Alguns veículos de imprensa estão dando destaque ao fato de Neymar dizer que será “uma honra” jogar ao lado de Messi, Xavi e Iniesta, mas para nós, santistas, o que ele falou de mais importante logo após o empate sem gols contra o Flamengo, em Brasília, é que logo, logo, estará de volta.

“Foi uma grande satisfação, uma grande honra ter passado por este time maravilhoso que é o Santos… Só tenho a agradecer e dizer até logo, que já, já, estaremos de volta”, afirmou minutos depois de repetir as atuações apagadas dos últimos jogos, ver o Santos ser dominado pelo limitado rubro-negro carioca e, graças ao goleiro Rafael, sair do estádio Mané Garrincha com um empate medroso.

Um dia, em um estúdio de tevê, tive a oportunidade de dizer a Neymar que no Brasil ele era muito mais importante do que seria na Europa, pois, entre outras razões, em nossa terra ele é um exemplo de superação para as crianças. Quando ele chorou ao ouvir o Hino Nacional, cercado de crianças, não pude deixar de pensar no que eu lhe disse e ele ouviu com atenção.

Mas nos últimos tempos os seus ouvidos foram ocupados com discursos bem mais convincentes que falavam de fama mundial e cifras milionárias. Nos cinco anos de contrato com o Barcelona ele receberá o equivalente a 2,5 milhões de reais por mês só de salário, mas poderá manter todos os seus patrocinadores, o que deverá lhe garantir mais quatro milhões de reais por mês.

Alguns patrocinadores pagam 20% a mais se o jogador atua em um grande clube europeu. Perceba por aí que dificilmente um clube brasileiro poderá manter os seus craques, a não ser que eles mesmos entendam que dinheiro não é tudo. O jamaicano Usain Bolt recusou propostas irrecusáveis de grandes marcas do esporte para poder continuar treinando na sua Jamaica, ao lado da família e dos amigos. Mas o atletismo é um esporte individual, enquanto no futebol o jogador depende do resto do time.

Pelé ficou no Brasil porque, além a legislação da época dar mais poder aos clubes, o centro do futebol do planeta era aqui e ele tinha ao seu lado alguns dos melhores jogadores do mundo, como Pagão, Coutinho, Zito, Mengálvio, Pepe, Mauro, Gylmar…

Hoje, temos de admitir, Neymar é um craque solitário no Santos. Ele fala uma língua que seus companheiros não entendem e que talvez jamais consigam traduzir. O Santos precisa contratar, ou correrá sério risco de apenas brigar para não ser rebaixado. Isso é muito pouco para um time que quer manter um dos mais cobiçados jogadores do planeta.

Mesmo assim, Neymar demonstra gratidão aos santistas e isso nos faz ter esperanças de que volte um dia e que o time e o clube estejam mais preparados para recebê-lo. Aos 26 anos terminará o seu contrato com o Barcelona. Quem sabe…

Uma coisa é certa: Neymar jamais se iludiu com relação aos que gostam e aos que não gostam dele, aos que queriam verdadeiramente sua felicidade, ou não passavam de falsos amigos e conselheiros. Em outra frase que dificilmente os veículos de comunicação irão repercutir, ele enfatizou: “A torcida do Santos é a única que sempre torceu de verdade por mim”.

E continuaremos torcendo, Neymar. Vá, seja feliz, mate a lombriga e depois volte pra casa. O Santos e os santistas estarão esperando de braços abertos.

Reveja os melhores lances do 0 a 0 que ficou barato para o Santos:
http://youtu.be/BYh3qAza2sQ

Obrigado Neymar!

E você, acha que Neymar voltará um dia?