Força aí, Schummy!
Como jornalista, tive a sorte de conviver com Ayrton Senna. Quando ele morreu, perdi o interesse pela Fórmula-1. Pouco posso falar desses novos grandes pilotos, pois o último dos gênios do volante que acompanhei foi o alemão Michael Schumacher. Simpatizei-me ainda mais com Schummy quando ele fez questão de visitar a Vila Belmiro e jogar uma partida beneficente ao lado de Diego e Robinho. Agora, como todos sabem, ele sofreu um acidente de esqui, ao tentar ajudar uma criança, e está em coma. Torço demais pela sua recuperação. Schumacher, assim como Senna, é exemplo de campeão sem substituto. Relembre o dia em que ele foi mais um Menino da Vila:

Segunda-feira o Santos deverá pagar os € 13 milhões (cerca de R$ 41,6 milhões) ao Internacional, pelo passe de Leandro Damião. Para esta transação, que representa a maior da história entre times brasileiros, a diretoria do Alvinegro Praiano diz estar recebendo o dinheiro da Doyen Sports, que terá todos os direitos sobre o jogador. Se for assim, o negócio pode ser considerado bom para o clube.

Mas há versões de que a Doyen estaria apenas emprestando o dinheiro ao Santos, a juros de 1% ao mês, o que poderá tornar essa transação uma grande dor de cabeça, principalmente para as futuras administrações do Alvinegro. De qualquer forma, espero que tudo isso seja esclarecido quando o jogador for apresentado à imprensa.

Outro reforço pretendido é o chileno Vargas, atacante do Napoli que na última temporada defendeu, por empréstimo, o Grêmio de Porto Alegre. Como o Napoli ainda deve ao Santos R$ 11 milhões relativos ao passe do goleiro Rafael, o Alvinegro está usando isso para abater no valor de Vargas, que viria por empréstimo de um ano e meio, com salário de US$ 120 mil, ou R$ 270 mil. Mas há um complicador: o clube italiano quer empurrar o zagueiro Bruno Uvini no negócio. Com 22 anos, revelado pelo São Paulo, Uvini é reserva no Napoli.

Damião e Vargas têm sido bastante comentados na mídia, mas do que o Santos precisa mesmo é de um meia, para dar ao meio-campo e ao ataque a precisão e a fluidez necessárias. Por isso, o retorno de Diego, no Wolfsburg, seria providencial. Na falta do Menino da Vila, quem sabe este Lucas Lima, que está vindo do Internacional de Porto Alegre, possa se firmar na meiúca da Vila.

Aos 23 anos, 1,74m, este jovem que começou na Internacional de Limeira parece ter habilidade e visão de jogo. A seguir, trago alguns bons momentos do rapaz que fucei no Youtube:
http://youtu.be/PO_VJC-MQpE

Um papo com o Léo Citadini

Diante dessa premência do Santos por meias, ou ao menos por um meia com “M” maiúsculo, toda tentativa é válida. Não digo que seria a solução, mas por que não fazer o máximo para dar ao garoto Léo Cittadini amplas possibilidades de lutar por esta vaga? Como? Ora, pra começar, com um bom papo. Como seria ele? Vamos lá:

Fosse eu um diretor de futebol do Santos, chamaria o garoto para conversar antes das férias e diria: “Léo, você saber que o Santos precisa de um bom meia. Você pode ser o cara, mas ainda está faltando muita coisa para se candidatar a ser titular do time. O que? Ora, fundamentos, como o passe, o chute, o domínio da bola, a visão de jogo e a determinação. Sei que um mês é pouco tempo, mas você está vivendo um momento crucial de sua carreira, garoto. Agora, ou vai, ou racha. Não gostaria de abrir mão das férias e passar este mês treinando diariamente aqui no clube? Colocarei alguém para lhe orientar este tempo todo e também virei de ter. Essa pode ser a diferença que vai lhe tornar um jogador mais completo. Está a fim? Vamos encarar esse desafio juntos?”.

Não sei o que o garoto diria, mas acho que se tivesse essa atenção da diretoria de futebol do clube e lhe fosse colocado um profissional especializado em um treinamento de fundamentos, ele sairia mais preparado e fortalecido para a próxima temporada. Leio que o Santos já pensa em emprestá-lo para um time pequeno, a fim de que ganhe experiência. Mas se essa experiência, esse refinamento, pode ser dado no CT Rei Pelé, por que passar essa responsabilidade para um clube menos aparelhado do que o Santos?

Por falar em Cittadini, domingo, às 17 horas, na Vila Belmiro, o Santos estreia na Copa São Paulo de Futebol Junior enfrentando o Alecrim, do Rio Grande do Norte. Neilton, que brigou com o empresário e agora quer ficar no Santos, é uma das atrações do Alvinegro Praiano na Copinha. A defesa do título está em jogo. Vamos prestigiar.

Você não acha que o Santos precisa mesmo é de um super meia?