Felipão está com o time na mão
O Brasil ganhou do Japão por 3 a 0, gols de Neymar, Paulinho e Jô, mostrou um futebol melhor e um Felipão com muita personalidade. Dá pra perceber que ninguém tira uma com o velho técnico. Neymar caiu e começou a mancar. Foi o suficiente para ser substituido por Lucas. No Santos o garoto jogava até com uma perna só. Quantas vezes não saiu de maca, cheio de caretas, e voltou, coxeando, mas voltou, e ficou até o fim do jogo? Se os técnicos do Santos tivessem tratado Neymar sem nhém-nhém-nhém, hoje o rapaz seria mais maduro. Mas parece que Felipão sabe dar um jeito nesses fricotes sem precisar mandar o jogador pra Europa.

estadio mane garrinchaenquanto a bola rola
Presidente Dilma inaugura o elefante bran…, digo estádio Mané Garrincha, cuja construção já provocou manifestações populares. Dos R$ 500 milhões orçados originalmente, obra ficou em R$ 1,5 bilhão.

Brasília não tem futebol. Os seus times mais populares, Brasiliense e Gama, não chegam a atrair um público médio de 2.500 pessoas aos seus estádios. Sim, ambos tem estádios. O do Brasiliense, time que disputa a Série C do Brasileiro, é o popular Boca do Jacaré, com capacidade para 30 mil pessoas, e o do Gama, atualmente tentando voltar para a Série D, é o Bezerrão, que comporta 20 mil espectadores.

A cidade tinha ainda o Estádio Mané Garrincha, para 42 mil pessoas, mas a oportunidade da Copa do Mundo e dessa inexplicável Copa das Confederações fez com que as autoridades decidissem reconstruir o Mané, o que gerou uma evasão nos cofres públicos de 1,5 bilhão de reais.

Especialistas dizem que o estádio, inaugurado com sorrisos e mesuras pelo governo federal, poderia ter sido construído com um terço do valor; ou seja, nada menos do que um bilhão de reais excederam a conta inicial e, obviamente, se perderam por vários bolsos e contas bancárias pelo caminho.

Mais um caso claro de superfaturamento, corrupção, enriquecimento ilícito e outros termos que já ficaram comuns no linguajar diário do povo brasileiro. E se isso ocorre em Brasília, embaixo dos narizes de nossos representantes, o que se esperar do resto do País?

Bem, uma coisa é certa: veremos hoje a Seleção Brasileira enfrentar o Japão em um magnífico elefante branco, que após essa inútil Copa das Confederações ficará a maior parte do tempo parado à espera dos quatro jogos que receberá na Copa de 2014, para depois mergulhar em sono profundo, levando nosso dinheiro para o fundo do poço. Isso é o Brasil!

Nesta Copa das Confederações serão usados seis estádios, mas a quantidade será duplicada para a Copa do Mundo. Sim, 12 estádios novinhos em folha… É fácil imaginar o quanto não foi e ainda será surrupiado para erguer esses verdadeiros monumentos à incomparável, inigualável corrupção brasileira.

Será que em vez de gastar tanta energia para descobrir quem está por trás das manifestações de rua que eclodem das cidades brasileiras, as autoridades não deveriam promover investigações rigorosas para descobrir quem está aproveitando a Copa para passar a mão no dinheiro do chamado povo?

Ou alguém acredita que essas manifestações se devem apenas ao aumento da passagem dos transportes públicos? Na verdade, há uma insatisfação muito grande nas ruas. Os brasileiros estão ficando cansados de ver o mundo evoluir e o País continuar estagnado, dirigido por um governo demagogo, que usa do eterno artifício do pão e circo para seduzi-lo.

Não há segurança, a educação e a saúde sobrevivem precariamente, as estradas estão ao Deus-dará, os portos sucateados, e o governo continua fazendo festa com um dinheiro que poderia amenizar muitos desses problemas. Lamentável. Bem que já me disseram que para os homens do governo, dinheiro público é sinônimo de dinheiro sem dono…

Hoje cedo li que um casal de Campo Grande descobriu a imagem de uma santa que verte mel e por isso quer criar o Hospital da Santa do Mel, que atenderia ao povo de graça e custaria 10 milhões de reais para ser erguido. Reconhecem ser quase impossível conseguir esse dinheiro, mas acreditam no milagre da santa. Pois eu faço as contas aqui e constato que os sete bilhões que gastarão só para fazer esses 12 estádios para a Copa daria para construir 700 hospitais como o da Santa do Mel.

Bem, mas nós, santistas, também estamos sentindo na pele os resultados da irresponsabilidade na administração de um dinheiro coletivo. Infelizmente, levado pelas mãos de ególatras incompetentes, nosso clube parece estar voltando à estaca zero, depois de se tornar um dos mais promissores do planeta. Só nos resta torcer para que os Meninos, mais uma vez, nos salvem.

E quanto ao jogo de logo mais, vou confessar que esta Seleção Brasileira não me empolga e não me representa – não pelos jogadores, mas pelos manipuladores de poder que estão por trás dela e ganhariam muito com o seu sucesso. Já falei que passei parte de minha infância em Yokohama? Pois é. Tenho um pé no Japão, adoro aquele povo que sabe renascer das cinzas. Banzai Nippon!

Dilma abrindo a Copa sob vaias ensurdecedoras:

http://youtu.be/krlQFd3Gtcs

E pra você, o que representa a Seleção e esse monte de estádios superfaturados?