Espanholização só pode dar Real ou Barça

Até minha mãe, dona Olímpia, torceu para o Atlético de Madrid. Por dois minutos e meio não deu. O Real Madrid é o melhor que o dinheiro pode comprar. Cristiano Ronaldo, Bale, Marcelo… Agora, quem sabe, só daqui a 40 anos. O Atlético está condenado a ser um eterno coadjuvante. Queremos isso para os outros clubes grandes do Brasil? Pense.

#naovaiterolimpiada – Minha coluna desta sexta-feira no jornal Metro de Santos

a href=”http://www.metrojornal.com.br/nacional/colunistas/nao-vai-ter-olimpiada-93735

Antes que façam mais uma burrada, fiquem sabendo que os santistas não querem o caro e grosso Julio Batista. Não joguem mais dinheiro fora! Não façam dívidas que vocês não vão pagar!

http://youtu.be/RleW1WouGqE

Morreu Joel Camargo

odir e joel
Um dia feliz pra mim: quando pude entrevistar Joel Camargo para o Museu Pelé. Prefiro ficar com essa imagem do grande zagueiro (Foto: Aline Ribas/ Museu Pelé).

O amigo Vanderlei Lima, do UOL, acaba de me ligar para avisar que Joel Camargo, que estava internado na Santa Casa de Santos, morreu na manhã desta sexta-feira, aos 67 anos. Um dos mais clássicos zagueiros que o Santos teve, foi uma das “Feras do Saldanha” e participou de todos os seis jogos do Brasil nas Eliminatórias para a Copa de 70. Com a substituição de Saldanha por Zagallo, Piazza foi recuado para a quarta-zaga e Joel saiu do time. Não se considerava campeão do mundo, pois achava que “campeões são os que jogaram”. Mas Eliminatórias também fazem parte da Copa. Recentemente, ao entrevistá-lo para o Museu Pelé, lembrei-lhe que participou do jogo de maior público, oficial, do Maracanã: a vitória de 1 a 0 sobre o Paraguai que levou o Brasil para a Copa do México – 183.341 pagantes, em 31/08/1969. Chamado de “Açucareiro”, por carregar a bola com os braços abertos, Joel jogou no Santos de 1963 a 1971, fez 309 jogos pelo Alvinegro Praiano e marcou cinco gols. Nasceu em 18 de setembro de 1946 e começou no futebol aos 17 anos, na Portuguesa Santista. Depois do Santos defendeu o Paris Saint-Germain e o Saad. Ao pendurar as chuteiras trabalhou 20 anos como estivador do Porto de Santos e também deu aula de futebol em escolinhas. Morava com a filha e a netinha bem em frente ao Sesc de Santos. Seu velório está sendo realizado na Santa Casa de Santos. O enterro será nesta sexta-feira, às 16 horas, no Cemitério da Filosofia, no Saboó, em Santos.

Santos fará sua final de Copa do Mundo domingo, no Morumbi

Meus amigos e amigas, o futebol tem jogos que são verdadeiros divisores de águas. E domingo, às 16 horas, no Morumbi, Santos e Flamengo farão um desses. A vitória significará esperança, otimismo, enquanto a derrota trará crise e desespero. O time que estava indo bem, mas deixou escapar no mínimo um ponto contra o Atlético Mineiro e mais dois contra o Goiás, poderá se redimir em grande estilo em um Morumbi de tantas tradições santistas. Basta ter fé, força e futebol. É nessas horas que os jogadores de verdade aparecem e os enganadores borram los pantalones.

Como bem disseram alguns sábios comentaristas deste blog, eu poderia usar o mesmo título do jogo contra o Atlético Mineiro para a partida diante do Goiás. Mais uma vez o Santos estava indo bem, com a vitória nas mãos, mais uma vez a defesa foi pega desprevenida e mais uma vez dois jogadores abandonaram o campo por contusões musculares: Gabriel, o melhor atacante santista, que deverá fica no mínimo duas semanas afastado, e Renato, que mal estreou, já sentiu o esforço.

Na verdade, o que o ataque fez, a defesa desfez. O estreante Renato estava indo bem, mas acabou errando o passe que deu o gol de empate ao adversário. Apesar das falhas, o Santos ainda poderia ter vencido. Em cima da hora Victor Andrade ganhou jogada na entrada da área e serviu Stéfano Youri, que perdeu o gol diante do bom goleiro Renan. Uma pena. Seria uma vitória que manteria o time próximo da ponta da tabela. Agora é vencer ou vencer.

Caiu-se em uma rotina que incomoda o torcedor. Ele não confia mais em alguns jogadores e muito menos no técnico Oswaldo de Oliveira. Mas isso pode mudar com uma boa vitória domingo. Por isso, se eu fosse jogador do Santos, comeria a grama do Morumbi em busca dessa vitória. E como sou apenas um aficionado, estarei nas arquibancadas gritando pelo time.

