neymar no treino de sexta
Neymar no treino de sexta-feira (Foto: Ricardo Saibun/ Divulgação Santos FC)

A gente pediu e os jogadores atenderam. Um Santos com doação e muita vontade de vencer entrou no campo encharcado para a batalha contra o União Barbarense. Se jogasse com a indiferença de outras partidas, dificilmente o Alvinegro Praiano venceria, já que o adversário precisava desesperadamente da vitória para evitar o rebaixamento. Mas desta vez o Santos uniu garra e técnica, Neymar voltou a ser o jogador objetivo e mortal que conquistou a paixão de tantos seguidores, e o resultado premiou o esforço: 4 a 0, quatro gols do Menino de Ouro, que agora é o artilheiro isolado do Campeonato Paulista.

Como disse muito bem o Douglas Aluísio, leitor deste blog que assina anos60fs, pode ser que ninguém no Santos esteja prestando atenção nas manifestações da torcida que vemos neste blog, mas os jogadores estão. Assim, unindo a garra dos meninos do Palmeiras à sua técnica superior, o Santos se impõe ao aguerrido União barbarense e obteve um resultado muito importante na caminhada para o histórico tetracampeonato paulista.

Desta vez o técnico interino Tata armou um time mais ofensivo, com Giga, Neymar e Patito Rodríguez no ataque, além do meia Montillo, que sempre se aproximava dos três. Facilitado pela preocupação ofensiva do adversário, que também precisava da vitória, o Santos soube aproveitar os espaços para definir a partida.

Os gols do artilheiro Neymar

Aos sete minutos Cícero acertou um passe de costas para Neymar, que tal qual um centroavante bateu de esquerda, cruzado, deslocando o goleiro Walter. Aos 26 minutos, rápido e esperto como alguém acostumado a jogar na área e que não treme diante do gol, Neymar interceptou um chute fraco de Patito para tocar a bola pro fundo do gol.

Logo a um minuto da segunda etapa Patito foi à linha de fundo e cruzou para a pequena área. Neymar vinha acompanhando a jogada pelo meio e deslocou o goleiro com um toque de calcanhar. Quatro minutos depois, em um contra-ataque, o garoto recebeu a bola pela meia-direita, correu até a área e disparou uma bomba no ângulo esquerdo da meta.

Agora Neymar tem 12 gols, um a mais do que o ex-santista William, da Ponte Preta. Depois vêem Lincom, do Bragantino, com nove, e Luís Fabiano, do São Paulo, com oito. O desempenho contra o União mostrou um Neymar mais objetivo, capaz de decidir as jogadas em poucos toques – e também mais maduro, já que evitou as jogadas de efeito e se dedicou mais ao time.

Tata e os Meninos

No segundo tempo Tata fez entrar Victor Andrade no lugar de Montillo e Felipe Anderson no de Giva. Sem as buzinações na orelha típicas de Muricy Ramalho, ainda convalescente da diverticulite, os garotos foram bem. Outro ponto positivo para Tata foi não trocar Giva por André, uma substituição que tem sido mais política do que técnica e que nunca dá resultado, já que André tem menos mobilidade e é menos decisivo do que o garoto que veio da Copa São Paulo. Tata parece estar querendo jogar ou o cinto ou os suspensórios fora.

Rafael teve algumas inseguranças. Furou uma saída de gol e deu rebote em alguns chutes, mas realizou grande defesa. Alan Santos surpreendeu como lateral-direito. Firme, tranqüilo, se saiu melhor do que os “especialistas da posição” Bruno Peres e Galhardo. A dupla de zaga Edu Dracena e Neto foi bem melhor do que aquela entre Dracena e Durval. O lateral-esquerdo Guilherme Santos demonstrou muita energia. Não comprometeu.

No meio-campo, Renê Júnior foi o marcador incansável e pouco técnico de sempre; Cícero apareceu um pouco mais do que nas últimas partidas e o leve Montillo seguiu tentando, mas talvez precise de mais força muscular para agüentar o tranco. Dificilmente ganha uma dividida.

No ataque, o ágil Pato Rodríguez fez mais do que o batalhador Giva, chegando a participar de dois gols. Neymar teve uma atuação perfeita. Rápido, inteligente, habilidoso, preciso, mostrou que quando está motivado e focado, é mesmo um dos melhores do mundo.

Com a derrota, o União Barbarense foi rebaixado. É sempre triste ver o sonho de um time e de uma cidade dar um passo atrás, mas um ano passa depressa e quem sabe em 2015 o União – um time que jogou limpo, sem violência e catimba – esteja de volta, mais forte…

Mais de quatro mil pessoas (4.018) pagaram ingresso para ver o jogo, que teve renda de R$ 132.750,00. A arbitragem, de Aurélio Santanna Martins, auxiliado por Marco Antonio Gonzaga da Silva e David Botelho Barbosa, foi boa e anulou bem aquele que seria o quinto gol do Santos e de Neymar, já que Guilherme Santos estava impedido quando deu o último passe.

Os cálculos para o tetra

Na última rodada desta fase do Paulistão o Santos enfrentará o Penapolense na Vila Belmiro. O time do Interior estará brigando por uma vaga no octogonal decisivo, mas a vitória santista será imprescindível para manter a possibilidade de o time ir para a etapa final como o segundo colocado, o que lhe dará a vantagem de jogar em casa nas quartas e nas semifinais.

Até agora, se não houver surpresas, seria lógico esperar uma final com o São Paulo, com mando do Santos no primeiro jogo e depois a decisão no Morumbi. Porém, se não vencer o Penapolense, provavelmente o Alvinegro Praiano disputará a semifinal em jogo único fora de casa, com torcida contrária. Porém, a segunda posição no campeonato ainda está sendo disputada também por Ponte Preta, Mogi Mirim e Corinthians.

Veja os melhores lances de União Barbarense 0 X 4 Santos:
http://youtu.be/UoQaonop31w

E você, acha que o Santos encontrou o caminho do tetra?