Nenhum time de futebol profissional deve ser patrocinado por uma estatal. O dinheiro do povo é para a construção de hospitais, escolas, postos de saúde, creches e segurança pública.

http://www.avaaz.org/po/petition/Fim_do_uso_do_dinheiro_publico_para_financiamento_do_Corinthians/?copy
Leiam, assinem e divulguem!
Envie para seus amigos e conhecidos.
Ernesto Franze

neymar chutado por guerrero
Um minuto e meio de jogo: na primeira vez em que pega na bola, Neymar é chutado por Guerrero, que depois ainda pisa no atacante do Santos caído. Guilherme Ceretta só marca a falta, mas não dá cartão para o infrator (Ricardo Saibun/ Divulgação Santos FC)

Antes do início o árbitro Guilherme Ceretta de Lima pediu um minuto de silêncio devido à morte de um torcedor do alvinegro de Itaquera. Pouco antes ede a bola rolar Neymar se ajoelhou e rezou. Imaginei que ele estivesse pensando na carta que sua mãe enviou a ele e aos jogadores do Santos. Tive a impressão de que o time seria mais determinado do que nos jogos anteriores.

1m30s – Guerrero chuta Neymar, matando um contra-taque. Na seqüência pisa no jogador do Santos caído. Cartão amarelo? Sim, acho que merecia.

2min – Renê Junior tenta dar o bote e pega o pé de Sheik. Falta normal.

3min – Bruno Peres é driblado por Sheik e usa a mão para cometer a falta.

3m50s – Fábio Santos mata um contra-ataque do Santos e recebe amarelo.

4min – Impedimento de Neymar breca o ataque santista.

8min – Cícero toca para Neymar pela esquerda, este vai à linha de fundo e cruza para trás, Felipe Anderson pega de primeira. Bola passa por cima. Primeira boa chance do Santos.

9min – Cícero já tinha dado um belo passe para Neymar, mas também já tinha perdido duas bolas.

13min – O jogo, bem disputado, já tinha 10 faltas, cinco de cada time.

17min – Fábio Santos cai na área e reclama pênalti. Houve um contato por trás, mas devido à desaceleração do jogador do alvinegro de Itaquera. Lance normal.

18m51s – Primeiro chute do time da zona leste paulistana. Sheik bate fraco, pra fora.

20min – Defesa do Santos bate cabeça e o adversário pressiona.

21min – Neymar dá belo passe para Felipe Anderson, livre na área. Este demora para dominar a bola e quando o faz está marcado. Mesmo assim chuta, a bola bate em um zagueiro adversário e sobra para Cássio, que defende.

23min – Neymar é chutado com violência por Paulo André na entrada da área. Lance para falta perigosa e cartão amarelo. Ceretta não marca nada.

26min – Falta cobrada por Felipe Anderson, que cruza para Durval ajeitar de cabeça e Cícero, sem deixar a bola cair, mandar a bomba, de esquerda, no ângulo direito de Cássio. Que belo gol! 1 a 0. Glorioso Alvinegro Praiano.

28min – Confusão na entrada da área do Santos, depois de boa jogada de Paulinho. Renê Junior dá o carrinho e empurra a bola para dentro da área. Espero, Romarinho cria a jogada que termina com o gol de Danilo. O time das duas âncoras empata. Não é a primeira vez e nem será a última que o Santos sofre um gol logo depois de fazer o seu.

32min – Cruzamento na área do alvinegro da capital. Cássio sai mal, mas ninguém aproveita.

36min – Alguns minutos antes Léo tinha reclamado pênalti quando a bola cruzada por ele bateu no braço de Gil. Mas foi a típica bola na mão, em que o jogador não teve intenção de interceptar o cruzamento e o braço estava junto ao corpo. Porém, nessa outra jogada, a bola veio cruzada da direita e Paulo André se atirou para cortá-la com os braços abertos. Um dos braços interrompeu o cruzamento, que seguia perigoso em direção à pequena área. Pênalti e cartão amarelo ao infrator que foram ignorados por Ceratta.

37min- Léo pega um rebote e chuta para fora.

40min – Falta para o visitante. Paulinho bate com curva, Rafael toca e a bola ainda pega no travessão antes de sair para escanteio.

41min – Danilo dribla Felipe Anderson e com pouco ângulo acerta o travessão. Na seqüência, Romarinho chuta e Rafael defende com os pés.

46min – Neymar dá um drible entre as pernas de Alessandro, mas na seqüência Felipe Anderson erra o passe.

Segundo tempo

Santos voltou mais cedo do intervalo e se reuniu no centro de campo. Edu Dracena orientava o time com ar sério. André tinha produzido muito pouco no primeiro tempo, mas voltou com o time para o segundo. Imaginei que, se não quisesse colocar Miralles, Muricy poderia tentar com Patito, tornando o ataque mais rápido.

