaminhado gentilmente por Ernesto Franze para este blog que reúne, entre seus leitores/comentaristas, a nata dos torcedores do Santos e do futebol brasileiro.

Odir Cunha

Com Neymar, Santos avança 20 anos em cinco

Colaboração especial de Ernesto Franze

A grande aposta da direção do Santos, nas minhas modestas opinião e imaginação, começou pela seguinte pergunta: O que vai acontecer se o Brasil for campeão em casa? Uma comoção nacional como nunca houve! Não há dúvidas.

E a segunda pergunta que, imagino, a direção fez: O que vai acontecer se o Neymar for um dos protagonistas do time brasileiro? Resposta: Torna-se definitivamente o maior ídolo do Brasil, supera Ronaldo e ganha status de Pelé, no auge.

Pelé deixou para o Santos o legado de 10% da população brasileira de torcedores do alvinegro. Confira matéria no link da primeira revista Veja, de 1968:
http://veja.abril.com.br/numero1/p_055.html

E a terceira pergunta, e a mais importante do planejamento: O que Santos ganha com isso? E a resposta é: Supera o Cruzeiro, Palmeiras e Vasco e no segundo semestre de 2014 se consolida como a quarta maior torcida do Brasil.

E aí um santista um “pouco menos otimista” pode perguntar: E se o Brasil perder? Resposta: Negócio é risco e oportunidade. Não quer correr riscos, deixe o dinheiro na poupança.

Pensando como o chamado “engenheiro de obra pronta”, (a coisa mais fácil e chata do mundo é o engenheiro de obra pronta) eu digo que teria sido uma insanidade se a direção do Santos não tivesse pensado em realizar esse planejamento.

Correr esse risco em busca da oportunidade de resolver em cinco anos um problema estrutural que poderia, na melhor das hipóteses, ser resolvido em duas décadas, não tem preço. Parabéns!

Em tempo, quero cumprimentar, e desejar um bom final de recuperação ao presidente Luís Álvaro, principal artífice dessa obra, que consiga recuperar sua saúde e voltar ao convívio diário do alvinegro. Fica sempre a esperança do torcedor santista que ele tenha o dom e a capacidade de segurar o Neymar um pouco mais entre nós.

Multiplicação dos peixe, um objetivo factível

Depois da segunda renovação contratual com a Globo, a remuneração dos clubes para o campeonato brasileiro da série A, a partir de 2013, ficou, mais ou menos, assim: 1º grupo 120 milhões/ano, 2º grupo 90 milhões, 3º grupo 60 milhões, 4º grupo 35 milhões. Contrato que vale até 2017. Fonte dessa informação foi um comentário do PVC na ESPN.

Quando o clube dos Treze foi extinto (em 2011), e esse modelo de divisão de cotas de televisão foi negociado, e depois implantado a partir de 2.012, Vasco da Gama, São Paulo e Palmeiras – que formam junto com o Santos o segundo grupo – e mais Cruzeiro e Grêmio (que fazem parte do terceiro grupo), torceram o nariz.

Protestaram e nunca aceitaram o fato do Peixe fazer parte do segundo grupo, já que o critério é o número de torcedores. O Alvinegro (segundo esses clubes) deveria ficar no terceiro grupo.

O fato novo é que a torcida alvinegra começou crescer. Segundo a Pluri Consultoria, o crescimento foi de, aproximadamente, 30%.

Na penúltima pesquisa, em 2010, o Santos tinha 2,6% da população brasileira, e na última, realizada em 2013, o número de santistas com mais de 16 anos subiu para 3,4%. Passamos o Grêmio no período (esse não pode mais reclamar).

Pode parecer pequeno esse crescimento, mas 0,8% (aproximadamente um milhão quinhentos mil novos torcedores) representa mais do que a torcida do Atlético Paranaense e o dobro do tamanho de torcidas de times importantes como Coritiba e Goiás. Conforme podemos verificar no link abaixo:
http://www.pluriconsultoria.com.br/uploads/relatorios/REPORT%20PLURI%20STOCHOS%20-%20TAMANHO%20DE%20TORCIDAS.pdf

E você, acha que se for campeão do mundo, Neymar ficará mais um pouco?