alison volta
Mais pegada no meio campo: Alison volta ao time (Foto: Ivan Storti/ Divulgação Santos FC).

Muitos santistas já fizeram as contas e chegaram à conclusão de que o Santos terá grandes possibilidades de se aproximar do G4 se obtiver uma vitória, hoje, a partir das 19h30m, sobre o bom Atlético Paranaense, em Curitiba. Realmente, o triunfo é possível, apesar de o empate ser o resultado mais lógico devido aos desfalques de Montillo, Mena e Gabriel e da boa fase do discreto, mas bem ajustado time do Paraná treinado por Vagner Mancini.

Com a volta do ótimo Alison, o Santos terá um meio-campo com três garotos (Alison, Alan Santos e Leandrinho) e o experiente Cícero. Esses quatro se saíram muito bem contra o Fluminense. Não só na marcação, mas na saída de bola parta os contra-ataques.

Hoje o ataque terá Everton Costa novamente no lugar de Gabriel, que foi convocado para a Seleção Brasileira Sub-17. Costa, que ao menos mostrou muita disposição contra o Flu, fará dupla com Thiago Ribeiro, que tem melhorado a cada partida.

Na defesa, a polêmica: Claudinei Oliveira, que pelo jeito não confia nem um pouquinho no jovem Émerson Palmieri, pediu para Léo reconsiderar sua decisão de não jogar mais na lateral-esquerda e o escalou hoje. É claro que torceremos muito pelo veterano, mas a decisão do técnico foi, no mínimo, temerária, pois uma falha crucial poderá encerrar a carreira do pequeno grande lateral de maneira constrangedora.

Nas outras posições, Durval continua prestigiado na quarta-zaga, ao lado de Edu Dracena, enquanto Cicinho, o melhor jogador do time contra o Fluminense, está confirmadíssimo na lateral-direita. No gol, o regular e um tanto volumoso Aranha.

Pelo que jogou contra o Fluminense, uma vitória do Santos não pode ser descartada. E se ela ocorrer o time poderá sonhar terminar o turno bem próximo do G4, pois tem duas partidas a menos do que os demais e terá jogos diante de sua torcida. Mas em Curitiba o Santos enfrentará um time que gosta de atacar e sabe fazer gols.

Atlético/PR, modesto, mas ofensivo

Este Atlético, aliás, é um exemplo de que jogar de maneira eficiente e ofensiva não exige um grande elenco, mas sim uma filosofia de jogo adequada e jogadores capazes e dispostos a cumpri-la. Perceba que o elenco do time do Paraná é uma mistura de veteranos, como o zagueiro Luiz Alberto e o meio-campo Paulo Baier, e jovens como Zezinho, 21 anos, que em 2010 passou pelo Santos, sem sucesso.

O segredo do Atlético, que jogou a Série B no ano passado e neste Brasileiro saiu da zona de rebaixamento para a terceira posição da tabela – e poderá ser a segunda, se derrotar o Santos – é o sistema de jogo destemido de Mancini. Com 32 gols marcados, o time só não tem melhor ataque do que o líder Cruzeiro (38), mas fez 14 a mais do que o Santos e 13 a mais do que o atual campeão do mundo, o Itaquerense de Regatas, Bocha & Dominó.

Com 30 pontos, o Atlético Paranaense vem de três vitórias consecutivas – a última diante do Náutico, em Recife – e está há dez jogos sem perder. O Santos, com 22 pontos, venceu Ponte Preta e Fluminenses, ambos por 2 a 0, nas suas últimas partidas e nos dez últimos jogos pelo Brasileiro só perder da Ponte Preta, em Campinas, por 1 a 0.

Times prováveis

Atlético/PR: Weverton, Léo, Manoel, Luiz Alberto e Willian Rocha; João Paulo, Zezinho, Everton e Paulo Baier; Marcelo e Ederson. Técnico: Vagner Mancini.

Santos: Aranha, Cicinho, Edu Dracena, Durval e Léo; Alison, Alan Santos, Cícero e Leandrinho; Everton Costa e Thiago Ribeiro. Técnico: Claudinei Oliveira.

Árbitragem: Marcelo de Lima Henrique (FIFA-RJ), auxiliado por Thiago Gomes Brigido (Asp FIFA-CE) e Jose Javel Silveira (RS).

Reveja o confronto de ambos pelo Campeonato Brasileiro de 2011:

E pra você, como o Santos deve jogar para vencer o Atlético/PR?