Montillo custou caro e recebe um alto salário. Por isso é muito mais difícil que ele saia para Léo Cittadini jogar, mesmo que o garoto tenha jogado muito bem contra o Crac e deixado nos santistas a expectativa de vê-lo entrar mais vezes no time. Cícero custou menos e ganha menos do que Montillo, por isso é mais fácil ele sair para a entrada de Cittadini. De qualquer forma, essa relação – quanto cada um custou e quanto ganha – atrapalha a renovação necessária no Santos.

Mas então a diretoria de futebol errou de novo ao contratar Montillo e pagar-lhe o mais alto salário do time? Talvez, pois poderia ter se informado melhor e descoberto que o jogador não estava rendendo bem há pelo menos um ano e muitos cruzeirenses não o queriam mais como titular. Porém, Montillo estava sendo regularmente convocado para a Seleção da Argentina, na qual mantinha um bom rendimento.

Enfim, contratar Montillo foi um erro que qualquer um de nós faria. Infelizmente, contratações equivocadas sempre foram comuns no futebol. Olhemos o São Paulo e constataremos que os últimos reforços obtidos pelo clube fracassaram – do promissor Oswaldo ao veterano Lúcio, passando pelo astro Luís Fabiano e pelo nosso Paulo Henrique Ganso – e isso explica a péssima fase do time do Morumbi.

Contratar errado é humano, mas será que quase sempre contratar errado também é? Digo isso porque, além de Montillo, o Santos trouxe recentemente Renê Junior, Neto, Henrique, Mena, Cicinho, Bill, Miralles, Patito, Galhardo, David Braz, Bruno Peres, Guilherme Santos… e nenhum desses 12 jogadores conseguiu ser titular do time.

Quando se contrata errado, o prejuízo é duplo, pois além do dinheiro investido para se fazer o negócio e os salários mensais do jogador, o técnico é obrigado a escalar o recém-contratado, ou será muito difícil passá-lo pra a frente. O Santos está nessa situação, o que torna mais difícil dar oportunidade aos Meninos.

Talvez os Meninos nem sejam tão melhores tecnicamente do que os mais experientes, porém têm mais motivação e um estado atlético e clínico mais preparado para os embates do futebol. Outra vantagem de colocá-los é que o torcedor do Santos tem mais paciência com eles e apoia mais o time quando eles estão em campo. Por fim, a grande vantagem é que ao jogarem passam a ter seus passes valorizados, o que não ocorre com alguns jogadores em fim de carreira.

O mais complicado dessa situação é que os Meninos foram campeões da Copa São Paulo no início do ano e ainda hoje os titulares da zaga do Santos continuam sendo Edu Dracena e Durval, que na sexta-feira se verão frente a frente com a dupla de atacantes mais perigosa do mundo, formada por Neymar e Messi.

Como não têm mais pernas para correr atrás dos adversários, Dracena e Durval terão de jogar dentro da área do Santos, na sobra, o que fará o meio-campo e o ataque recuarem para protegê-los. Léo também não poderá avançar, pois não tem fôlego para ir e vir. Ou seja, pela insegurança e decadência física de seus zagueiros veteranos, o Santos já entrará em campo como um time acuado, que ficará na roda à espera de um contra-ataque milagroso. E tudo porque contrata muito errado e não tem coragem de colocar os Meninos para jogar.

E pra você, por que o Santos contrata tão mal?