1m15s – Neymar tenta driblar da ponta para o meio, mas em determinado momento tem sete adversário à sua frente e perde a bola. No começo da jogada poderia ter passado para Léo, que estava penetrando pela esquerda.

3m40s – Neymar é desarmado por Paulo André dentro da área e inicia um bate-boca com o zagueiro corintiano. Nenhum dos dois é punido com cartão.

5min – Neymar avança e toca para Léo, mas o lateral está impedido.

6min – Cícero dribla três e dá para André, que chuta fraco, de esquerda, para fora. Esta seria a grande chance do Santos no segundo tempo.

8min – Falta em Neymar perto da área. Felipe Anderson cruza para a cabeçada de Cícero, que toca para André, em impedimento.

11min- Renê Junior dá um chapéu na intermediária do Santos, mas na sequência perde a bola, que termina com chute de Romarinho para defesa de Rafael.

12min – Sai André e entra Miralles. A mudança teria pouco efeito prático, já que o argentino, mesmo se movimentando mais, pouco produziu.

13min – Sai Sheick, entra Edenilson.

14min – Um lançamento longo pega Edenilson livre. Léo corre a tempo de fazer o corte.

15min – Neymar dribla três, Edenilson fz falta e ganha amarelo.

16min – Romarinho surge livre pelo meio da defesa do Santos, avança rapidamente para o gol e diante da boa saída de Rafaelç, que fecha o ângulo, chuta na trave.

18min – Felipe Anderson cobra falta na área dos itaquerenses e Edu Dracena cabeceia para fora.

20min – Falta de Fabio Santos em Miralles. Os santistas pedem o segundo amarelo – e a expulsão do lateral –, mas o árbitro só marca a falta.

21min – Cássio faz cera mais uma vez para cobrar o tiro de meta e desta vez leva cartão amarelo.

24min – Arouca fica em impedimento e estraga um bom ataque.

25min – Na ponta-direita, Felipe Anderson corta para dentro e cruza de esquerda, mas bate muito forte e Miralles não alcança.

27min – Falta em Neymar.Bola é cruza,a mas a defesa corta.

29min – Cícero tenta um passe em profundidade, mas Cássio defende.

30min – Sai Romarinho, que fez ótima partida, e entra Pato.

31min – Renê Junior recebe cartão amarelo por falta em Danilo.

32min – Sai Renê Junior, entra Patito Rodríguez.

35min – Confusão na área. Miralles chuta prensado e Cássio defende.

36min – Bruno Peres cai perto da lateral direita, mas como falta pouco tempo e o Santos precisa de ao menos um gol para levar o título para a disputa de pênaltis, Edu Dracena pede para ele se levantar. Ele se levanta.

Paulinho penetra e é interceptado por Edu Dracena com falta, na entrada da área, mas o árbitro não marca.

38min – Sai Guerreiro, entra Douglas.

40min – Bola cruzada na área do Santos, Pato cabeceira para fora.

40min – Torcida do Corinthians lança sinalizadores dentro do campo e o árbitro interrompe a partida. Ninguém é atingido. Depois que o fogo se apaga, o jogo recomeça.

43min – Escanteio para o Santos. Bola sobra para Cícero, que cruza para Durval, mas o zagueiro está impedido.

45min – Contra-ataque do visitante. Arouca derruba Pato e recebe amarelo.

48min – Douglas manobra com liberdade no contra-ataque e passa para Pato, livre, que perde o gol.

51min – Léo dribla para o meio e chuta para fora, na última chance do Santos. Em seguida o árbitro pede a bola para Cássio e encerra o jogo.

Com o resultado, o Santos perde o tetra, mas se torna o time paulista com a maior seqüência de conquistas na fase profissional do futebol de São Paulo, com três títulos e cinco finais consecutivas.

Apesar de suas decantadas limitações – analisadas à exaustão neste blog –, o Santos fez neste domingo um de seus melhores jogos no Campeonato Paulista. Só não venceu porque o adversário é, no momento, o time mais equilibrado e competitivo do Estado.

O desafio para o Santos e para os santistas, agora, é promover as mudanças que se fazem necessárias sem expor ou desvalorizar os profissionais. Todos deram o que tem de melhor e se não mais fizeram, é porque não conseguem.

Lutaram até o fim, honraram a camisa do Glorioso Alvinegro Praiano e se faltou técnica a alguns, sobrou coração e amor ao Santos. Bola pra frente. Vida que segue. Quarta-feira tem jogo contra o Joinville.

Agora, com calma e a inteligência superior que é própria dos santistas, vamos analisar o desempenho do time neste Campeonato Paulista e sugerir ao comitê gestor as mudanças necessárias. Cabeça erguida, santista!

Golaço de Cícero faz sucesso na Internet:

E agora, como deve ser o Santos no Campeonato Brasileiro?