O fato de empatar, fora de casa, com Corinthians e Flamengo, já mostrava que o Náutico, apesar da situação dramática na tabela, não seria um adversário fácil para o Santos, na Vila Belmiro. Mas poucos poderiam imaginar que o time pernambucano se mostraria mais organizado e perigoso do que o Alvinegro Praiano, a ponto de criar várias oportunidades de gol e abrir o marcador aos 37 minutos do segundo tempo, com Maikon Leite.

A vaca já estava indo celeremente para o brejo quando Cícero, aos 39 minutos, empatou a partida em bela cobrança de falta. Esse pontinho conseguido com o empate caiu do céu, pois se um time merecia sair da Vila com a vitória, esse foi o Náutico, muito bem orientado por Marcelo Martelotte, aquele mesmo que treinou o Santos em 2010. Em alguns momentos pareceu que o time da casa era o Timbu.

Não se pode negar que um resultado desses mostra a limitação técnica do Santos. Sem Thiago Ribeiro, suspenso, e perdendo Montillo ainda no primeiro tempo, por contusão, só restou Cícero como um criador de jogadas ofensivas. Os laterais Mena e Cicinho não foram bem, Giva e William José se atrapalharam com a bola e Renê Junior mais uma vez foi um desastre na hora do passe.

O leitor deste blog tem insistido, até com expressões chulas, que o técnico Claudinei Oliveira é medroso. Contra o Náutico ele se mostrou, no mínimo, cauteloso demais. O lógico era ir pra cima com três atacantes. Porém, se desguarnecesse o meio-campo, talvez, ao invés do empate, o Santos teria perdido do lanterna do campeonato. Analisar depois do resultado é covardia.

De qualquer forma, apesar do resultado e da atuação decepcionantes, não se pode jogar a toalha. O Santos passou para o sexto lugar, com 33 pontos, apenas seis atrás do Grêmio, o quarto colocado. Se o futebol fosse absolutamente lógico, esse empate melancólico contra o Náutico tiraria o Santos de qualquer perspectiva de conseguir uma vaga para a Libertadores de 2014. Mas não é assim que funciona.

Sem maiores responsabilidades, o Náutico pôde mostrar um futebol solto, descompromissado, que provavelmente não mostraria se ainda tivesse maiores possibilidades de se manter na Série A. Outros times, mais gabaritados, se mostrarão menos desenvoltos quando enfrentarem o Santos em São Paulo. Por outro lado, as voltas de Thiago Ribeiro e Montillo darão ao Alvinegro Praiano mais força ofensiva.

Veja os melhores momentos de Santos 1 x 1 Náutico:
http://youtu.be/XT9BC53ysFc

E pra você, o que significou esse empate com o lanterna Náutico?