O Santos jogou bem contra o Coritiba, um time que briga pela liderança do Campeonato Brasileiro, e só não ganhou, depois de estar duas vezes na frente, devido aos gols perdidos e aos cochilos do miolo de sua defesa. Mas o empate de 2 a 2 não caiu bem, ainda mais porque os gols do adversário foram sempre ao final dos tempos, quando o Alvinegro Praiano pareceu dar uma cochilada.

Desta vez o técnico Claudinei Oliveira vacilou, ao contrário dos jogos anteriores. Primeiro, que se você perguntar para qualquer santista com mais de quatro anos qual era o grande perigo do Coritiba, todos responderiam: Alex, claro! Pois foi justamente o veterano atacante do time do Paraná que penetrou livre para marcar os dois gols do visitante. Custava marcar o rapaz mais em cima?

E depois porque parece que Claudinei não mexerá mesmo na dupla de zaga santista que, de todas as opções do elenco, é a que sofre mais gols. Concordo que Edu Dracena e Durval têm mais experiência do que Gustavo Henrique e Jubal, mas experiência sem perna não vale nada. Se valesse, eu seria candidato a uma vaga na meiúca do Santos.

É óbvio que não posso afirmar que Gustavo Henrique e Jubal se sairiam melhor do que Dracena e Durval, mas será que eu e toda, ou quase toda, a torcida do Santos, não temos o direito de ver os garotos fazendo ao menos uma partida pelo time profissional? Será que os garotos teriam se saído pior do que os veteranos contra o Coritiba? Positivamente, não acredito.

Logo aos 11 minutos o ataque do Coxa entrou tabelando com facilidade pelo meio da defesa e Alex e Deivid perderam gol certo. Aos 40 minutos Robinho deixou a bola passar, ela correu entre as pernas de Edu Dracena e sobrou para Alex, livre, tocar com categoria na saída de Aranha. Aos 42 minutos do segundo tempo, quando faltava muito pouco para segurar uma vitória importante, Alex veio com a bola dominada desde o meio-campo, Montillo dividiu com ele, mas depois desistiu da jogada, a bola espirrou para Robinho, que fez a parede para Alex vir de trás e, quase caminhando, entrar novamente pelo meio da defesa, se aproveitar das chegadas atrasadas de Durval e Dracena e empatar a partida.

Quanto a Léo, creio que tenha sido o melhor dos veteranos contra o Coritiba, mas agora que chegou à marca de 445 jogos, a sensatez indica que deva começar a se preparar para pendurar as chuteiras. Ou Mena foi contratado para ficar no banco?

Outra coisa que está difícil de engolir é a insistência com Willian José. Se ele sempre sai para a entrada de Giva, por que não colocar Giva desde o início? E o Cicinho, não veio para ser o lateral-direito? Enfim, enquanto fez o feijão com arroz, Claudinei foi bem. Espero que não comece a inventar. Ele nâo pode se esquecer de que só está no cargo porque conhece os Meninos e deve aproveitá-los. Para dar uma de professor Pardal o mercado já tem muitos candidatos mais gabaritados.

Muitas chances perdidas

A primeira grande chance foi do Coritiba, aos 11 minutos: como se a grande área santista fosse uma zona franca, Alex surgiu diante de Aranha, escolheu o canto e acertou a trave. No rebote, Deivid perdeu um de seus gols inacreditáveis.

Aos 20 minutos, porém, em boa jogada pela direita, Galhardo serviu Leandrinho, que com um toque sutil de cobertura deixou Neilton cara a cara com Vanderlei: 1 a 0. Aos 38, Léo deixou Montillo diante do goleiro novamente, mas o argentino demorou para chutar a acabou prensado na hora agá. Dois minutos depois, Alex empatou.

No segundo tempo o Santos fez 2 a 1 aos 18 minutos: Galhardo cobrou a falta muito bem e Cícero subiu para acertar uma cabeçada forte para o chão. Belo gol. O time cresceu e criou outras oportunidades claras aos 23 minutos, com Montillo e Giva; aos 25 e 35, com Giva e aos 39 com Pedro Castro.

Como não fez e como se descuidou de Alex, aos 42 minutos veio o castigo, em nova jogada pelo meio e em nova tabela entre Alex e Robinho. Será que, além da responsabilidade da dupla de zaga, os volantes Alan Santos, Leandrinho e Cícero deveriam ter fechado mais aquele setor? Será que, com a vantagem e perto do fim, todo o time não deveria ter se empenhado na marcação? Sim, provavelmente, mas se os dois zagueiros são os mais tarimbados, deveriam comandar a marcação por ali.

Bem, mas no todo gostei do Santos. Neilton está sempre enchuriçando a defesa adversária, assim como Giva. Alan Santos é bom, Cícero está mais seguro. Montillo vive de altos e baixos, mas agora seus altos têm sido mais constantes. Quanto a Willian José, foi outra contratação contra a vontade da maioria dos santistas, e, como sempre ocorre quando não se ouve o torcedor, o rapaz não está virando.

Só gostaria, como escrevi, de ver essa defesa com caras e fôlego novo. O time tem tomado o mesmo tipo de gol em toda partida. O adversário penetra pelo meio da defesa do Santos como faca quente na manteiga. Com uma dupla de zaga como os garotos Gustavo Henrique e Jubal, será que é recomendável teimar com os respeitáveis senhores que só jogam com a bola no pé e não têm mais poder de recuperação?

Reconheço, porém, que é preciso ter coragem e carta branca da diretoria para tomar algumas decisões e a última coisa que um interino quer é ficar de mal com os macacos velhos do time. Claudinei sabe que, na pior das hipóteses, o tempo ou as contusões tratarão de dar um descanso para os veteranos. O medo é que os garotos se encham e queiram ir embora da Vila Belmiro.

Lamenta-se, finalmente, que o Santos tenha perdido uma ótima oportunidade de ficar bem próximo do G4. Mas, para um time que era desacreditado pela maioria, dominar o jogo contra o Coritiba, que está brigando pela liderança, já merece elogios.

Thiago Ribeiro e… só

Pelo número de jogadores que vendeu, esperava-se que o Santos contratasse mais do que apenas um jogador com condições de ser titular do time. Digo apenas um porque não acredito que Misael, que no Grêmio perdeu a posição para nosso conhecido Adriano, poderá se firmar no Santos. Aliás, não entendi nada esse investimento em mais um volante.

Quanto a Thiago Ribeiro, a contratação solitária, tem, sim, condição de roubar a posição que hoje está entre Willian José e Giva. Ao menos Thiago finaliza melhor do que os outros dois. Além disso, conhece Montillo, com quem jogou no Cruzeiro. Os dois, mais Neilton, poderão compor um ótimo trio atacante.

Creio que o Santos ainda esteja tentando trazer Saviola, ou outro jogador de qualidade incontestável. Se não trouxer, é porque os buracos nas finanças estão mesmo bem profundos, e toda essa grana que entrou está sendo usada para pagar dívidas – o que demonstraria, infelizmente mais uma vez, o péssimo planejamento de uma diretoria que apregoava as maravilhas da gestão corporativa e hoje vende o almoço parta comprar a janta.

Reveja os melhores momentos de Santos 2 x 2 Coritiba:
http://youtu.be/wuk-i7RDIqU

E para você, por que o Santos não venceu o Coritiba?