gabriel
Gabriel entrou e infernizou a defesa do Grêmio (Fotos: Ivan Storti/ Comunicação Santos FC)
Gabriel, Alison e Alan Santos
Gabriel, Alison e Alan Santos – os novos Meninos da Vila pedem passagem.

O garoto fará 17 anos apenas no dia 30 deste mês. Como não esperava jogar, apesar de o clube estipular a multa de seu passe em 100 milhões de reais, foi à Vila Belmiro apenas para assistir ao jogo de ida contra o Grêmio, pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil.

Gabriel nem chuteira levou, já que Victor Andrade era o escolhido do técnico Claudinei Oliveira para ficar no banco de reservas. Mas um problema físico de última hora tirou Victor do grupo e Gabriel ocupou seu lugar. Faltando dez minutos para terminar o jogo que o Santos empatava sem gols, o técnico Claudinei resolveu tirar Neilton, que realmente estava mal, e arriscar Gabriel.

Sem pressão, o menino que não é alto (1,70m), mas bem mais atlético do que Neilton, logo na primeira bola deu uma arrancada do meio de campo que só foi parada com falta. Um minuto depois lá estava ele na área para aproveitar o bom cruzamento de Montillo e, de esquerda, colocar no canto esquerdo de Dida. Santos 1, Grêmio 0, enfim uma vitória, e justa. Depois desse desempenho, será difícil para Claudinei ignorar o talento e a personalidade deste vibrante Menino da Vila.

Mas este triunfo não se deve apenas à impetuosidade própria de um garoto acostumado a fazer gols em todas as categorias nas quais jogou. Se não foi brilhante, ao menos o Santos se mostrou mais equilibrado. Mesmo com atacantes experientes e perigosos, como Kléber Gladiador e Barcos, o Grêmio não teve muitas oportunidades, e o Santos, que jogou um primeiro tempo mais preocupado com a defesa, soltou-se um pouco mais no segundo e fez o suficiente para vencer.

Acho que Claudinei acertou ao escalar Thiago Ribeiro na frente. Ele é mais versátil e técnico do que Willian José. Pena que Neilton não esteve bem. Mas a entrada de Gabriel resolveu as coisas no ataque. Se Victor Andrade tivesse condições, também seria uma boa opção.

No meio, ficou evidente que Marcos Assunção não tem mais pernas. O time melhorou com a entrada de Leandrinho no seu lugar, e de Alan Santos improvisado no lugar de Galhardo. Alison novamente teve ótima atuação como volante, e Cícero ficou no feijão com arroz de sempre.

Na defesa, Aranha comprometeu em uma bola que espalmou nos pés de um jogador do Grêmio (que chutou por cima), mas no mais foi bem. Mena deu pro gasto pela esquerda e mostrou que faz tudo mais ou menos, porém tem algo que Léo já perdeu, que é o poder de recuperação.

Edu Dracena voltou a ser o melhor do setor e Durval foi o espalha-brasa habitual. Ambos novamente não se falaram em uma bola cruzada que pegou Kléber completamente livre embaixo do gol. Sorte que o atacante gremista cabeceou para fora.

Desta vez o Alvinegro Praiano soube tocar a bola com mais precisão e teve calma para segurar o jogo depois de fazer o gol. Por pouco, aliás, não faz mais um, aproveitando as boas triangulações entre Montillo, Mena e Thiago Ribeiro pela esquerda.

Muito disputado, o jogo chegou a ser ríspido algumas vezes, com entradas violentas de ambos os lados. O árbitro Jailson Macedo Freitas, da Bahia, deu oito cartões amarelos, cinco deles para santistas (Gabriel ganhou o dele por tirar a camisa na hora de comemorar o gol).

O público, ah.., o público foi o mesmo de sempre: 6.195 pagantes. Para o sábado, no jogo diante do Vitória, pelo Campeonato Brasileiro, o clube está prometendo ingressos a 10 reais. Demorou! Mas o ideal mesmo é jogar no Pacaembu a preços populares.

Com a vitória, o Santos precisará ao menos de um empate na semana que vem, em Porto Alegre, para passar à semifinal da Copa do Brasil. Se jogar com a aplicação que demonstrou na Vila Belmiro, terá boas chances de conseguir o que para muitos era uma façanha impossível.

Ficha técnica

Santos 1 x 0 Grêmio

Oitavas-de-final da Copa do Brasil

Vila Belmiro, 19h30

Santos: Aranha; Rafael Galhardo (Alan Santos), Edu Dracena, Durval e Mena; Alison, Marcos Assunção (Leandrinho), Cícero e Montillo; Neílton (Gabriel) e Thiago Ribeiro. Técnico: Claudinei Oliveira.

Grêmio: Dida; Werley, Rhodolfo e Bressan; Pará, Souza, Ramiro (Lucas Coelho), Riveros (Guilherme Biteco) e Alex Telles; Kleber (Matheus Biteco) e Barcos. Técnico: Renato Gaúcho.

Gol: SANTOS: Gabriel, aos 36 minutos do segundo tempo

Arbitragem: Jailson Macedo Freitas (BA), auxiliado por Carlos Berkenbrock (SC) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA).

Cartões amarelos: Montillo, Edu Dracena, Neílton, Durval e Gabriel (Santos); Barcos, Bressan e Kleber (Grêmio).

Público: 6.195 pagantes. Renda: R$ 173.547,00.

Reveja os melhores momentos de Santos 1 x 0 Grêmio:
http://youtu.be/TOfAjbFJqNo

Você acha que Claudinei valorizará mais os Meninos depois dessa vitória?