Precisa-se de estagiário que atue como câmera, editor de imagens e faça finalização. Enviar currículo para odircunha@magmacultural.com.br

Com muita personalidade, os Novos Meninos da Vila, enxertados por Aranha, Durval e Mena, foram a Catalão e venceram o Crac por 2 a 0 – gols de Gustavo Henrique e Léo Cittadini – e classificaram o Santos para as oitavas-de-final da Copa do Brasil. Se fossem eliminados, haveria a desculpa de que jogar a Sul-americana seria mais interessante, mas mesmo assim os Meninos demonstraram futebol e muito caráter e fizeram no campo do adversário o que o time titular não conseguiu na Vila Belmiro.

Antes que digam que vencer o Crac é mais fácil do que empurrar bêbado na ladeira, é bom lembrar que este mesmo time foi à Vila Belmiro e arrancou um empate de 1 a 1 contra uma equipe que tinha os experientes Léo, Arouca, Cícero e Montillo (Edu Dracena não tinha jogado a primeira partida).

Em Catalão, movido apenas pela energia dos Meninos, o Alvinegro Praiano foi um time mais motivado. Sua defesa deu menos oportunidades ao ataque goiano, o meio-campo disputou toda bola com vontade e o ataque apareceu em momentos decisivos, fazendo o suficiente para um triunfo indiscutível. E depois, com a vantagem de dois gols assegurada, o time tocou a bola com tranquilidade.

O jogo deixou claro o que os leitores e comentaristas deste blog já perceberam há tempos. Com os Meninos o Santos pode perder maturidade, o que é normal, mas ganha em vitalidade, determinação e técnica, pois apesar do gramado duro, que dificultava o toque de bola, a equipe saiu jogando várias vezes de sua defesa, o que não acontecia antes.

Gustavo, Léo, Alison e Mena, os destaques da partida

O zagueirão Gustavo Henrique é uma realidade. Além de não deixar passar nada lá atrás, o garoto tem calma e categoria para sair jogando e é eficiente quando vai à área adversária para aproveitar os cruzamentos. Com precisão e reflexo enfiou o pé na bola para inaugurar o marcador, após uma venenosa cobrança de falta de Galhardo.

A estreia do lateral-esquerdo Mena foi boa. Não mostrou nada de excepcional, mas não comprometeu. Entendeu-se bem com Neilton e outros jogadores que caíram pelo seu setor. Com a aposentadoria de Léo, finalmente marcada para o final do ano, Mena deverá disputar a posição com Émerson Palmieri.

O volante Alison vinha sendo um dos melhores em campo até sentir fortes cãibras e ser substituído. Forte, ágil, com ótimo timing na hora de dar o bote, o rapaz cansou de roubar a bola ou fazer cortes oportunos, atrapalhando o setor de armação do adversário. Fez boa dupla com o sóbrio Alan Santos, que voltou a jogar bem.

Mas quem entrou no jogo para animar o torcedor santista foi o meia Léo Cittadini. Em pouco tempo ele mostrou que faz jus às expectativas dos torcedores. Esguio e elegante como os grandes meias do nosso futebol, ele tratou a bola com carinho, soube protegê-la quando necessário e ainda foi à frente para completar a jogada de Willian José e marcar, de cabeça, o seu primeiro gol com a camisa sagrada do Alvinegro Praiano.

Gostei de Aranha, Galhardo, Leandrinho e Durval. O veterano zagueiro joga à vontade ao lado do novato Gustavo Henrique. Gostei também de Neilton – ao final do jogo cercado pelas crianças de Catalão -, que teve uma atuação sem jogadas espetaculares, mas muito eficiente para o time. Só não fiquei muito satisfeito com o meia Pedro Castro e o atacante Giva.

Pedro Castro demonstrou dificuldade para dar andamento rápido e limpo para as jogadas. Ele pareceu se enroscar com a bola. Léo Cittadini entrou e em pouco tempo foi possível perceber a grande diferença técnica entre ambos. Creio que não demorará muito para Cittadini ser o titular.

Quanto a Giva, que desta vez iniciou a partida, mostrou-se participativo como sempre, mas lhe faltou categoria e precisão para aproveitar as oportunidades. Desta vez Willian José foi melhor. Creio que esta posição será de Thiago Ribeiro.

O Santos do Futuro

Não digo que já tenham de assumir a titularidade, mas é evidente que com um pouco mais de tempo esses Meninos poderão formar um time jovem e muito interessante, que preserve a tradição santista de jogar bonito e marcar muitos gols. Depois de ver a vitória contra o Crac, eu diria que o Alvinegro caminha para ter um time titular com Aranha, Cicinho (ou Galhardo), Gustavo Henrique, Jubal e Mena; Alison, Alan Santos, Leandrinho e Léo Cittadini; Neilton e Thiago Ribeiro.

Reveja os melhores momentos de Crac 0 x 2 Santos:

http://youtu.be/CiadbSCKeDo

Parabéns ao Galo do Cuca!

Não sei qual foi o ibope, mas garanto que deve ter sido dos maiores. Brasileiro gosta de bom futebol e de jogos importantes. É isso que defendemos neste blog. Não se trata de ser a favor ou contra um ou outro time, mas sim a favor do futebol. O jogo a ser transmitido pela tevê deve ser, sempre, o mais atrativo e relevante, e não privilegiar nenhum clube. Ontem o apaixonado pelo futebol acompanhou o jogo e testemunhou a redenção de um time e de um técnico. Cuca já foi um bom meio-campo do Santos. Como técnico pegou o time em uma fase muito ruim e não foi bem. Mas a vida e o futebol são cíclicos. Ontem viveu a maior alegria de sua vida. Parabéns! O santista sabe como é bom ser campeão da Libertadores.

E pra você, o que representou a vitória dos Meninos contra o Crac?