Dia desses recebi e-mail anunciando uma palestra em São Paulo. Aquelas do tipo auto-ajuda destinada a ambientes corporativos. Estava para deletá-lo, quanto o título me chamou a atenção. Ele falava dos quatro motivos que, segundo o palestrante, causam a morte de uma empresa. São eles: Preguiça, Desculpa, Fofoca e Mau Humor.

Havia sentido na proposição. Acerca dos prejuízos causados pela preguiça, nem é preciso se alongar muito. A pessoa que sofre deste mal fará o trabalho pela metade, demorará muito para fazer, ou jamais o fará.

E como um mal liga a outro, o preguiçoso acaba desenvolvendo um arsenal invejável de desculpas. Creio que há pessoas que poderiam escrever uma bíblia só com argumentos para justificar o que não fizeram, ou fizeram de maneira errada e fora do prazo.

Sempre restará, ainda, a indefectível fofoca, arma obviamente reprovável, mas regularmente usada pelo preguiçoso incompetente para diminuir os méritos dos colegas ou camuflar a sua própria incapacidade.

Quanto ao mau humor, ele dificulta terrivelmente a possibilidade do diálogo, essencial para a boa comunicação entre funcionários de uma empresa. Há coisa mais desagradável do que solicitar alguma tarefa para um colega de trabalho e ser recebido com um olhar e uma expressão de ódio como se estivéssemos interrompendo sua caipirinha degustada à beira da praia?

Sim, há muito sentido em afirmar que preguiça, desculpa, fofoca e mau humor causam a morte de uma empresa. E será que não são os mesmos motivos que têm causado a agonia do futebol brasileiro?

A derrota constrangedora para a Alemanha tem provocado uma enxurrada de desculpas de integrantes da comissão técnica e de jogadores da Seleção. Mas ninguém admitiu que seu trabalho está sendo mal e porcamente feito, que tiveram preguiça de fazer o necessário para retomar o futebol brasileiro no caminho das vitórias após os insucessos nas Copas de 2006 e 2010 e de sinais claros da avassaladora superioridade européia nos últimos anos.

Esse quadro atual não poderá ser apagado pela fofoca permitida dos jornalistas da família Scolari ou pelo mau humor do técnico e do coordenador Carlos Alberto Parreira na hora de admitir suas falhas e abrir o caminho para uma mudança radical no nosso futebol.

E pra você, quais seriam os males que estão levando o futebol brasileiro para a cova?