damiao - cabecada
Leandro Damião cabeceia à queima-roupa, para defesa de Vágner com o peito (esta e as demais fotos deste post foram feitas por Ricardo Saibun, da Divulgação do Santos FC).
trofeu de vicegabriel - ituano
O troféu de vice-campeão não é o mais cobiçado, mas é melhor do que diploma de participação. Gabriel entrou no final para tentar fazer o gol que Damião buscou inutilmente.
geuvanio - gol perdidocicero - penalti
Geuvânio lamenta o gol perdido que teria decidido o título. Desta vez Cícero acertou dois pênaltis – no jogo e na disputa final.
time ajoelhadoneto consolado
Jogadores ajoelhados no meio do campo, Arouca reza. O Santos merecia o título pela campanha, mas o Ituano foi um adversário valente nas finais. Cícero e Alison consolam Neto por ter perdido o pênalti decisivo.

Amigos, este blog ficou fora do ar por uma falha absurda do UOL Host, mas este é um caso que será discutido na justiça. Aqui não é lugar para destacar a eterna negligência com o consumidor brasileiro. É lugar de se falar de futebol e, particularmente, do nosso Santos. Estou muito feliz de estar de volta, mesmo em dia tão pouco propício.

Sintomaticamente, o blog volta justamente após a derrota do Santos em uma final de Campeonato Paulista em que era amplo favorito. Não me lembro de ter perdido outra decisão em que era tão teoricamente superior ao adversário. Porém, antes de estar indignado, estou aqui, humildemente, tentando aprender as lições desse revés.

Não culpo o regulamento, apesar de o Santos terminar a competição com sete pontos ganhos a mais do que o campeão; muito menos culpo o velho e bonito Pacaembu, segunda casa do Alvinegro Praiano e onde ganhou inúmeros títulos.

Sejamos bons perdedores e estendamos a mão ao bravo Ituano, que nos ensinou como um time com baixo orçamento pode fazer frente aos grandes de São Paulo. Se a direção do Santos tiver a capacidade de extrair dessa derrota a lição que ela oferece, certamente dias melhores virão para a comunidade santista.

Mas, se neste blog fizemos uma enquete na qual ficou claro que os santistas não queriam Leandro Damião pelo valor que se pagou por ele, e chegavam até a pedir que o negócio fosse desfeito enquanto havia tempo, e apesar dessa posição tão evidente, nada foi feito pelos dirigentes do clube para impedir que o mico viesse pousar no ombro da Vila Belmiro, então não sei se lições como a deste domingo serão absorvidas pelos homens que mandam no Santos.

Creio que o inteligente, organizado e ardiloso Juninho Paulista montaria 20 equipes como a deste Ituano se dispusesse dos 42 milhões que o Santos pagará, em infinitas prestações, pelo passe de Leandro Damião – o centroavante que não fez gols nas finais e nem ao menos estava em campo na hora decisiva de se cobrar os pênaltis (já disseram que pênalti é tão importante, que deveria ser batido pelo presidente do clube. Imagine, então, quando se trata de um pênalti que pode decidir o campeonato…).

Sei que Damião foi contratado com a desculpa de que poderia ser convocado para a Copa e daria mais visibilidade ao Santos, atraindo um patrocinador máster. Quem caiu nesse conto não enxerga bulhufas de futebol. Damião é um jogador limitado, não está cem por cento fisicamente, não será convocado por Felipão e não vale nem metade do que se pagou por ele. Vinte milhões de reais já seria muito caro!

O técnico Oswaldo de Oliveira está sendo obrigado a escalar Damião para justificar o investimento e aumentar a possibilidade de que surja um interessado no jogador. É como comprar um imóvel em período de bolha imobiliária e ter a certeza de que jamais conseguirá vendê-lo pelo que se pagou. Enfim, prejuízo na certa! Esta, para mim, é a pior derrota do Santos nos últimos meses, não o insucesso diante do Ituano, que venceu no campo, usando os recursos que tinha e movido por uma vontade admirável.

Porém, de qualquer forma, é melhor chegar à final e participar do espetáculo até o fim, do que ficar de fora, torcendo contra. Alcançar a sexta final consecutiva do Estadual de melhor nível técnico do país não é para qualquer um. Com alguns ajustes o Santos entrará forte no Brasileiro. O seu maior problema, repito, é descobrir o que fazer com Leandro Damião.

SANTOS (6) 1 X 0 (7) ITUANO

Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)
13 de abril de 2014, domingo, 16 horas

Santos: Aranha; Cicinho, Neto, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Cícero; Geuvânio (Alan Santos), Leandro Damião (Gabriel) e Thiago Ribeiro (Rildo). Técnico: Oswaldo de Oliveira.
Ituano: Vágner; Dick, Alemão, Anderson Salles e Dener; Josa e Jackson Caucaia; Paulinho (Marcinho), Cristian (Marcelinho) e Esquerdinha; Rafael Silva (Jean Carlos)
Técnico: Doriva.
Gol: Cícero, aos 46 minutos do primeiro tempo.
Pênaltis
Santos: Cícero, Alan Santos, David Braz, Gabriel, Arouca e Alison converteram; Rildo (quarta cobrança – trave) e Neto (oitava cobrança – defesa) perderam.
Ituano: Jackson Caucaia, Marcelinho, Esquerdinha, Marcinho, Jean Carlos, Dener e Josa converteram; Anderson Salles (segunda cobrança – defesa) perdeu.
Arbitragem: Raphael Claus, auxiliado por Carlos Augusto Nogueira Júnior e Danilo Ricardo Simon Manis.
Público: 34.964 pagantes
Renda: R$ 1.991.845,00
Cartões amarelos: Vladimir, David Braz e Arouca (Santos); Rafael Silva, Esquerdinha e Cristian (Ituano).
Cartão vermelho: Cicinho (Santos)

Melhores momentos de Santos 1 (6) x 0 (7) Ituano

E pra você, amigo e amiga, de quem eu estava com tanta saudade, que lições o Santos aprendeu nessa decisão de Campeonato Paulista com o humilde Ituano?