Meus amigos, a garra é importante. Tanto, que nesta quinta-feira, ao gravar as holografias para o maior museu já dedicado a um desportista no mundo, o Museu Pelé, o Rei do Futebol confessou-nos que antes de ir para o campo dizia a seus companheiros que se não desse na técnica, a vitória tinha de vir na garra. E perceba que quem falava isso era o jogador mais técnico que já surgiu nessa parte da galáxia.

Portanto, santistas, de Aranha a Geuvânio: joguem com inteligência, técnica, mas também muita vontade neste domingo, para buscar diante do Flamengo esse triunfo que pode colocar o Santos em um caminho mais suave neste Campeonato Brasileiro. Vençam, e serão recompensados. Percam, e sentirão mais uma vez a crueldade do torcedor.

111.111 torcedores viram esta vitória do Santos de Serginho sobre o Flamengo de Zico:

Ingressos para o grande jogo

No auge da explosão de sua torcida, o Santos atraiu 225.592 torcedores em dois jogos contra o Flamengo, no Morumbi, disputados em um intervalo de apenas três meses e meio. Em 2 de fevereiro, venceu por 3 a 2, diante de 111.111 pessoas, e em 22 de maio, no primeiro jogo da decisão do Campeonato Brasileiro, venceu novamente, desta vez por 2 a 1, com um público de 114.481 espectadores.

A decisão do Brasileiro de 1983, como se sabe, marcou um recorde de público da competição, com 155.523 pessoas – Maracanã, 29 de maio de 1983. Portanto, estamos falando de um jogo que tem grande tradição de público, sem contar a importância técnica. Ninguém esquece, por exemplo, o lendário 5 a 4 que o Flamengo de Ronaldinho Gaúcho impôs ao Santos de Neymar em plena Vila Belmiro, no Brasileiro de 2011.

Enfim, Santos e Flamengo são daqueles jogos em que sempre se espera algo especial, mesmo numa de pouco brilho como esta que o futebol brasileiro está vivendo. Por isso, se o torcedor do Santos estava esperando uma oportunidade para exercer a sua paixão pelo Alvinegro Praiano, ela chegou. O clube está colaborando e reduziu o preço dos ingressos. Vamos todos ao Morumbi.

A comercialização de ingressos para os associados será feita pelo www.sociorei.com.br até às 15 horas deste sábado. As arquibancadas amarelas custam 5 reais e as vermelhas, 10 reais. Donos de cadeiras cativas, especiais e camarotes também podem reservar os bilhetes pelo site.

Postos de venda da Baixada Santista e São Paulo

Vila Belmiro – Rua Princesa Isabel, s/ nº – Santos.

Ginásio do Ibirapuera – Av. Manoel da Nóbrega, 1361 – Ibirapuera – São Paulo – Aberto de segunda a sábado, das 11h às 17h.

Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi) – Pça. Roberto Gomes Pedrosa, s/nº – São Paulo. Na venda antecipada, das 11h às 17h, bilheteria 02.

Pacaembu: Praça Charles Miller s/n – São Paulo – Bilheteria principal (próxima do portão principal).

Estádio Anacleto Campanella (São Caetano): Avenida Walter Thomé, 64 – São Caetano do Sul.

Alexi Calçados – Av. Ana Costa, 549 (Shopping Parque Balneário, 51, Térreo) – Tel: (13) 3284-5518. Aberto de segunda a sábado, das 10h às 21h.

Ali-Car Auto Peças, Serviços Mecânicos, Elétricos, Injeção Eletrônica e Correias Industriais – Socorro 24 Horas – Via Santos Dumont, nº 752 – Vicente de Carvalho – Guarujá – Tel.: (13) 3352-5077– Aberto todos os dias 24 horas.

Empório Brasil Esportes – Rua Jacob Emmerick, 448 – Centro – São Vicente – Tel.: (13) 3467-5298 – Aberto das 9h às 19h, de segunda a sábado.

Pepino Esportes do Super Centro Boqueirão – Rua Oswaldo Cruz – loja 66/95 – Santos – Tel.: (13) 3233-8850 – Aberto de segunda a sábado, das 9h às 20h.

Santos na Área (Gonzaga/Santos) – Avenida Ana Costa, nº 519 – Praça Independência/Gonzaga – Santos

Santos na Área (Praia Grande) – Av. Ayrton Senna, 1511, Lj 37 – Litoral Plaza Shopping – Intermares – Praia Grande – Tel (13) 3491-4614 – Aberta de segunda a sábado das 10h às 22h.

O que você espera de Santos e Flamengo, neste domingo, no Morumbi?